CONTROLE DOS SINAIS VITAIS

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
CONTROLE DOS SINAIS VITAIS by Mind Map: CONTROLE DOS SINAIS VITAIS

1. Os sinais vitais são os parâmetros que a enfermagem deve observar, anotar, registar e o mais importante, avaliar e tomar decisões que melhorem as condições de saúde dos pacientes.

2. Os sinais vitais mais importantes que temos que monitorar e que a seguir desenvolveremos são

2.1. Respiração; Pulso; Temperatura; Pressão arterial

3. Temperatura

3.1. A temperatura é um dos sinais vitais mais fáceis de medir. Para medir esta constante devemos usar um termômetro; atualmente, todos são digitais.

3.1.1. Em geral, admite-se a temperatura axilar ou bucal entre 36 a 37ºC e a retal aumenta mais meio grau, como normais. Devemos nos preocupar se a temperatura estiver abaixo dos 35ºC e se estiver acima dos 38ºC.

4. Respiração

4.1. A respiração é um sinal vital que temos que medir prestando atenção à respiração do paciente, em referência à frequência respiratória que são o número de respirações por minuto. O recém-nascido tem 30 a 40 respirações por minuto. Durante o primeiro ano de vida tem de 26 a 30 resp/min.

4.1.1. Temos que nos preocupar se alguma destas situações acontecer:

4.1.1.1. Eupneia: Entre 12 e 18 respirações por minuto. Taquipneia: Valores acima das 18 respirações por minuto. Bradipneia: Valores abaixo de 12 respirações por minuto.

5. Pressão Arterial

5.1. A pressão arterial é o sinal vital mais complicado de medir e para isso precisamos de um esfigmomanômetro. Se o tiver, deverá pôr o esfigmomanômetro no braço, à altura do bíceps e medir a pressão arterial. A pressão correta seria:

5.1.1. 120 -140 pressão sistólica 70 - 90 pressão diastólica

6. Pulso

6.1. O pulso é um sinal vital muito fácil de medir e o que medimos é a quantidade de pulsações ou batidas ou contrações cardíacas que o coração faz durante um minuto. Os valores normais em um adulto saudável oscilam entre 60 e 80 pulsações por min (ppm). Quando se toma o pulso de um paciente, há que considerar os seguintes aspectos:

6.1.1. Frequência correta: Entre 60 e 90 ppm. Bradicardia: Cifras abaixo de 60 ppm. Pulso acelerado: Entre 90 e 100 ppm. Taquicardia: Acima de 110 ppm

7. CLÉCIA BARBOSA DA COSTA

7.1. ENFERMAGEM NOTURNO