Parasitoses Intestinais (Verminoses)

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Parasitoses Intestinais (Verminoses) by Mind Map: Parasitoses Intestinais (Verminoses)

1. Ascaridíase

1.1. Causada por

1.1.1. Ascaris lumbricoides

1.2. Transmissão

1.2.1. Ingestão de ovos do solo

1.3. Localização

1.3.1. Duodeno e jejuno

1.4. Sintomas

1.4.1. Assintomático (eliminação do verme nas fezes)

1.4.2. Pode levar à

1.4.2.1. Síndrome de Löeffler

1.4.2.2. Oclusão intestinal

1.5. Diagnóstico

1.5.1. Eliminação de vermes nas fezes; EPF

1.6. Tratamento

1.6.1. Mebendazol por três dias

2. Estrongiloidíase

2.1. Causada por

2.1.1. Strongyloides stercoralis

2.2. Transmissão

2.2.1. Penetração de larvas do solo

2.3. Localização

2.3.1. Duodeno e jejuno

2.4. Sintomas

2.4.1. Surtos diarreicos leves

2.4.2. Em imunodeprimidos, pode haver infecção maciça, em que larvas migram para diversos locais do organismo levando à bacteremia (taxa alta de mortalidade)

2.5. Diagnóstico

2.5.1. EPF pelo método de Baerman-Moraes

2.6. Tratamento

2.6.1. Tiabendazol

3. Ancilostomíase

3.1. Causada por

3.1.1. Ancylostoma duodenale; Necator americanus

3.2. Transmissão

3.2.1. Penetração de larvas do solo

3.3. Localização

3.3.1. Duodeno e jejuno: fixa-se à mucosa

3.4. Sintomas

3.4.1. Perversão do apetite, náuseas, diarreia, dor epigástrica, anorexia e flatulência. Na fase crônica, anemia e astenia.

3.5. Diagnóstico

3.5.1. EPF; Hemograma

3.6. Tratamento

3.6.1. Mebendazol ou Albendazol

4. Teníase

4.1. Causada por

4.1.1. Taenia solium; Taenia saginata

4.2. Transmissão

4.2.1. Ingestão de cisticercos em carne de porco ou boi; respectivamente

4.3. Localização

4.3.1. Intestino delgado

4.4. Sintomas

4.4.1. Não existem sintomas típicos. Podem apresenta fadiga, cefaleia, do abdominal, etc.

4.4.2. Pode ocorrer a cisticercose cerebral que pode ocasionar convulsões

4.5. Diagnóstico

4.5.1. Para teníase: EPF, proglotes nas fezes.

4.5.2. Cisticercose: ELISA, exames de imagem

4.6. Tratamento

4.6.1. Praziquantel

5. Himenolepíase

5.1. Causada por

5.1.1. Hymenolepis nana

5.2. Transmissão

5.2.1. Ingestão de ovos nas fezes

5.3. Localização

5.3.1. Íleo

5.4. Sintomas

5.4.1. Diarreias, dor abdominal, agitação, insônia, irritabilidade. Sintomas são mais comuns em imunodeprimidos

5.5. Diagnóstico

5.5.1. EPF pelo método HPJ

5.6. Tratamento

5.6.1. Praziquantel

6. Tricocefalíase ou tricuríase

6.1. Causada por

6.1.1. Trichoceplhaus trichuris, Trichuris trichiura

6.2. Transmissão

6.2.1. Ingestão de ovos do solo

6.3. Localização

6.3.1. Ceco e cólon ascendente

6.4. Sintomas

6.4.1. Assintomática

6.4.2. Em desnutridos: Enterorragia, anemia, diarreia com pus e sangue, prolapso retal

6.5. Diagnóstico

6.5.1. EPF pelo método HPJ

6.6. Tratamento

6.6.1. Mebendazol, Albendazol, Ivermectina

7. Enterobiose

7.1. Causada por

7.1.1. Enterobius vermicularis

7.2. Transmissão

7.2.1. Ingestão de ovos ou fômites

7.3. Localização

7.3.1. Ceco; as fêmeas grávidas chegam à região perianal e rompem-se, liberando os ovos

7.4. Sintomas

7.4.1. Prurido anal, principalmente à noite. Em meninas, vulvovaginite

7.5. Diagnóstico

7.5.1. Método da fita gomada; swab anal

7.6. Tratamento

7.6.1. Mebendazol de 12 em 12 horas. Repetir 15 dias após

8. Esquistossomose

8.1. Causada por

8.1.1. Schistosoma mansoni

8.2. Transmissão

8.2.1. Penetração da larva cercária pela pele em lagoas que existem o caramujo da família Planorbidae

8.3. Localização

8.4. Sintomas

8.4.1. Hepatoesplenomegalia, astenia, diarreia sanguinolenta, dor abdominal, etc

8.5. Diagnóstico

8.5.1. EPF; Kato-Katz

8.6. Tratamento

8.6.1. Praziquantel ou oxamniquina