Create your own awesome maps

Even on the go

with our free apps for iPhone, iPad and Android

Get Started

Already have an account?
Log In

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO by Mind Map: ATENDIMENTO EDUCACIONAL
ESPECIALIZADO
0.0 stars - reviews range from 0 to 5

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO

No art.206 , inciso I, estabelece a "igualdade de condições de acessso e permanência na escola", como um dos principios para o ensino e, garante, como dever do Estado, a oferta do atendimento educacional especializado, preferencialmente na rede regular de ensino(art.208).

No art.205- define a educação como um direito de todos, garantindo o pleno desenvolvimento da pessoa, o exercício da cidadania e a qualificação para o trabalho.

Em 1945 é criado o primeiro atendimento educacional especializado às pessoas com superdotação na Sociedade Pestalozzi.

Imperial Instituto dos Meninos Cegos -1854 e Instituto dos Surdos Mudos-1857 RJ

MARCOS HISTORICOS E NORMATIVOS

Iniciou na época do Brasil Império

Século XX Instituto Pestalozzi-1926 para atender pessoas com deficiência mental

A Lei nº5.692/71 -de Diretrizes e Bases da Educação - Define "tratamento especial" para os alunos com "deficiências fisicas, mentais que se encontram em atraso consideravel quanto a idade regular de matricula e os superdotados"

Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais- APAE -1954

1961- O atendimento educacional às pessoas com deficiência passa a ser fundamentado pela Lei -nº4.024/61 de Diretrizes e Bases da Educação. Onde aponta o direito dos "excepcionais" à educação- dentro do sistema geral de ensino.

Em 1973 o Centro Nacional de Educação Especial - CENESP- responsável pela gerência da educação especial no Brasil- as ações deste conselho não efetiva uma politica pública de acesso universal para os alunos com deficiência e os superdotados.

A Convenção da Guatemala (1999) - promulgada no Brasil pelo Decreto nº3.958/2001 , afirma que as pessoas com deficiência tem os mesmos direitos humanos e liberdades fundamentais que as demais pesoas, e define como discriminação com base na deficiência, toda diferenciação ou exclusão que possa impedir ou anular o exercício dos direitos humanos de suas liberdades fundamentais.

A Constituição Federal de 1988 - no art.3º incisco IV- traz objetivos fundamentais - "promover o bem estar de todos, sem preconceitos de origem, raça, seco, cor,idade e quaisquer outras formas de discriminação."

Lei de Diretrizes da Educação Nacional nº9.394/96- art.59 -preconiza que os sistemas de ensino devem assegurar aos alunos curriculo, métodos, recursos e organização especificos para atender o nível exigido para conclusão do ensino fundamental, em virtude de suas deficiências e, a aceleração de estudos aos superdotados para conclusão do programa escolar. Define normas e organização da educação básica, a "possibilidade de avanço nos cursos e nas séries mediante verificação do aprendizado.

Segundo documento elaborado pela equipe da Secretaria de EDUCAÇÃO ESPECIAL/MEC JAN/2008

No art.24, ressalva -oportunidade apropriadas, considerando as caracterisiticas do alunado, seus interesses, condições de vida e de trabalho.

Novo nó

1999- Decreto nº3.298 que regulamenta a Lei nº7.853/89- disponhe sobre Politica Nacional para Integração de Pessoa Portadora de Deficiência e define a educação especial como uma modalidade transversal a todos os níveis e modalidade de ensino,entazifa a atuação complementar da educação especial ao ensino regular.

Em 2001- com o Plano Nacional de educação -PNE -Lei nº10.172/2001 -destaca o "grande avanço que a decada da educação deveria produzir seria na construção de uma educação inclusiva que garanta o atendimento à diversidade humana"

A Resolução CNE/CEB nº2/2001 art.2º traz mudanças nas Diretrizes Nacionais para Educação Especial na Educação Básica- Determinam que os sistemas de ensino devem matricular todos os alunos, cabendo organizar para o atendimento aos educandos com necessidades educacionais especiais.

A Resolução CNE/CP- nº1/2002, traz a perspectiva da educação inclusiva, e estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação de Professores da Educação Básica, definindo que as instituições de ensino superior devem prever em sua organização curricular uma formação voltada para a atenção à diversidade e contemple conhecimentos sobre as especificidades dos alunos com necessidades especiais.

A Lei nº10.436/02 -Reconhece a Lingua Brasileira de Sinais como meio legal de comunicação e expressão e determina a inclusão da disciplina de Libras como parte do curriculo nos cursos de formação de professores e de fonoaudiologia.

Em 2003, o MEC cria o Programa de Educação Inclusiva:direito à diversidade, e visa transoformar os sistemas de ensino em sistemas educacionais inclusivos, promove um amplo processo de formação de gestores e educadores nos municipios brasileiros para garantir o acesso de todos a escolarização a organização do atendimento educacional especializado e a promoção da acessibilidade.

Em 2004- o Ministério Público Federal divulga o documento O Acesso de Alunos com Deficiência às Escolas e Classes Comuns da rede Regular, com objetivo de dessiminar os conceitos e diretrizes mundiais para a inclusão.

Decreto nº5.296/04 regulamentou as leis nº10.048/00 e nº10.098/00, inpulsinando a inclusão educacional e social, estabelecendo normas e critérios para promoção da acessibilidade às pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida. Surge então o Programa Brasil Acessivel.

O Decreto nº5.626/05 regulamenta a Lei nº10.436/2002 , visando a inclusão dos alunos surdo com direito ao ensino da Lingua Portuguesa como segunda lingua e a organização da educação bilingue no ensino regular.

Em 2005, é implantada os Nucleos de atividade das Altas Habilidades/superdotação, a orientação às famílias e a formação continuada aos profesores.

A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiências, aprovada pela ONU em 2006, da qual o Brasil é signaario, estabelece que os estados partes devem assegurar um sistema de educação inclusiva em todos os niveis de ensino.

Ainda em 2006, A Secretaria Especial dos Direitros Humanos, o MEC, o Ministério da Justiça e a UNESCO, lançam o Plano Nacional de Educação em direitos Humanos que objetiva fomentar no curriculo da educação basica ações afirmativas que beneficiem a escolarização de alunos sem e com deficiênci nas turmas comuns do ensino superior.

Em 2007, durante o Pano de Aceleração do Crescimento-PAC, é lançado o Plano de Desenvolvimento da Educação-PDE, reafirmado pela Agenda Social de inclusão de Pessoas com Deficiência, tem como eixo a acessibilidade arquitetonica dos predios escolares, a implantação de salas de recursos e a formação docente para o atendimento educaconal especializado.

O documento Plano de Desenvolvimento da Educação, traz as razões, principios, programas que reafirmam a educação inclusiva com uma visão sistemica da educação que busca a oposição entre educação regular e educação especial.

O Decreto nº6.094/2007 estabelece dentre as diretrizes do Compromisso Todos pela Educação, a garantia do acesso e permanencia no ensino regular e o atendimento às necessidades educacionais especiais dos alunos, fortalecendo a inclusão educacional nas escolas públicas.