Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Grupos e Equipes by Mind Map: Grupos e Equipes

1. Grupos

1.1. Classificação

1.1.1. Formais

1.1.1.1. Definido na estrutura organizacional; Possui atribuições específicas e tarefas a serem realizadas por cada membro.

1.1.2. Informais

1.1.2.1. Formações naturais de interações sociais; Não são formalizados por uma organização; Afetam o comportamento dos membros

1.1.3. Comando

1.1.3.1. Relacionado ao organograma da organização; Tem chefia e subordinados (de uma mesma área);

1.1.4. Tarefa

1.1.4.1. Formado para executar determinada tarefa; Pode exigir chefia e subordinados de diferentes áreas da organização

1.1.5. Interesses

1.1.5.1. Interesses comuns dos participantes, que se juntam para agir.

1.1.6. Amizade/afinidade

1.1.6.1. Aliança social que pode ir além d trabalho - características em comum dos membros

1.2. Objetivo

1.2.1. Troca de informação entre membros

1.2.2. Cada membro faz a sua parte para atingir o objetivo

1.2.3. Visa o desempenho individual dos membros

1.3. As competências dos membros são aleatórias e não há sinergia.

1.4. Elementos

1.4.1. Interação

1.4.1.1. Comportamento interpessoal - varia de grupo para grupo.

1.4.2. Atividade

1.4.2.1. Desenvolvido pelos indivíduos do grupo

1.4.3. Sentimento

1.4.3.1. São os processos internos das pessoas, percebidos por atividades e interações

1.5. Estrutura

1.5.1. Papéis

1.5.1.1. São os comportamentos de cada membro no grupo; cada um com seus objetivos e comportamentos próprios

1.5.2. Normas

1.5.2.1. Padrões de comportamento aceitáveis por todos - como se deve ou não agir nas circunstâncias;

1.5.3. Status

1.5.3.1. Posição social do indivíduo no grupo - poder que um indivíduo exerce sobre o outro, ou da contribuição para metas e por características pessoais do membro.

1.5.4. Tamanho do grupo

1.5.4.1. -Grupos pequenos são mais ágeis. -Grupos maiores: mais ideias para um problema, > produção e tendência da produtividade de cada membro diminuir. -Grupos e equipes: têm "folga social", pessoa que se esconde facilmente, pela menor pressão por resultados ou diluição de responsabilidades.

1.5.5. Coesão do grupo

1.5.5.1. Grau de atração entre membros e motivação para permanecer como grupo. Estímulos para coesão: 1) reduzir o tamanho do grupo; 2) estimular a concordância dos objetivos do grupo; 3) aumentar tempo juntos; 4) aumentar o status e a dificuldade de entrar nele; 5) estimular a competição entre grupos; 6) recompensar o grupo e não seus membros individualmente; 7) isolar fisicamente o grupo.

1.6. Estágios

1.6.1. 1º Formação

1.6.1.1. Membros se conhecendo e interagindo com comportamentos e normas aceitáveis.

1.6.2. 2º Tormenta/Atrito

1.6.2.1. Ocorrem vários conflitos no grupo: -Resistência às limitações ao comportamento individual; -Os membros medem força para estabelecer hierarquia nas relações do grupo; -Ao fim desta etapa a hierarquia é clara.

1.6.2.1.1. Alguns grupos tendem a funcionar melhor nesta etapa, do que na de desempenho. Ex: grupos ligados à inovação

1.6.3. 3º Normatização/normação

1.6.3.1. Aproximação e coesão nos relacionamentos: - fortalece o grupo; - membros agem como unidade coordenada; - normas e comportamentos são mais sólidos;

1.6.4. 4º Desempenho

1.6.4.1. Regras e hierarquias definidas; -Grupo trabalha com foco no desempenho das tarefas. -Grupos permanentes: última etapa

1.6.5. 5º Interrupção

1.6.5.1. Apenas grupos temporários -O foco deixa de ser no desempenho para ser na finalização da tarefa; -Os sentimentos podem ser de alegria com o fim do trabalho, o de abatimento pelo fim da camaradagem que houve.

1.7. Modelo de equilíbrio pontuado

1.7.1. Apropriado aos grupos temporários ou que possuem prazos determinados.

1.7.2. 1º - reunião para direcionar o grupo

1.7.3. 2º - 1ª fase de inércia: curso parado, ou preso a um curso fixo

1.7.4. 3º - Transição: ocorre na metade do cronograma - acaba a fase da inércia

1.7.5. 4º - Mudanças importantes; resultado da transição - novos planos são realizados e o trabalho é direcionado - grupo realiza tarefas da transição

1.7.6. 5º - Nova inércia: grupo executa planos da transição.

1.7.7. 6º - Última reunião: nova série de mudanças e aceleração do trabalho para seu encerramento.

1.8. Eficácia

1.8.1. Não ocorre em todos os grupos

1.8.2. Padrões de qualidade e quantidade propostos superados

1.8.3. Satisfação dos membros em curto prazo, facilitando o desenvolvimentos e longo prazo.

1.8.4. Cooperação contínua dos membros

1.9. Perda de processo

1.9.1. Bloqueio de produção: -interferências e interrupções do meio ou dos membros

1.9.2. Atividades de conservação: -membros que só motivam (enrolam) e não produzem

1.9.3. Vadiagem social (free riding): -membros que produzem pouco pelo trabalho feito pelos outros, se aproveitando dos resultados.

2. Equipes

2.1. Condições para a formação de uma equipe

2.1.1. Tamanho, papeis, configuração e composição

2.2. Criadas para gerar sinergia, através do esforço coordenado - para ter maior produtividade.

2.2.1. Se a equipe funcionar mal, seu desempenho será afetado.

2.2.2. Produz-se mais em equipe do que em grupo

2.3. O resultado da equipe é mais importante que o resultado individual dos membros

2.4. Objetivo

2.4.1. Busca do desempenho coletivo: Atingi-se através do conjunto, que interage com esforços coordenados, e gera sinergia.

2.5. - As competências dos membros são complementares, e não aleatórias como no grupo; - os membros trabalham de maneira integrada (várias perspectivas da mesma demanda), o que leva ao aumento da criatividade na resolução de problemas e novas maneiras (inovação) - Formação da equipe: depende do contexto organizacional, o ambiente de trabalho, a remuneração, o estilo de liderança, entre outras variáveis que a tornam mais ou menos eficaz.

2.6. Tipos, de acordo com estrutura

2.6.1. Força-tarefa

2.6.1.1. Formadas para resolver assuntos específicos; Operam temporariamente - até cumprir objetivos.

2.6.2. Multifuncionais, Funcional-cruzada, interdisciplinas ou interfuncional

2.6.2.1. Equipe plural! Membros de diferentes formações/áreas/ideias; Fértil a novas ideias, solução de problemas e criaatividade; Diversidade de pensamentos, opiniões e comportamentos - podem gerar transtornos a princípio, mas torna-se propício à gestão de projeto, processos e inovação.

2.6.3. Projetos

2.6.3.1. Formada por equipes multifuncionais, para o gerenciamento de um conjunto de atividades temporárias. Atingir um único resultado (projeto).

2.6.3.1.1. Projeto: é temporário; com objetivo único; e gera algo novo

2.6.4. Processos

2.6.4.1. São equipes permanentes; Responsável por entender, melhorar e refinar os processos; Gera resultados no dia a dia Responsável pelo ciclo de trabalho de processos organizacionais. Resultados: entrega de clientes (interno ou externo)

2.6.5. Resolução de problemas e mehorias

2.6.5.1. Poucos membros; Reúnem-se algumas horas por semana; Melhorar questões organizacionais ou resolver problemas; Fazem recomendações sobre como o processo de organização pode ser melhorado

2.6.5.1.1. Ciclo de controle de qualidade japonês: PDCA

2.6.6. Autogerenciadas

2.6.6.1. Não há líder - empresas sem presidente, mas com diretorias, colegiados De 10 a 15 membros; Trabalhos são muito inter-relacionados, ou ainda, interdependentes; Sem necessidade de supervisão direta. A posição de supervisor pode chegar a ser eliminada; Assume funções que eram de supervisores dos indivíduos ; - planejamento, cronograma de trabalho,delegação de tarefas, tomada de decisões operacionais, implementação de ações para solução de problemas.

2.6.7. Virtuais/em rede

2.6.7.1. Membros nãos e encontram fisicamente; Utilização de ferramentas de comunicação; As interações são menos eficazes.

2.6.8. Riscos

2.6.8.1. Incentivada a criar coisas novas e correr riscos; Empreendedorismo na organização; Autonomia de para gerenciar o orçamento e atingir objetivos; Apresenta inovações, novos produtos, serviços e negócios. No caso de aprovação, os membros são incorporados e podem participar dos resultados

2.7. Tipos, de acordo com funcionamento

2.7.1. Pseudoequipe

2.7.1.1. Não há preocupação com o desempenho, portanto, sem ganho coletivo; O trabalho é definido pelos membros; As interações pioram o desenvolvimento individual

2.7.2. Grupo de trabalho

2.7.2.1. Não há estímulo para integrar a equipe; Há partilha de informações; responsabilidades, objetivos e produtos individuais; Pode ser eficiente e efetivo, mas sem desempenho coletivo.

2.7.3. Equipe potencial

2.7.3.1. Membros tem a intenção de produzir desempenho coletivo; Assumem compromissos de resultados coletivos; Finalidades, objetivos e abordagens das tarefas são bem claras.

2.7.4. Equipe Real

2.7.4.1. Membros que possuem habilidades complementares; Comprometidas através da missão e objetivos comuns, da clareza e definição de abordagens; Há confiança entre os membros, que assumem a responsabilidade pelo desempenho.

2.7.5. Elevado Desempenho

2.7.5.1. Membros muito comprometidos com crescimento pessoal próprio e dos demais; Os resultados vão além da expectativa: Mais produtividade, qualidade, qualidade de vida, menor rotatividade e conflitos, maior inovação, flexibilidade, recursos e economias.

2.8. Papéis para bom desempenho

2.8.1. Assessoria

2.8.1.1. Dar e receber informação para que as atividades fluam; Há o assessor, que informa os membros para que estes analisem situações e tomem decisões.

2.8.2. Inovação

2.8.2.1. Criação e experimentação de ideias e conceitos; Sua falta pode prejudicar a competitividade.

2.8.3. Promoção

2.8.3.1. identificar e explorar oportunidades; O promotor vende as ideias dentro e fora da empresa

2.8.4. Desenvolvimento

2.8.4.1. Avaliação e teste de aplicabilidade das abordagens; As ideias são moldadas e configuradas.

2.8.5. Organização

2.8.5.1. Estabelecimento e implementação das maneiras de trabalhar; O organizador enfatiza a ação e faz as coisas acontecerem (todos sabem o que fazer e como)

2.8.6. Produção

2.8.6.1. conclusão e entrega de resultados; executar planos e alcançar metas e resultados de modo ordenado e controlado

2.8.7. Inspeção

2.8.7.1. controle e auditoria dos sistemas de trabalho; reflexão e análise para focalizar detalhes do trabalho

2.8.8. manutenção

2.8.8.1. salvaguarda de padrões e processos; assegurar que processos de qualidade sejam revisados constantemente

2.8.9. ligação

2.8.9.1. coordenação e integração dos membros: ligação entre as pessoas e com as tarefas

2.8.10. Comportamentos que inspirem confiança e melhoram o resultado: lealdade, integridade e coerência em ações.

2.8.11. Defender suas ideias, para garantir diversidade no grupo - estar aberto às demais ideias