História da enfermagem

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
História da enfermagem by Mind Map: História da enfermagem

1. Assiria e Babilônia

1.1. Mágia

1.1.1. 7 demônios

2. Reorganização dos hospitais

3. Pré-cristão

3.1. Sacrifícios

3.1.1. Massagens

3.1.2. Banhos frios ou quentes

3.1.3. Purgativos

4. Egito

4.1. Hipnotismo

4.2. Interpretação de sonhos

5. Índia

5.1. Suturas

5.2. Amputações

5.3. Contribuição para o desenvolvimento da enfermagem e da medicina

5.3.1. Construção de hospitais

6. China

6.1. Cuidados pelos sacerdotes

6.2. Plantas medicinais

6.3. Criaram alguns hospitais de isolamento e casas de repouso

7. Japão

7.1. Eutanásia

8. Grécia

8.1. Consideravam o nascimento e a morte como algo impuro

8.1.1. Desprezo pela obstetricia

8.2. Hipocrates

8.2.1. Tornou a medicina científica

8.2.1.1. Considerado o “Pai da medicina”

8.2.2. Reconheceu doenças

8.2.2.1. Tuberculose

8.2.2.2. Malaria

8.2.2.3. Histeria

8.2.2.4. Neurose

8.2.2.5. Luxacões

8.2.2.6. Fraturas

9. Roma

9.1. Sem prestígio

9.1.1. Cuidados realizados por escravos ou estrangeiros

10. Empirismo

10.1. Século V a.C

10.2. Santuários e escolas

11. Origem da enfermagem

11.1. Prática leiga

11.1.1. Desenvolvida por religiosos

11.1.1.1. abrange o período medieval, entre os séculos V e XIII

11.1.1.1.1. Características que dão à Enfermagem sentido de sacerdócio.

11.2. Final do século XIII ao início do século XVI

11.2.1. Retomada da ciência

11.2.2. Não apresentaram crescimento para a enfermagem

11.2.2.1. Hospitais passam a ser insalubres

11.2.2.2. Considerada um serviço doméstico

11.2.2.2.1. Indigna e sem atrativo para mulheres de classe social elevada

11.3. Século XVI

11.3.1. Revolução industrial

11.3.1.1. Surgimento da enfermagem moderna

11.3.2. Surgimento da enfermagem como atividade profissional institucionalizada.

12. Enfermagem moderna

12.1. Piores condições

12.1.1. Predominância de doenças

12.1.2. Falta de pessoas especializadas

12.2. Hipócrates comunicava que leigos não deveriam tomar decisões, mas sim quem tivesse conhecimento e habilidade.

12.3. Alguns médicos se destacaram na era cristã

12.3.1. Paracelso, André Vesálio, Gabriel Falopio, Ambrósio Paré e Leonardo da Vinci

12.4. Mudanças na sociedade

12.4.1. Homens de casta privilegiada de ordem militar e religiosa cuidavam dos doentes

12.4.2. Cristãos passaram a dedicar sua vida para cuidar dos enfermos

12.4.2.1. Busca da salvação eterna

12.4.2.1.1. Alguns ficaram reconhecidos pela igreja como santos

13. Florente Nightingale

13.1. Fundadora da enfermagem moderna

13.2. Inteligência incomum

13.3. Dominava o inglês, latim, francês, alemão, italiano e grego

13.4. Estuda atividades das irmandades católicas em Roma, no ano de 1844

13.5. Em 1849 faz uma viagem para o Egito

13.5.1. Decidi servir a Deus e seguir sua vocação

13.5.1.1. Visita o hospital de Dublin, doirigido pelas irmãs da misericórdia. Conhece as irmãs da caridade de São Vicente de Paulo

13.6. 1854

13.6.1. Guerra da Crimeia

13.6.1.1. Florence viaja para Scutari com 38 voluntarias

13.6.1.1.1. A mortalidade cai de 40% para 2%

13.7. Dedica-se com ardor e recebe um prêmio do Governador inglês

13.7.1. Inicia uma escola de enfermagem em 1959

13.7.2. Pós guerra

13.7.2.1. Fundou uma escola de enfermagem no hospital Saint Thomas

13.7.2.1.1. Modelo para as futuras escolas

13.7.2.1.2. Disciplina rigorosa

13.7.2.1.3. Aulas ministraras por médicos

14. Escolas de enfermagem

14.1. Alfredo Pinto

14.1.1. Mais antiga do Brasil, em 1890

14.1.1.1. Reorganizada por Maria Pamphiro

14.2. Cruz Vermelha

14.2.1. Iniciou em 1916 com um curso de socorrista

15. Cruz vermelha

15.1. A Cruz vermelha foi organizado e instalada no Brasil em fins de 1908

15.1.1. Primeiro presidente o médico Oswaldo Cruz.

15.1.1.1. Atuou socorrendo vítimas das inundações, muitas das socorristas dedicaram-se ativamente à formação de voluntárias, continuando suas atividades após o término do conflito.

15.2. A Primeira Guerra Mundial.

15.2.1. 1914-1918

15.2.2. Brasil só se manifestou em 1917

15.2.2.1. A participação da enfermagem era para evitar doenças, minimizando as epidemias

15.2.2.1.1. Para a população feminina a guerra teve um grande impacto

15.3. 1918 a 1939

15.3.1. Período entre guerras

15.3.1.1. Criação de novas escolas de enfermagem

16. Hospital Jesus

16.1. 1935 a 1938

16.1.1. Primeira gestão do Serviço de Enfermagem

16.2. Chefia do serviço de enfermagem

16.2.1. Lucinda de Araújo Silva

16.2.1.1. Formada pela escola Alfredo Pinto

16.3. Década de 20

16.3.1. Reorganizado dos serviços de saúde

16.3.1.1. Criação do DNSP - Departamento Nacional de Saúde Pública

16.4. Criação de um lactário

16.4.1. Reconhecido como hospital referência para o atendimento a criança

17. Anna Nery

17.1. Pioneira da enfermagem no Brasil

17.1.1. Sem querer ficar longe dos filhos ela pediu ao presidente da província da Bahia para que ela pudesse prestar serviços nos hospitais do Rio Grande do Sul

17.1.1.1. Prestou serviço de enfermeira durante toda a guerra

17.1.2. Serviu como voluntária na Guerra do Paraguai (1864-1870), como auxiliar do corpo de saúde do Exército brasileiro

17.1.3. Em 1923

17.1.3.1. A primeira escola oficial brasileira de enfermagem recebeu o nome de Ana Néri