Inflação

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Inflação by Mind Map: Inflação

1. Definição

1.1. Inflação

1.1.1. Inflação é o aumento PERSISTENTE e GENERALIZADO no nível de preços

1.2. Hiperinflação

1.2.1. Alguns autores a definem como taxas superiores a 50% ao mês

2. Teorias

2.1. Inflação de demanda

2.1.1. É considerado o tipo mais clássico de inflação

2.1.2. Diz respeito ao excesso de demanda agregada em relação à produção disponível de bens e serviços.

2.1.3. Ela pode ser entendida como "dinheiro demais à procura de poucos bens"

2.1.4. A probabilidade de inflação por demanda aumenta quanto mais a economia estiver próxima do pleno emprego de recursos.

2.1.5. O caso de inflação por demanda pode ser ilustrado graficamente em termos de curvas de oferta e demanda agregada

2.1.5.1. gráfico

2.1.5.1.1. A curva de oferta OA permanece praticamente estável, enquanto a demanda agregada DA é elevada de DA0 para DA1.

2.1.6. O dinheiro circula em velocidade constante

2.1.6.1. se mais dinheiro é colocado no sistema

2.1.6.1.1. as pessoas têm mais dinheiro no bolso e desejam comprar mais bens e serviços

2.1.7. Como combater

2.1.7.1. A política anti-inflacionária preconizada para combater esse tipo de inflação assenta-se em instrumentos que provocam redução da procura agregada por bens e serviços como

2.1.7.1.1. elevação da taxa de juros

2.1.7.1.2. restrições de créditos

2.1.7.1.3. aumento de impostos

2.1.7.1.4. redução dos gastos públicos

2.2. Inflação de oferta ou de custos

2.2.1. A inflação de custos pode ser associada a uma inflação tipicamente de oferta

2.2.2. O nível de demanda permanece o mesmo, mas os custos de certos insumos importantes aumentam e eles são repassados aos preços dos produtos

2.2.3. A inflação de custos também pode ser ilustrada pelas curvas de oferta e demanda agregada

2.2.3.1. gráfico

2.2.3.1.1. A demanda agregada DA permanece relativamente estável, enquanto a oferta agregada OA retrai-se de OA0 para OA1.

2.2.4. O preço de um bem ou serviço tende a ser bastante relacionado a seus custos de produção

2.2.4.1. Se os custos aumentam, mais cedo ou mais tarde o preço do bem provavelmente aumentará

2.2.5. O que caracteriza, na realidade, a expressão INFLAÇÃO DE CUSTOS é o aumento de preços devido a pressões autônomas

2.2.5.1. essas pressões são causadas pela circunstância de que alguns grupos econômicos, como sindicatos e empresas oligopolistas, têm suficiente poder de barganha para forçarem aumentos de sua participação na renda nacional

2.2.6. A inflação de custos também pode ser causada por aumentos autônomos nos preços de matérias primas básicas

2.2.6.1. crise de petróleo

2.2.6.2. choques agrícolas

2.2.7. Como combater

2.2.7.1. A política anti-inflacionária usual, no caso de inflação de custos, é o controle direto de preços, o que pode ocorrer tanto por meio de

2.2.7.1.1. Política salarial mais rígida

2.2.7.1.2. Maior fiscalização sobre lucros auferidos pelos grupos oligopolistas

2.2.7.1.3. controle ou tabelamento de preços de produtos

2.3. Inflação inercial

2.3.1. Segundo a visão inercialista, os mecanismos de indexação formal (contratos, aluguéis, salários) e informal (reajustes de preços, industria, tarifas públicas) provocam a perpetuação das taxas de inflação anteriores, que são sempre repassadas aos preços correntes.

2.3.2. Como combater

2.3.2.1. Congelamento de preços e salários

2.3.2.2. Troca de unidade monetária

2.4. Inflação de expectativas

2.4.1. A inflação de expectativas estaria relacionada aos aumentos de preços provocados pelas expectativas dos agentes de que a inflação futura tende a crescer; e eles procuram resguardar suas margens de lucro

3. Efeitos

3.1. Efeito sobre a distribuição de renda

3.1.1. A inflação reduz o poder aquisitivo das classes que dependem de rendimentos fixos, que possuem prazos legais de reajuste.

3.1.1.1. Mais afetados

3.1.1.1.1. Assalariados

3.1.1.1.2. trabalhadores de baixa renda

3.1.1.2. A inflação funciona como um imposto sobre os pobres

3.2. Efeitos sobre o balanço de pagamentos

3.2.1. Elevadas taxas de inflação encarecem o produto nacional relativamente ao produzido no exterior

3.2.1.1. Assim, provocam estímulo às importações e desestímulo às exportações, diminuindo o saldo da balança comercial.

3.2.2. Esse processo tende a criar um ciclo vicioso

3.2.2.1. Para diminuir o déficit da balança comercial, o governo desvaloriza a moeda nacional

3.2.2.1.1. Isso diminui as importações e fortalece as exportações

3.3. Efeitos sobre as expectativas

3.3.1. O setor industrial é bastante sensível à inflação, dadas a instabilidade e a imprevisibilidade de seus lucros

3.3.2. Os empresários tendem a diminuir investimentos

3.3.2.1. o que diminui a capacidade produtiva futura

3.3.2.1.1. e atinge o nível de emprego

3.4. Efeitos sobre o mercado de capitais

3.4.1. Ocorre desestímulo à aplicação de recursos no mercado de capitais financeiros

3.4.1.1. As aplicações em cadernetas de poupança devem sofrer retrações

3.4.2. Por outro lado, a inflação estimula a aplicação de recursos em bens de raiz que costumam valorizar-se durante o processo inflacionário

3.4.2.1. terras

3.4.2.2. imóveis