MEDICINA,EUGENIA E CRIME NO BRASIL

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
MEDICINA,EUGENIA E CRIME NO BRASIL by Mind Map: MEDICINA,EUGENIA E CRIME NO BRASIL

1. Ed. física: buscava construir corpos considerados saudáveis. sãos, vigorosos, ágeis, estéticos. A energia física se transformaria em força de trabalho. Cria-se padrões universais. A Educação Física Higienista foi a fase que aconteceu até o ano de 1930, e se preocupava em colocar a EF como agente potencializadora de saneamento público, dava ênfase à questão da saúde, e tinha a EF como importante papel de formação de homens sadios e fortes, na busca de uma sociedade livre de doenças infecciosas e dos vícios que deterioravam a saúde e o caráter dos homens.

2. Esta fase emergiu também na época da criação das leis abolicionistas, onde, os negros,recém libertos, se deslocaram para as cidades em busca de trabalho, e encontravam as péssimas condições de trabalho, moradia e a falta de saneamento básico que eram propícias ao surgimento de doenças. Neste momento, a escola passa a ter um papel de fundamental importância para disseminar hábitos de higiene, e a Educação Física como a disciplina que melhor abordaria essas questões em um contexto amplo de abordagens

3. (conclusão do grupo)o discurso médico do século XIX traz uma representação da organização da sociedade brasileira por meio da relação do ambiente e lugar. No entanto, tal representação cria um performance, uma estilística própria de identidade, sem levar em consideração a grande diversidade no Brasil, sejam elas raciais, econômicas ou sociais. O Brasil é um país que possui diferentes povos, de diferentes lugares, e isso deve ser levado em conta para formular o imaginário médico brasileiro. Apesar de ser de grande relevância considerar a relação existente entre doença e lugar, não é suficiente para formar o discurso médico de qualidade.

4. 3- Pauta higienista e Anatomoclínica (primeira tradição médica a se tornar internacional): a doença estará relacionada ao temperamento e estrutura peculiar de um indivíduo.

5. Quando o governo decide destruir o cortiço Cabeça de Porco, por exemplo, é nítido que a preocupação maior, não está relacionada a insalubridade do local, mas sim em apagar o passado escravocrata do Brasil. Tinha -se o objetivo de demolir socialmente os indivíduos que residiam no local. Não há políticas públicas para atender a essa escassez de insumos básicos que faltavam para uma melhor qualidade de vida, mas sim um discurso de criminalização da pobreza e da comunidade negra.

6. 1-No século XIX, o discurso médico baseava-se na relação entre doença e lugar. A doença estaria limitada a cada região.

7. 2-relação dinâmica e não ontológica da doença, trazendo assim, uma ideia de pluricausal que ligam o individuo doente ao meio ambiente.

8. 5-A doença é cultural - como determinada sociedade se relaciona com a doença, qual o lugar social que a sociedade dá para o doente (s)

9. O higienismo "chega " ao Brasil no final do séc XIX, principalmente no Rio de Janeiro e São Paulo amparado pela expansão política da medicina.

10. A ciência serve para implementar o projeto higienista de forma coercitiva . Ex: o desenvolvimento da Educação Física higienista estava ligado às preocupações das elites com os problemas advindos da crescente industrialização.

11. Processo Civilizador

11.1. Processo Civilizador consiste em compreender o curso das transformações gerais da sociedade, que ocorreram na longa duração e na direção de um processo de civilização

11.1.1. O processo civilizador é construído a partir da teoria das configurações sociais, ou seja, como uma configuração inicial de poder político, econômico, social se transforma em outra, e concomitantemente, são transformadas as estruturas de personalidade dos indivíduos. Se não estudamos a relação entre estrutura política, poder e a personalidade dos indivíduos em sua conduta, não estudamos o processo civilizador.

12. A influencia do movimento higienista e sanitarista nas politicas publicas do Brasil levaram, não somente a criação de uma nova ideal de doença, mas criaram também uma margem para que ações criminais, ações essas que tem como um marco inicial a derrubada do cortiço cabeça de porco. é ainda é possível ver resquícios dessas influencias ideológicas em são paulo quando a ditadura militar acontece, e leis como a proibição da vadiagem, operação tarantula entre outras com o mesmo caráter higienista.

12.1. A operação tarantula foi um movimento criado inicialmente para combate do HIV/AIDS. que acabou virando uma forma de extermino de travestis e transexuais nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro