Bases morfofuncionais do Sistema Nervoso (SN)

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Bases morfofuncionais do Sistema Nervoso (SN) by Mind Map: Bases morfofuncionais do Sistema Nervoso (SN)

1. Formado por encéfalo (pares de nervos cranianos) e medula espinhal (pares de nervos espinhais), é responsável pelo processamento de informações e geração de comportamentos

2. Medula espinhal

3. Sistema Nervoso Periférico (SNP)

4. Sistema Nervoso Central (SNC)

5. SN: sistema regulador formado por células neurais (neurônios) e não neurais (neuróglia)

6. Forma, por meio dos nervos, gânglios e terminações nervosas periféricas: rede de comunicação com a maioria dos tecidos corporais Funções: detecção de estímulos, condução destes pelo corpo e ativação dos efetores

7. Responsável por: sensações, percepções, ações e comportamento consciente do homem, como atenção voluntária, percepção, memória e pensamento.

8. Dendritos: junto ao soma, são as principais regiões que recebem e emitem informações

9. Rede dendrítica: ramificação responsável por integrar e direcionar fluxos de informações neuronais. Espículas: regiões de passagem de informações

10. Corpo celular (soma): local de síntesese das proteínas neuronais

11. Axônio: parte do neurônio responsável pela condução dos impulsos elétricos

12. Membrana pós-sináptica: recebe estímulos pelos neurotransmissores

13. A glia tem funções de regulação relacionadas a: proliferação, diferenciação, migração, crescimento, manutenção e morte neuronal. Algumas populações específicas dela participam de:

14. Formação da barreira hematencefálica (astrócitos): estrutura de permeabilidade seletiva que protege SNC de substâncias supostamente neurotóxicas

15. Mielinização (oligodendrócitos e células de Schwann): formação da bainha de mielina, responsável pelo aumento de velocidade do impulso nervoso e isolamento elétrico do axônio, o que otimiza as *sinapses: ligações (entre neurônios, efetores ou fibra muscular) onde ocorrem as transmissões de impulso nervoso (informações)

16. Reparo e imunomodulação (micróglia)

17. A bainha não é contínua e apresenta intervalos regulares chamados nódulos de Ranvier

18. Substância branca: regiões ricas em axônios mielinizados, onde ocorre o tráfego de informações

19. Substância cinzenta: regiões onde há corpos celulares neuronais

20. Processamento de estímulos no SN:

21. Receptor sensorial (recebe o estímulo)

22. *Gênese de potencial elétrico

23. Ativação do limiar de excitação neuronal

24. Resposta propagável e codificada respeitando intensidade e duração do estímulo

25. *Sinapse entre neurônio sensorial (aferente) e neurônio alfa (eferente)

26. Conversão da energia elétrica (potencial elétrico) para química (liberação de neurotransmissores, que transmitem informações entre neurônios)

27. Nova resposta elétrica (potencial sináptico) no motoneurônio (neurônio motor superior)

28. Excitação das fibras musculares inervadas pelos terminais axonais

29. *Alguns tipos de mensageiros utilizados nas sinapses são: aminas (dopamina, noradrenalina, adrenalina, acetilcolina, 5-hidroxitriptamina), aminoácidos (glutamato, glicina, ácido gama-aminobutírico) e polipeptídeos (endorfinas, substância P, vasopressina)

30. *A Capacidade de realizar mais de 1000 sinapses com outros neurônios ao mesmo tempo torna possível uma malha de comunicação que rege o funcionamento do orgnanismo

31. Vias aferentes: >provenientes dos pares de nervos cranianos; >podem ser compostas por vias periféricas (gustativa, trigeminal, vestibular e vagal) ou centrais (olfatória e óptica)

32. Vias eferentes: periféricas, são oriundas dos pares de nervos espinais ou cranianos

33. Gânglios: estruturas periféricas compostas por corpos de neurônios e glias

34. Pode ser dividido em somático e autônomo (SNA)

35. Estabelecem a integração do indivíduo com o ambiente externo

36. Percepção e adaptação dos meios internos, por meio da regulação homeostática dividida nos níveis: simpático, parassimpático e entérico

37. É caracterizado pelo predomínio de estruturas duplo-inervadas e cadeias formadas por neurônios pré-ganglionares e pós-ganglionares

38. SNC desenvolve-se a partir do tubo neural > expande na porção rostral do embrião > formação de 3 divisões encefálicas primárias > expandem > formam cinco divisões encefálicas.

39. Mesencéfalo, metencéfalo e mielencéfalo >formam tronco encefálico, ao qual o cerebelo está ligado.

40. O tecido encefálico apresenta um conjunto de etapas de formação que estrutura padrões filogenéticos reproduzidos em todos os indivíduos da mesma espécie.

41. Estruturas

42. Dividida em 31 segmentos, representados pelas categorias vertebrais: cervicais (C), torácicas (T), lombares (L) e sacrais (S).

43. Substância cinza medular > estrutura laminar > auxilia na organização topográfica dos neurônios sensoriais (colunas dorsal), dos interneurônios e dos neurônios motores (colunas ventrais).

44. Substância branca > axônios de neurônios de projeção > conectam os segmentos medulares entre si e aos centros superiores > processamento de informações Substância localizada ao redor do “H” medular

45. Toda a taria para a realização de reflexos somáticos e autônomos está na medula

46. Via de passagem de informações sensoriais e motoras: informações captadas nos diferentes meios > às áreas de processamento central

47. Comandos capazes de promover as adaptações dos meios > levados até os efetores de maneira topograficamente organizada

48. Informações sensoriais oriundas da periferia > raízes dorsais > medula > vias infra e supramedulares ou conduzidas à áreas superiores, conforme aonde a informação está associada a sensibilidade epicrítica ou protopática.

49. Informações motoras (oriundas das vias descendentes ) > terão como via motora final comum o motoneurônio localizado na região ventral do "H" medular

50. Segmentação medular > acompanhamento topográfico das inervações cutâneas e miótomos

51. Tronco encefálico

52. Compõe-se de: Bulbo, Ponte e Mesencéfalo

53. Recebe aferências de diferentes regiões do corpo e controla efetores

54. Região de passagem de informações sensoriais e motoras para o encéfalo

55. Participa da regulação da atenção e do ciclo de sono-vigília

56. Bulbo

57. Entre o encéfalo e a medula espinhal

58. Acima da medula espinal e abaixo do diencéfalo

59. Base > encontra-se o conjunto de fibras corticais piramidais

60. Região do tegmento > fibras ascendentes e descendentes, além dos núcleos de quatro pares de nervos cranianos

61. Há ainda estruturas como: olivas inferiores, pedúnculos cerebelares, núcleos com papel de: respiração deglutição, sudorese, batimentos cardíacos, atividade vasomotora e secreção gástrica.

62. Ponte

63. Contínua ao mesencéfalo, apresenta duas porções: o tegmento pontino e a ponte basilar

64. Posteriormente está situado: cerebelo. Na região tegmental pontina, há os núcleos de quatro pares de nervos cranianos

65. Núcleos pontinos: recebem axônios de áreas corticais > os projetam através de feixes de fibras transversais até o cerebelo

66. Vias ascendentes e descendentes cruzam a ponte > comunica diferentes áreas medulares e encefálicas, igual ao mesencéfalo.

67. Mesencéfalo

68. Menor parte do tronco encefálico, limitado rostralmente pelo diencéfalo e caudalmente pela ponte. Dividido em: teto, tegmento e base.

69. Teto: superior do aqueduto cerebral. Composto por 2 pares de montículos arredondados: colículos superiores e inferiores > recebem informações sensoriais e corticais; auxiliam no controle motor.

70. Tegmento: Situado abaixo do teto, contém substância negra, cinzenta e núcleo rubro

71. Base: constituída pelo pedúnculo cerebelar > fibras descendentes

72. Cerebelo

73. Abaixo da porção posterior cerebral. Dividido em: porção medial formada pelo arquicerebelo e pelo paleocerebelo e porção lateral: formada pelo neocerebelo

74. Estrutura apresenta 1/3 dos neurônios do SNC, sendo dentre suas funções um integrador de sinais

75. Compara as informações sensório-motoras > desempenha funções regulatórias motoras indiretas

76. Papel importante na execução de movimentos, equilíbrio e postura > integrador de informações da medula, córtex cerebral e órgãos vestibulares

77. Lesões provocam problemas no equilíbrio, motores (ex: tremores) e postural

78. Cérebro

79. Dividido pelo corpo caloso em 2 hemisférios (esquerdo e direito), estes recobertos pelo córtex cerebral

80. Região mais interna > composta por: substância branca, hipocampo, amígdala e núcleos da base

81. Córtex cerebral > percepção, controle motor e das ações, comportamentos e funções cognitivas, como aprendizagem, memória, linguagem e inteligência

82. Apesar dos 2 hemisférios com circuitos em ambos os lados, o cérebro trabalha como um todo integrado

83. Superfície predominante em sulcos > necessidade de aumentar área superficial > chamados de giros e sulcos cerebrais > ampliação dos circuitos neurais sensoriais e motores

84. Papel de cada área > depende da necessidade e da função especializada

85. Diencéfalo

86. Formado por tálamo, hipotálamo, epitálamo e subtálamo

87. Estes localizados de maneira simetricamente de cada lado da linha média e na face inferior do cérebro. Na porção caudal, o diencéfalo é contínuo com o tegmento do mesencéfalo

88. Tálamo

89. >Formado por conjunto de núcleos; >Importante local para o processamento e a retransmissão de informações sensoriais e motoras

90. Se estende até os colículos superiores (mesencéfalo)

91. Hipotálamo

92. Localizado sob o tálamo, no assoalho anterior do diencéfalo, é o principal regulador da homeostase e de comportamentos referentes a: regulação de temperatura, pressão, sede, fome e sexo

93. >Integração dos sistemas nervoso e endócrino >Regulação de glândulas endócrinas

94. >Recebe informações do sistema olfatório e de áreas eretogênicas, importante para as funções neuroendócrina, neuroimunológica, motora e límbica

95. Informações sobre temperatura, osmolaridade e composição química sanguíneas > regulação da atividade hipotalâmica

96. >Conexões significativas com o sistema límbico através de: amígdalas, região septal e hipocampo > regulação emocional é mediata pelo hipotálamo por via direta ou indireta

97. Epitálamo

98. Situado na parede posterior do 3º ventrículo, onde está situada a glândula pineal > principal componente do epitálamo

99. Glândula simetricamente situada no centro do cérebro, esta que realiza a produção de melatonina

100. Também abriga: núcleos da habênula, comissura posterior, estrias medulares e comissura das habênulas

101. Com exceção da glândula pineal, estruturas fazem parte do sistema límbico > responsáveis pela regulação emocional

102. Subtálamo

103. Área localizada na parte posterior do diencéfalo lateral ao 3º ventrículo

104. Núcleo rubro é abrigado nele

105. Núcleo subtalâmico: constitui um dos núcleos da base > importante para regulação do plano motor

106. Lesão na região do núcleo resultam no balismo (intensos movimentos involuntários das extremidades)

107. Telencéfalo

108. Porção mais superior do cérebro, também inclui o córtex cerebral.

109. Apresenta o maior nível de organização e função neuronal, além de estruturas subcorticais, como núcleo caudado, putame, globo pálido, amígdala e formação hipocampal

110. Hemisférios cerebrais

111. Divivido em 6 lobos (frontal, parietal, occipital, temporal ínsula e límbico)

112. Córtex cerebral

113. Formado por camada de substância cinzenta, que formam giros que se dobram em sulcos, revestindo os hemisférios

114. Organização em áreas: primárias e secundárias

115. Divididos em giros. Frontal: pré-central, frontal superior, frontal médio e frontal inferior; parietal: pós-central, parietal superior e parietal inferior; temporal: temporal superior, médio e inferior

116. Insula: giro temporal superior, giro temporal transversal; Occipital: giros laterais irregulares

117. Córtices cerebrais: formam o nível mais alto de hierarquia estrutural e funcional do SN: conexões referentes ao controle motor e modalidades censoriais

118. São encontradas vias eferentes para: medula espinal, tronco encefálico, tálamo, núcleos da base, sistema límbico, dentre outros

119. Núcleos da base

120. >Estruturas telencefálicas (estriado), diencefálicas (núcleo subtalâmico) e do tronco encefálico (substância negra)

121. Degenerações ou outras formas de comprometimento nos núcleos da base acarretam distúrbios motores e/ou comportamentais, tais como doença de Parkinson, doença de Huntington, balismo, síndrome de Tourette e transtorno obsessivo-compulsivo

122. Corpo estriado> núcleo caudado, putame, globo pálido

123. Sistema límbico

124. Composto por regiões corticais (giros cingulado e para- -hipocampal, córtex entorrinal e algumas áreas pré-frontais), subcorticais telencefálicas (hipocampo, complexo amigdaloide, septo), diencefálicas (hipotálamo e algumas áreas talâmicas) e do tronco encefálico (área tegmental ventral)

125. Responsável por estados emocionais, motivacionais, processos de formação de memórias verbal e espacial, consolidação de memórias explícitas em outras áreas corticais

126. Essencial para o processo de consolidação de memórias explícitas (semânticas e episódicas)

127. Lesões impedem que novas informações aprendidas sejam armazenadas a longo prazo > amnésia retrógrada

128. Amígdala: formada por conjunto de núcleos localizados internamente ao lobo temporal e anteriormente ao hipocampo

129. Recebe aferências sensoriais indiretas do córtex cerebral, do diencéfalo e do tronco encefálico > trazem informações sensoriais e viscerais

130. Aferências recebidas do tálamo: gênese de respostas rápidas e primitivas; "" córtex pré-frontal: respostas + lentas e sujeitas a intervenção consciente

131. Amígdala: controle emocional, principalmente ansiedade e medo; Cíngulo: conectado ao hipocampo e amígdala, intermedia processos atencionais, motivacionais, emocionais e de ativação do SNA

132. Meninges

133. Camadas de revestimento externo do SNC, dividida em 3: dura-máter (crânio: colágeno denso), aracnoide (intermediária de colágeno e fibras reticulares) e pia-máter, a mais interna, sendo elástica e translúcida.

134. Espaço entre aracnoide e a pia-máter: denominado subaracnoide (apoio e amortecimento), onde há presença do líquido cerebrospinal, produzido no plexo coróide.

135. Proteção contra choques físicos e traumas

136. Vascularização

137. Vascularização arterial p/ medula espinhal: ramo anterior e duas artérias espinais posteriores

138. Nível cerebral: irrigação arterial é derivada dos sistemas arterial carotídeo e vertebrobasilar

139. Há uma série de canais presente na base do cérebro, constituindo o polígono de Willis > comunicação entre os dois sistemas