PARASITOSES INTESTINAIS

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
PARASITOSES INTESTINAIS by Mind Map: PARASITOSES INTESTINAIS

1. SINTOMAS

1.1. Normalmente inespecíficos: anorexia, irritabilidade, distúrbios do sono, náuseas, vômitos e alterações do funcionamento intestinal

2. GIARDÍASE

2.1. Transmissão: água e alimentos contaminados, pessoa a pessoa e contato sexual

2.2. Sintomas: fezes líquidas com muco e sem sangue, dor, cólica abdominal, náuseas, fezes flutuantes no vaso. Pode ter períodos de acalmia e exarcebação.

3. AMEBÍASE

3.1. Entamoeba histolytica

3.2. Transmissão: água ou alimentos contaminados, contato direto

3.3. Sintomas: Pode ser a forma intestinal (períodos de diarreia com muco e sangue intercaladas com períodos de acalmia, febre, desidratação e acometimento do estado geral) ou extraintestinal (abcesso hepático, disseminação hematogênica com acometimento do pulmão, pleura, pericárdio, pele, cérebro e TGU).

4. ASCARIDÍASE

4.1. Ascaris lumbricoides

4.2. Transmissão: ingestão de alimentos e água contaminados, contato direto, inalação e deglutição do ar

4.3. Apresenta alto índice de reinfecção

4.4. Sintomas: caso a larva passe no pulmão o paciente pode apresentar a Sd. de Loeffler (tosse produtiva, sibilos, dispneia, febre, eosinofilia e infiltrado grosseiro no RX de tórax), episódios de diarreia, Se houver migração da larva, outros sintomas são: obstrução biliar, pancreatite, apendicite e asfixia.

5. TRATAMENTO

5.1. A medicação escolhida deve agir em grande número de parasitas, pois o poliparasitismo é comum. Albendazol ou mebendazol são os mais comumente indicados.

5.2. É importante corrigir distúrbios associados à ação do parasita. Ex: anemia e déficits nutricionais.

5.3. Importante tratar contatos em casos de oxiríase.

5.4. Realização de exames nos dias: 7,14 e 21 após o término do tratamento para controle de cura.

6. DIAGNÓSTICO

6.1. Exame parasitológico de fezes é o padrão ouro. Deve ser repetido até que seja concluída a presença/ausência de parasitose.

7. ANCILOSTOMÍASE

7.1. Ancylostoma duodenale ou Necatur americanus

7.2. Necatur americanus ocorre por via percutânea, enquanto A. duodenale também ocorre pela ingestão de água e alimentos contaminados

7.3. Sintomas: anemia ferropriva, perversão do apetite (geofagia), náuseas, diarreia, dor epigástrica, anorexia, flatulências. Na fase crônica pode haver anemia, anorexia, fraqueza, palpitação, cefaleia, sopro cardíaco, hipoproteinemia e quadro de má absorção intestinal

8. TENÍASE

8.1. Taenia solium e Taenia saginata

8.2. Transmissão: T. solium: ingestão de carne de porco mal cozida. T. saginata: ingestão de carne de boi contaminada

8.3. Sintomas: não existem sintomas típicos. Os mais comuns são fadiga, irritabilidade, tontura, cefaleia, vômitos, dor abdominal, perda de peso, diarreia e/ou constipação, eosinofilia. T. solium apresenta risco de cisticercose cerebral.

9. OXIUROSE OU ENTEROBIOSE

9.1. Oxyuris vermicularis ou enterobius vermicularis

9.2. Tranmissão: pessoa ou a pessoa ou fômites

9.3. Sintomas: prurido anal, principalmente à noite; vulvovaginite secundária, cólicas abdominais, náuseas e vômitos

10. ESQUISTOSSOMOSE

10.1. Schistossoma mansoni

10.2. Contato com água contaminada por cercarias

10.3. Sintomas instalam-se subitamente e duram de 1-2 meses: febre, astenia, anorexia, sudorese, dor abdominal em cólica, diarreia sanguinolenta, hepatoesplenomegalia. Na fase crônica, pode ser assintomática ou apresentar diarreia periódica com muco, sangue e tenesmo, alternando com constipação intestinal