Create your own awesome maps

Even on the go

with our free apps for iPhone, iPad and Android

Get Started

Already have an account?
Log In

enteroparasitoses by Mind Map: enteroparasitoses
5.0 stars - 1 reviews range from 0 to 5

enteroparasitoses

REFERÊNCIA(S) EM ANEXO

patogenia

infectam o tubo digestivo

às vezes invadem a mucosa, causando ulceração, Entamoeba histolytica, Balantidium coli

às vezes se disseminam a outros órgãos, Entamoeba histolytica, Abscessos viscerais, Criptosporidium spp., Pâncreas, Vias biliares, Microsporídeos, Hepatite, Colangite, Nefrite, Ceratoconjuntivite, Encefalite

afetam o equilíbrio nutricional, interferem na absorção de nutrientes, provocam sangramentos, reduzem a ingesta alimentar

epidemiologia

mundo

número de infectados, 3,5 BILHÕES de pessoas no mundo estão infectadas., 450 milhões estão doentes.

óbitos por ano, ancilostomídeos, 65.000, Ascaris lumbricoides, 60.000, Entamoeba histolytica, 70.000

mais prevelante em países menos desenvolvidos

morbidade

hipodesenvolvimento infantil

baixo rendimento escolar

baixa produtividade no trabalho

aumento dos gastos com assistência médica

grupos de atenção especial

imunodeficientes por doença ou terapia medicamentosa, maior risco de síndrome de auto-infecção

desnutridos

gestantes

etiologia

helmintos

metazoários (pluricelulares), vida livre ou parasitas

filos, platelmintos, Hymenolepsis nana, Taenia solium, Taenia saginata, Schistosoma mansoni, nematelmintos, Ascaris lumbricoides, Enterobius vermicularis, Trichuris trichiura, Ancylostoma duodenale, Necator americanus, Strongyloides stercoralis, anelídeos

enteroprotozoários

subfilos, Ciliophora (ciliados), Balantidium coli, Sarcomastigophora, Entamoeba histolytica, Dientamoeba fragilis, Giardia lamblia, Apicomplexa, Cryptosporidium spp., Isospora belli, Sarcocystis hominis

ciclo de vida

helmintos

geo-helmintos, Ascaris lumbricoides, Trichuris trichiura, Ancylostoma duodenale, Necator americanus, Strongyloides stercoralis, Enterobius vermicularis, algoritmo, larvas expelidas nas fezes do hospedeiro, larvas infectam o hospedeiro, Ancylostoma duodenale, Necator americanus, ovos infectam o hospedeiro, realiza penetração de mucosa, atinge os pulmões, é deglutido junto com as secreções respiratórias (ciclo de Looss), atingem fase adulta novamente no intestino, ovos detectados nas fezes 60 dias depois, Ascaris lumbricoides, não realiza penetração de mucosa, Enterobius vermicularis, Trichuris trichiura, ovos expelidos nas fezes do hospedeiro, Strongyloides stercoralis

bio-helmintos, Schistosoma mansoni, Taenia solium, Taenia saginata, Echinococcus granulosus, Fasciola hepatica, Hymenolepsis nana

ovos são ingeridos pelo hospedeiro, enzimas entéricas digerem o ovo e liberam as larvas no lúmen GI, viagem até o sítio-alvo, maturação

enteroprotozoários

trofozoítas móveis proliferam na luz intestinal, formas de resistência imóveis e metabolicamente inativas -- cistos -- lançadas junto às fezes durante meses ou anos, contaminação fecal-oral, cistos expostos a enzimas digestivas proteolíticas, cistos liberam esporozoítas, esporozoítas penetram o enterócito, esporozoítas evoluem para trofozoítas, evoluem para esquizontes, evoluem para merozoítas, ruptura do enterócito, gametócitos feminos e masculinos se encontram, oocistos, auto infeção, excreção nas fezes

hospedeiros

abra o galho da etiologia dos enterozoários até o final para ver suas relações com os hospedeiros

Homo sapiens

cão

gato

suínos

manifestações

clínica

história, surtos de diarreia aguda, vírus, protozoários, Giardia lamblia, Cryptosporidium parvum, exposição a água suspeita (rios, lagoas), durante viagem, Schistosoma mansoni

oclusão ou sub-oclusão intestinal, ascaridíase

epigastralgias, estrongiloidíase, ancilostomíase

prurido anal ou vaginal, enterobíase

hemorragia digestiva alta, esquistossomose mansônica

hidrocefalia ou epilepsia em adultos, neurocisticercose

síndromes disabsortivas esp. em crianças, giardíase

disenteria, amebíase, mais raramente balantidíase

diverticulite ou retocolite ulcerativa, amebíase

abscessos hepáticos, amebíase

diarreia dos viajantes, Giardia lamblia, Entamoeba hystolitica, Cryptosporidium spp., Cyclospora spp., Strongyloides stercoralis

pneumonite por hipersensibilidade ao ciclo de Löefler, tosse irritativa, broncoespasmo, infiltrados pumonares migratórios à radiologia, eosinofilia, eventual insuficiência respiratória

laboratório

eosinofilia, reflete a migração das larvas de helmintos pelos tecidos

anemia ferropriva insidiosa, ancilostomídeos

complicações

obstrução intestinal

prolapso retal

abscessos

ascaridíase

diagnóstico

pesquisa de ovos, larvas e cistos nas fezes

método padrão para confirmação de helmintíases e enteroprotozoozes

colher pelo menos 10 g de fezes

análise precisa ser feita em até 30 minutos (fezes líquidas), até 1 hora (semi-líquidas, pastosas), ou até 24 h sob refrigeração (moldadas), giardíase, amebíase

caso tenha sido necessário utilizar conservante de fezes, dificilmente se conseguirá diagnosticar Strongyloides stercoralis

técnica mais apropriada, Lutz/Hoffman, ovos pesados, Ascaris lumbricoides (inférteis), Trichuris trichiura, Schistosoma mansoni, Faust/Willis, ovos leves, Ancylostoma duodenale, Necator americanus, Ascaris lumbricoides (férteis), Hymenolepsis nana, Trichuris trichiura, cistos de protozoários, Giardia lamblia, Entamoeba histolytica, Barmann-Moraes, larvas vivas, Strongyloides stercoralis, tamização das fezes, Taenia spp., Graham (fita gomada), Enterobius vermicularis, colorações complementares, Ziehl-Neelsen modificado, Cryptosporidium spp., Cyclospora, Isospora, safranina, Cyclospora, imunoensaios, Entamoeba histolytica, Giardia lamblia, Cryptosporidium spp.

pesquisa imunológica

aspecto macroscópico

cilíndricos, esbranquiçados, 15-45 cm, Ascaris lumbricoides

proglótides mortas e ressecadas, parecendo um pedaço de talharim seco, em meio às roupas íntimas, Taenia saginata

brancos, cilíndricos, 8-12 milímetros, parecendo pedaços de linha de bordar, Enterobius vermicularis, ligeiramente avermelhados, 4 a 5 centímetros, presos à mucosa exteriorizada por prolapso retal, Trichuris trichiura

controle de cura

em geral não é feito

Strongiloides stercoralis, (EPF Baermann-Moraes em 7, 21 e 30 dias) OU repetir o tratamento em 30 dias

Schistosoma mansoni, Kato-Katz 1 x/mês durante 6 meses

tratamento

preferir medicações polivalentes

tratar também toda a família

orientar para as medidas profiláticas

medicamentos

família, imidazólicos, benzi, mebendazol, albendazol, tiabendazol, cambendazol, nitro, metronidazol, tinidazol, niclosamida, praziquantel, oxamniquine, mecanismo de ação desconhecido, teclosan, mecanismo de ação desconhecido

contra-indicações

gestação, praziquantel, imidazólicos, ivermectina

amamentação, ivermectina

< 2 anos, oxamniquine, mebendazol, albendazol

< 5 anos, ivermectina

hepatopatas, albendazol, tiabendazol, oxamniquine

epilépticos, piperazina, oxamnique

efeitos adversos

gerais, náuseas, dor abdominal, vômitos, diarreia, anorexia, cefaleia, tonteiras

neurológicos, vertigem e ataxia, tiabendazol, metronidazol, piperazina, oxamnique, neuropatia sensorial periférica -- parestesias, metronidazol

hepatotoxicidade (rara), tiabendazol, albendazol

exantema e febre (hipersensibilidade) (rara), eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson, edema angioneurótico, choque, tiabendazol

candidose oral e vaginal, metronidazol

indicações

gestantes, piperazina, Ascaris lumbricoides

(albendazol DU 400 mg OU mebendazol 100 mg 12/12 h x 3 dias) VO, Ascaris lumbricoides, Enterobius vermicularis, Trichuris trichiura, Necator americanus, Ancylostoma duodenale

(ivermectina DU 200 microg OU cambendazol DU 5 mg/kg OU tiabendazol DU 50 mg/kg [máx. 3g]) VO, Strongyloides stercoralis

(praziquantel DU 10 mg/kg [máx. 600 mg] OU albendazol 400 mg 1x/dia x 3 dias) VO, Taenia spp.

mebendazol OU niclosamida, Taenia spp.

(oxamniquine 15 mg/kg/dia [máx. 1500 mg/dia] OU praziquantel 40 mg/kg DU) VO, Schistosoma mansoni

(metronidazol 750 mg 1x/dia x 3 dias OU tinidazol 2 g 1x/dia x 3 dias) + (teclosan DU 1,5 g OU etofamida), Entamoeba hystolitica

tinidazol DU 2 g VO, secnidazol, metronidazol 25mg/kg-250 mg (criança-adulto) 3x/dia [máx. 750 mg/dia] x 7-10 dias, nitazoxanida, Giardia lamblia

doxiciclina 100 mg 2x/dia OU metronidazol 25 mg/kg-250 mg (criança-adulto) 3x/dia [máx. 750 mg/dia] x 7-10 dias

(sulfametoxazol 50 mg/kg + trimetoprim 10 mg/kg) frac. em 4 tomadas/dia x 7-10 dias, Isospora belli, Ciclospora spp., imunodeficientes, manter (sulfametoxazol 10 mg/kg + trimetoprim 2 mg/kg) frac. em 2 tomadas/dia x tempo indefinido, para evitar recaídas

albendazol, microsporídeos

tabela 9. drogas e percentuais de cura

terapias adicionais

sulfato ferroso 50-100 mg de ferro elementar/dose, ancilostomíases, manter com dose de manutenção por 4 meses após normalização da anemia, adultos, 40 a 80 mg/8 h, crianças, 40 mg/8 h, 2 < anos < 5, 20 a 30 mg/8h, lactentes, 10 mg/8 h

para sub-oclusão intestinal, Ascaris lumbricoides

redução manual de prolapso retal, Trichuris trichiura maciça

para recaídas parasitológicas (auto-endo-infecção), (tiabendazol 5-10 mg/kg/12 h x 30 dias) OU (ivermectina 200 microg/kg x 2 dias, repetindo após 15 dias)

profilaxia pré-imunossupressão, tiabendazol VO 25 mg/kg/dia x 3 dias, ivermectina VO 200 microg/kg DU, repetindo após 15 dias, estrongiloidíase disseminada

purgativo salino, obrigatório para infecção por Taenia solium quando for tratada com mebendazol ou niclosamida

hospitalização e (doses elevadas de praziquantel OU albendazol), em casos de cisticercose

profilaxia

decisão política, planejamento e investimento

infra-estrutura básica para a população -- redes e sistemas de esgoto

orientar/educar o paciente sobre as medidas necessárias para a prevenção em seu meio particular

tratamento de todos os contactantes do indivíduo (residência, creche)