Câncer do canal anal e Anus

Bibliografia = Clinica Cirúrgica do CBC - Dr. Renato Araújo Bonardi, Marcus de Abreu Bonardi

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Câncer do canal anal e Anus by Mind Map: Câncer do canal anal e Anus

1. Classificação quanto as metástases

1.1. Mx = Não avaliadas

1.2. M0 = Ausência de metástases

1.3. M1 = Presença de metástases

2. Classificação quanto aos linfonodos

2.1. Nx = Não podem ser avaliados

2.2. N0 = Ausencia de comprometimento

2.3. N1 = Linfonodos perirretais

2.4. N2 = Linfonodos ilíacos internos ou inguinais

2.5. N3 = Linfonodos periferias e inguinais / iliacos

3. Estadiamento

3.1. Doença locorregional e classificado de acordo com o tamanho, acometimento linfonodal (inguinal, pélvicos, perirretais ou ilíaca interna) e metástases (fígado ou pulmão)

3.2. Anamnese / Exame fisico / Exame de imagem

3.2.1. Infecção HPV, tabagismo, verrugas anais, neoplasias genitais

3.2.2. Palpação das cadeias linfáticas inguinais, inspeção, anuscopia, biopsia de lesões.

3.2.3. TC ou RNM definem a extensão e metástases linfáticas. USG endorretal. Rx do tórax.

4. Tipos

4.1. Carcinoma epidermoide ou de células escamosas

4.1.1. 75% das neoplasias malignas

4.1.2. Carcinogenese = HPV 16 ou 18

4.2. Tumores pouco comuns da margem anal

4.2.1. Carcinoma basocelular

4.2.2. Doeuça de Paget

4.2.3. Doença de Bowen

4.2.4. Carcinoma verrucoso perianal

4.2.5. Mais comuns em homens

4.3. Tumores pouco comuns do canal anal

4.3.1. Carcinoma cloacogenico ou transicional

4.3.2. Melanoma maligno do anus

4.3.3. Carcinoma de glândulas anais ou intraductal

4.3.4. Mais comuns em mulheres

5. Classificação quanto ao tumor

5.1. Tx = Não pode ser avaliado

5.2. T0 = sem evidencias de tumor

5.3. Tis = Carcinoma in situ

5.4. T1 = Tumor com 2 cm ou menos

5.5. T2 = Tumor > 2 cm ou < 5 cm

5.6. T3 = Tumor > 5 cm

5.7. T4 = Invasão de órgãos.

6. Estágios

6.1. 0 = Tis + N0 + M0

6.2. I = T1 + N0 + M0

6.3. II = T2 - T3 + N0 + M0

6.4. IIIA = T1 - T3 + N1 + M0 ou T4 + N0 + M0

6.5. IIIB = T4 + N1 + M0 ou Qualquer T + N2 - N3 + M0

6.6. IV = Qualquer T + qualquer N + M1

7. Tratamento

7.1. Radioterapia

7.2. Quimioterapia

7.2.1. 5-fluoracil (5-FU)

7.2.2. Mitomicina-C

7.3. Amputação abdominoperineal com ostomia definitiva

8. Clinica

8.1. Tardias e relacionadas com tamanho do tumor

8.1.1. Prurido anal

8.1.2. Desconforto ao sentar

8.1.3. Sensação de massa no períneo

8.1.4. Dor

8.1.5. Sangramento

8.1.6. Incontinência fecal

8.2. Diagnostico = biopsia

8.3. Macroscopia = Lesão elevada, ulcerada ou fissurada, bordos endurecidos.

8.3.1. Se avançada pode infiltrar planos profundos ou esfincteres

9. Seguimento

9.1. Primeiro ano

9.1.1. Exame clinico, toque retal, anuscopia de 2/2 meses + Rx tórax + TAC ou RNM de 4/4 meses

9.2. Segundo ano

9.2.1. Exame clinico, toque retal, anuscopia de 2/2 meses + Rx Tórax + TAC ou RNM de 6/6 meses

9.3. Terceiro ano

9.3.1. Exame clinico, toque retal, anuscopia de 3/3 meses + Rx Tórax + TAC ou RNM de 6/6 meses

9.4. Quarto ano

9.4.1. Exame clinico, toque retal, anuscopia de 6/6 meses + Rx Tórax + TAC ou RNM 1 x ao ano

9.5. Quinto ano

9.5.1. Exame clinico, toque retal, anuscopia de 6/6 meses + Rx Tórax + TAC ou RNM 1 x ao ano