INVERTEBRADOS

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
INVERTEBRADOS by Mind Map: INVERTEBRADOS

1. Poríferos

1.1. Os poríferos, também chamados de esponjas ou espongiários, são animais invertebrados aquáticos e fixos em um substrato. O nome do grupo deve-se pela presença de poros pelo corpo.

1.1.1. Habitat

1.1.1.1. O habitat da maioria das espécies é o ambiente marinho, poucas vivem em água doce. As esponjas são encontradas fixas no fundo do mar, em rochas, conchas e areia. Podem viver de forma solitária ou em colônias.

1.1.2. Estrutura Corporal

1.1.2.1. Os poríferos possuem paredes perfuradas por poros e, em seu interior encontra-se uma cavidade denominada átrio ou espongiocele. Na extremidade oposta à base de seu corpo, há uma abertura chamada ósculo.

1.1.3. Respiração e Alimentação

1.1.3.1. Respiração

1.1.3.1.1. Os poríferos são animais filtradores. Eles promovem uma corrente de água que entra pelos poros, passa pelo átrio e sai pelo ósculo. Ao entrar, a água fornece oxigênio e ao sair, carrega dióxido de carbono e resíduos. Assim, ocorre a respiração, através das trocas gasosas por difusão.

1.1.3.2. Alimentação

1.1.3.2.1. A alimentação se dá através de partículas alimentares suspensas na água, como protozoários e algas unicelulares. As partículas absorvidas são capturadas pelos coanócitos, que digere parte das substâncias. A outra parte é digerida pelos amebócitos, sendo posteriormente distribuída a todas as células.

2. Cnidários

2.1. Cnidários ou celenterados (filo Cnidaria) são organismos pluricelulares que vivem em ambientes aquáticos, sendo a grande maioria marinha.

2.1.1. Características Gerais

2.1.1.1. O habitat principal dos cnidários é o ambiente marinho de águas tropicais rasas. Poucas espécies vivem em água doce. Nenhum é terrestre.

2.1.1.2. Os cnidários apresentam dois tipos morfológicos, as medusas e os pólipos. Algumas espécies podem apresentar as duas formas em diferentes períodos da vida.

2.1.1.3. As medusas são representadas pelos organismos natantes, como as águas-vivas. Apresentam um corpo gelatinoso em forma de sino, com tentáculos em sua margem e a boca central.

2.1.1.4. Os pólipos constituem os organismos sésseis, ou seja, fixos a um substrato. Apresentam formato tubular, como as anêmonas-do-mar. Eles podem viver em colônias ou isolados.

2.1.1.5. Os cnidários não apresentam sistema circulatório, digestório e respiratório.

2.1.2. Alimentação

2.1.2.1. Os cnidários são carnívoros. Alimentam-se de partículas em suspensão na água e pequenos animais aquáticos.

2.1.2.2. Ao capturarem o alimento, com auxílio dos tentáculos, o introduzem na cavidade digestiva. Daí, são parcialmente fracionados por ação das enzimas, sendo os nutrientes distribuídos por todas as partes do corpo.

2.1.2.3. O animal só volta a se alimentar depois de eliminar os dejetos.

2.1.2.4. Os cnidários apresentam sistema digestório incompleto, eles não apresentam ânus.

2.1.2.5. O sistema digestivo dos cnidários é constituído por uma cavidade dotada de uma única abertura. Esse local serve tanto para a entrada de alimentos como para a saída de dejetos.

2.1.3. Respiração

2.1.3.1. Os cnidários não possuem sistema respiratório. As trocas gasosas ocorrem diretamente entre cada célula e o meio, através de difusão.

2.1.4. Sistema Nervoso

2.1.4.1. Os cnidários são os primeiros animais a apresentar neurônios, as células nervosas. Porém, o seu sistema nervoso é bastante simples. É caracterizado por ser do tipo difuso, as células nervosas formam uma rede que fica em contato direto com as células sensorias e contráteis.

2.1.5. Reprodução

2.1.5.1. Os cnidários podem apresentar reprodução assexuada e sexuada.

2.1.5.2. A reprodução assexuada ocorre por brotamento. Na superfície do corpo existem brotos que ao se desenvolverem, desprendem-se e originam novos indivíduos. Esse tipo de reprodução é comum em hidras de água doce e em algumas anêmonas marinhas.

2.1.5.2.1. Nesse tipo de reprodução, há formação de gametas masculinos e femininos. O macho libera seus espermatozóides na água, os quais fecundam o óvulo feminino, presente na superfície corporal.

2.1.5.3. A reprodução sexuada é possível graças a existência de cnidários dióicos (sexos separados) ou monóicos (hermafroditas).

2.1.5.4. Alguns cnidários podem apresentar alternância de gerações. Eles apresentam uma fase de pólipo, em que apresentam reprodução assexuada e outra fase de medusa, com reprodução sexuada

3. Anelídeos

3.1. Anelídeos são animais que apresentam o corpo segmentado, isto é, dividido em anéis. Dentre os animais pertencentes a essa classificação, o mais conhecido do filo Annelida é a minhoca.

3.1.1. Principais características

3.1.1.1. O celoma

3.1.1.1.1. O celoma é um buraco corporal que fica no interior da mesoderme. Essa cavidade é preenchida pelo líquido fluido celômico, onde se alojam as vísceras do animal.

3.1.1.2. O sistema digestório

3.1.1.2.1. O sistema digestório desses animais é completo. Os órgãos que fazem parte do sistema digestivo são: a boca, o papo, a moela, o intestino e o ânus.

3.1.1.3. A reprodução

3.1.1.3.1. A reprodução dos anelídeos ocorre de forma assexuada ou sexuada. Excluindo os poliquetos que são dióicos, os outros anelídeos são hermafroditas.

4. Nematelmintos

4.1. Nematelmintos ou nematódeos (filo Nematoda) são vermes cilíndricos, não segmentados, que incluem várias formas de parasitas, como as lombrigas ou Ascaris e os vermes ancilóstomos, causadores do amarelão e da elefantíase.

4.1.1. Características

4.1.1.1. Os nematelmintos possuem uma ampla cavidade cheia de líquido entre o tubo digestivo e a parede corporal. Serve como “esqueleto hidrostático”, que mantém a forma do animal e proporciona alguma sustentação. O líquido que ocupa a cavidade corporal permite a distribuição de várias substâncias, como nutrientes, resíduos e gases.

4.1.1.1.1. Digestão

4.1.1.1.2. Revestimento do corpo

4.1.1.1.3. Reprodução

4.1.1.1.4. Sistema excretor

4.1.1.1.5. Sistema nervoso

5. Platelmintos

5.1. Os platelmintos (Filo Platyhelminthes) são animais que vivem em diferentes ambientes, ocorrendo em ambiente aquático ou terrestre. Além disso, temos algumas espécies parasitas, como é o caso das tênias, chamadas popularmente de solitárias

5.1.1. Características gerais

5.1.1.1. O termo platelminto significa verme achatado, sendo essa uma referência ao corpo delgado desses animais, que se apresentam achatados dorsoventralmente. Seu corpo é formado por três folhetos germinativos (ectoderme, mesoderme e endoderme), portanto, são considerados triblásticos. São animais acelomados (não possuem celoma) e apresentam simetria bilateral.

5.1.1.1.1. Os platelmintos são animais que possuem um corpo relativamente simples, com muitos sistemas ausentes e outros muito pouco especializados. As trocas gasosas desses animais, por exemplo, ocorrem por difusão pela superfície do corpo. No que diz respeito à excreção, observa-se um sistema simples constituído por protonefrídios, os quais são uma rede de túbulos com estruturas ciliadas conhecidas por células-flama.

5.1.1.2. sistema digestório

5.1.1.2.1. Alguns platelmintos apresentam sistema digestório, que é ausente em outras espécies. O sistema digestório dos platelmintos é incompleto, sendo a boca a única abertura para o trato digestivo.

5.1.1.3. sistema nervoso

5.1.1.3.1. O sistema nervoso é geralmente constituído por um par de gânglios anteriores que estão associados a cordões longitudinais.

5.1.1.4. reprodução

5.1.1.4.1. No que diz respeito à reprodução, é possível observá-la de forma assexuada e também sexuada. Muitas espécies são hermafroditas, mas também há espécies de sexos separados. Algumas espécies apresentam desenvolvimento direto, sem uma fase larval, outras, no entanto, apresentam desenvolvimento indireto, incluindo-se um ou mais estados de larva.