Crescimento da planta forrageira

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Crescimento da planta forrageira by Mind Map: Crescimento da planta forrageira

1. Durante os estádios iniciais de alongamento de uma folha somente a lâmina cresce ativamente, embora as células meristemáticas responsáveis pelo crescimento da bainha estejam presentes desde o início do crescimento foliar.A importância desses processos para o entendimento do fluxo de tecidos em plantas reside no fato de que a taxa de alongamento foliar em gramíneas é função do suprimento celular (número total de células produzidas) e da taxa e duração do processo de alongamento celular

2. A desfolhação representa um importante distúrbio em comunidades de plantas sob pastejo, e gera uma redução drástica na taxa de alongamento de folhas,esse efeito pode ser resultado de uma diminuição na taxa de alongamento relativa

3. A capacidade fotossintética do pasto após uma desfolhação depende da quantidade de área foliar residual e da capacidade fotossintética das folhas remanescentes. Em pastos que atingiram um IAF alto, as folhas que permanecem após o pastejo não são adaptadas à alta luminosidade incidente sobre elas, resultante da remoção das folhas superiores que as sombreavam, pois foram formadas em condições de baixa luminosidade e normalmente, também, em temperaturas mais baixas.

4. A fotossíntese, e consequentemente a capacidade de produção bruta de tecido, aumentam rapidamente após a desfolhação . Porém há um atraso entre um aumento correspondente na senescência foliar. Como resultado, há momentos onde altas taxas de produção bruta de tecido estão associadas com baixas taxas de morte de tecidos

5. No caso de lotação intermitente, experimentações recentes com base no controle estrito das condições e/ou estrutura do dossel forrageiro na entrada e saída dos animais dos piquetes (pré e pós-pastejo), têm revelado resultados bastante promissores para a melhoria e refinamento do manejo do pastejo dos capins mombaça, tanzânia e marandu.

6. De uma maneira geral, o valor nutritivo da forragem consumida quando os pastejos são realizados com 95% de IL é bastante estável e caracterizado por concentrações de proteína bruta da ordem de 14 a 18% e digestibilidade da matéria seca de 60 a 70%