Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Química by Mind Map: Química

1. Tudo é química

1.1. Liberação de energia

1.1.1. Liberação de energia: Quando elétrons estão excitados aumentam a quantidade de energia, quando volta ao estado normal libera a energia, por vezes em forma luminosa.

1.1.1.1. Fogos de artifícios

1.1.1.1.1. Substancias+ pólvora

1.1.1.2. Bioluminoscência

1.1.1.2.1. vagalume

1.1.1.3. Luminescência

1.1.1.3.1. Quando um objeto emite a radiação recebida

1.1.1.4. Fluorecência

1.1.1.4.1. Quando emite a radiação logo após receber.

1.1.1.5. fosforecência

1.1.1.5.1. Quando emite a radiação alguns segundos após receber a radiação.

1.2. Vida

1.2.1. Fotosintese

1.2.2. Digestão e demais funcionamentos do corpo

1.2.3. Evolução das especies.

1.3. Transformação e reciclage

1.3.1. Tratamento da água

1.3.2. cultivar alimentos, seja natural ou artificial

1.3.3. reciclagem

1.3.3.1. Vidro, metal, papel, plastico

1.3.4. decomposição.

1.3.5. Remédios e drogas

2. Formulas e exemplos

2.1. Exemplos

2.1.1. Equilibrio

2.1.1.1. CaO + CO2 = CaCO3

2.1.2. Acidez e Basicidade

2.1.2.1. http://www.soq.com.br/formulas/equilibrio/index_clip_image008.gif

2.2. Fórmulas

2.2.1. Equilibrio

2.2.1.1. http://www.soq.com.br/formulas/equilibrio/index_clip_image002.gif

2.2.1.2. KC = constante de equilíbrio em função das concentrações P = concentração dos produtos p = coeficiente estequiométrico dos produtos R = concentraçãos dos reagentes r = coeficiente estequiométrico dos reagentes Dica: a constante de equilíbrio é adimensional, ou seja, não tem unidade.

2.2.2. Acidez e basicidade

2.2.2.1. O produto iônico da água é dado por: http://www.soq.com.br/formulas/equilibrio/index_clip_image012.gif http://www.soq.com.br/formulas/equilibrio/index_clip_image014.gif

2.2.3. PH

2.2.3.1. O cáluclo de pH serve para calcular o valor da concentração de íons H+ em uma solução. É uma função de p, assim como pOH é uma função, mas que calcula a quantidade de íons OH- em uma solução. http://www.soq.com.br/formulas/equilibrio/index_clip_image016.gif http://www.soq.com.br/formulas/equilibrio/index_clip_image016.gif

2.2.3.2. Dica: A faixa de pH varia de 0 a 14. Se uma solução está entre 0 e 7 ela é considerada ácida. Se é 7, será considerada neutra. Se a faixa está entre 7 e 14 é uma solução básica. Pode-se calcular o pH através do pOH e vice-versa: Veja a fórmula utilizada: http://www.soq.com.br/formulas/equilibrio/index_clip_image018.gif

2.3. http://www.soq.com.br/ http://www.soq.com.br/formulas/

3. Conceitos

3.1. Átomo

3.1.1. Numero de átomos Z = P = E

3.1.2. Numero de Massa A = P+ N

3.2. PH

3.2.1. pH significa "potencial Hidrogeniônico", uma escala logarítmica que mede o grau de acidez, neutralidade ou alcalinidade de uma determinada solução.

3.2.1.1. A escala compreende valores de 0 a 14, sendo que o 7 é considerado o valor neutro. O valor 0 (zero) representa a acidez máxima e o valor 14 a alcalinidade máxima. Valores abaixo de zero ou superiores a 14 também podem ser verificados em algumas substâncias.

3.2.1.1.1. Vinagre: 2,9 Coca-cola: 2,5 Saliva Humana: 6,5 - 7,4 Água natural: 7 Água do mar: 8 Cloro: 12,5

3.2.1.1.2. A diminuição do pH no sangue humano está relacionado com o surgimento de doenças. O valor normal do pH sanguíneo deve ser 7,4. Abaixo desse valor, a acidez do sangue torna-se um meio propício para os mais variados fungos, bactérias e vírus. Medições do pH da saliva de pacientes com câncer registraram valores entre 4,5 e 5,7.

3.3. Íon

3.3.1. Cátion

3.3.1.1. Perde elétrons, portanto possui carga positiva.

3.3.1.1.1. MonoPositivo BiPositivo TriPositivo TetraPositivo

3.3.2. Ânion

3.3.2.1. Ganha elétrons, logo possui carga negativa, mas ainda VALEM à pena.

3.3.2.1.1. MonoValente BiValente TriValente TetraValente

3.4. Oxidar

3.4.1. Doar eletróns

3.5. Reduzir

3.5.1. Receber elétrons

3.6. Saturado

3.6.1. Somente ligações simples na cadeia carbônica.

3.7. Insaturado

3.7.1. Contém ligações dupla ou tripla na cadeia carbônica.

3.8. Nomenclatura de ligações na cadeia carbônica (A,E,I)

3.8.1. Acano = uma ligação

3.8.2. Alceno= dupla ligação

3.8.3. Alcino= tripla ligação

3.9. Alcalina

3.9.1. Tem o pH alto, ou seja, baixa acidez.

4. Quimica Ambiental

4.1. Foco: fazer entender que a quimica contribui para a qualidade da vida e do meio ambiente.

4.1.1. Água

4.1.1.1. IQA (indice de qualidade da Água)

4.1.1.1.1. Assoreamento ou acumulo de sedimentos(fezes, barro, argila, etc.)

4.1.1.1.2. Poluição térmica, quando um liquido ou produto químico causa a elevação das temperaturas da água, prejudicando a dissolução do oxigênio.

4.1.1.1.3. Mare negra ou derramamento de petróleo, causa uma camada de barreira na superfície da água, impedindo os raios de sol passar e prejudica a fotossíntese do fito planto.

4.1.1.1.4. Eutrofização, quando há um aumento na quantidade dos nutrientes da água.

4.1.1.1.5. Eutrofização, aumento na quantidade de algas na superfície, também impedem os raios de sol de chegarem aos demais organismos.

4.1.2. Solo

4.1.2.1. Chorume é uma substancia altamente toxica, que é causada pelo lixão.

4.1.3. Atmosfera

4.1.3.1. Qualidade Atmosférica: Nem sempre a região que produz maior Índice de poluição é a mais afetada.

4.1.3.1.1. Aquecimento Global

4.1.3.1.2. Chuva acida

4.1.4. Pesticidas, é um exemplo de substancia que ataca todos os setores do ambiente, sendo que agridem a agricultura, fazendo com que a cadeia alimentar que se iniciar nesse agriculo seja totalmente prejudicada. pode causar câncer.

4.1.5. Poluição radioativa e nucleares, também agridem a todo o ambiente.

4.2. https://www.youtube.com/watch?v=G6oZxId0l8U https://www.youtube.com/watch?v=utxzvj61WmI

5. Química do Cotidiano

5.1. Principais ácidos e seus usos

5.1.1. – HF (fluoreto de hidrogênio) gás HF(aq.) ácido fluorídrico: ácido fraco, possui propriedades que o tornam extremamente perigoso. Único ácido que existe que corrói o vidro, utilizado para fazer gravações no vidro.

5.1.2. – HCl (cloreto de hidrogênio): gás incolor ou levemente amarelado, tóxico. HCl(aq.) (ácido clorídrico): ácido forte, corrosivo. Nome comercial: ácido muriático, usado em processamento de alimentos, limpezas em geral (pisos, metais). Compõe o suco gástrico.

5.1.3. – HCN (cianeto de hidrogênio): gás de ação venenosa mais rápida que se conhece. 0,3 mg por litro de ar é imediatamente mortal. Usado na câmara de gás para condenados à morte nos EUA. HCN(aq.) (ácido cianídrico): ácido fraco. Nome comercial: ácido prússico. Usado na fabricação de plásticos, acrilonitrila, corantes, fumigantes para orquídeas.

5.1.4. – H2S (sulfeto de hidrogênio): gás incolor, odor semelhante ao de ovos podres, tóxico e inflamável. H2S(aq.) (ácido sulfídrico): ácido fraco, usado como redutor, na purificação de ácidos sulfúrico e clorídrico.

5.1.5. – H2SO4 (aq.) (ácido sulfúrico): ácido forte, fixo (alto ponto de ebulição), em contato com a pele causa destruição dos tecidos (carbonização), a inalação de vapores pode causar perda de consciência e sérios prejuízos pulmonares. A dissolução em água, por ser altamente exotérmica, deve ser feita adicionando-se o ácido lentamente e sob agitação na água. Usado na fabricação de fertilizantes como os superfosfatos, corantes, tintas, explosivos, baterias de automóveis, refinação do petróleo, decapante de ferro e aço.

5.1.6. – HNO3 (nitrato de hidrogênio): líquido incolor, sufocante, tóxico. HNO3 (aq.) (ácido nítrico): ácido forte, oxidante, corrosivo. Usado na fabricação de nitrato para fertilizantes ou explosivos, corantes, drogas e sínteses orgânicas. Conhecido como aqua fortis pelos alquimistas.

5.1.7. – H2CO3 (carbonato de hidrogênio) H2CO3 (aq.) (ácido carbônico): ácido fraco e instável. Em solução aquosa estabelece o equilíbrio: CO2 + H2O ⇌ H2CO3 ⇌ H + + HCO3 1- . É o que acontece nos refrigerantes com a introdução de CO2 (gás carbônico)

5.2. Principais bases e seus usos

5.2.1. – NaOH – hidróxido de sódio (soda cáustica), sólido branco, cristalino, higroscópico, absorve água e gás carbônico (CO2) do ar, tóxico. Usado na fabricação de produtos químicos, celofane, rayon, sabões duros e detergentes, no refino do petróleo, no desentupimento de tubulações de esgoto, na extração da celulose e obtenção do papel, no processamento de indústrias têxteis.

5.2.2. – KOH – hidróxido de potássio (potassa cáustica), sólido branco, cristalino, absorve água e CO2 do ar, tóxico. Usado na fabricação de sabões moles como o creme de barbear, alvejamento, no processamento de alimentos, como reagente em laboratório.

5.2.3. – NH4OH – hidróxido de amônio (hidrato de amônio). É uma base fraca, e só existe em solução pela dissolução de até 30% de amônia (NH3) em água; odor forte e sufocante, tóxico e irritante dos olhos. Usado na produção de sais de amônio, na limpeza doméstica, em sínteses orgânicas, na indústria têxtil, fabricação de fertilizantes, no tratamento de madeira à prova de incêndios.

5.2.4. – Ca(OH)2 – hidróxido de cálcio (cal apagada, cal extinta, cal hidratada). Sólido branco, pouco solúvel em água. Usado na preparação de argamassa (areia + cal), na construção civil, na purificação do açúcar comum.

5.2.5. – Mg(OH)2 – hidróxido de magnésio. Sua suspensão aquosa é chamada leite de magnésia. Usado em medicina como antiácido estomacal e laxante intestinal suave.

5.2.6. – Al(OH)3 – hidróxido de alumínio. Base fraca, forma na água uma solução coloidal (gelatinosa). Usada na limpeza de piscinas, como antiácido estomacal, é subproduto de extintores de incêndio com espuma à base de CO2.

5.3. Principais sais e seus usos

5.3.1. – NaCl – cloreto de sódio.Sólido cristalino, principal constituinte do sal de cozinha. Conhecido como sal marinho ou sal-gema. Usado na alimentação e conservação de carnes.

5.3.2. – NaNO3 – nitrato de sódio (salitre-do-Chile). Sólido cristalino e inodoro e de sabor amargo moderadamente tóxico. Usado em propelentes de foguetes, em fertilizantes, na fabricação de vidro, em pólvora negra, na dinamite, como preservativo de alimentos, como afrodisíaco.

5.3.3. – Na2CO3 – carbonato de sódio (soda, barrilha).Pó branco ou levemente acinzentado. Usado na fabricação de vidro, sabões e detergentes, celulose e papel, como desengraxante, na refinação do petróleo, em limpeza geral.

5.3.4. – NaHCO3 – bicarbonato de sódio ou hidogeno carbonato de sódio. Sal que reage com a água liberando CO2 e produzindo NaOH. É princípio ativo dos efervescentes usados no combate à acidez estomacal. Usado também como fermento em pães. É componente de extintores de incêndio a pó seco ou úmido.

5.3.5. – Na2SO3 – Sulfito de sódio. Sólido cristalino. Usado na conservação de alimentos, refinação de açúcar, na clarificação do papel (papel sulfite).

5.3.6. – CaCO3 – Carbonato de cálcio. Sólido branco, insolúvel em água, encontrado no mármore, no calcário, na calcita etc. É utilizado na fabricação da cal virgem ou cal viva, do cimento, vidro etc., na agricultura para correção da acidez do solo, nas siderúrgicas como fundente.

5.3.7. NaF - Fluoreto de sódio, é um sal inorgânico, haleto alcalino, de fórmula mínima NaF, derivado do HF. É usado na prevenção de cáries dentarias, e na fabricação de pastas de dentes e inseticidas, na fluoretação de água potável, e como preservante de madeira. por ser usado em cremes dentais, ele inibe a desmineralização dos dentes, tornando-os menos suscetíveis a cárie. Óbito pode ocorrer caso ingeridos 16 mg/kg de fluoreto de sódio, todavia, os cremes dentais de 90 g comercializados possuem cerca de 100 mg de fluoreto. Em antissépticos bucais a quantidade de fluoreto de sódio é de 0,225 mg/ml.

5.3.8. - NaClO - Uma solução de hipoclorito de sódio é usada frequentemente como desinfetante e como agente alvejante; na verdade, é frequentemente chamado por apenas "alvejante", embora outros produtos químicos sejam chamados assim também. É um sal com caráter básico, solução aquosa

5.3.9. - BaSO4 - Sulfato de bário É pouco solúvel em água e outros solventes tradicionais, mas é solúvel em ácido sulfúrico concentrado.É muito comum em minérios de bário. O sulfato de bário tem uso presente na fabricação de papéis fotográficos, pigmentos artificiais de marfim, celofane, enchimento de borracha, linóleo, fibras e resinas, papel, tintas, pigmento para a coloração de papel colorido e é usado como pigmento verde em fogos de artifício.

6. Eletroquímica

6.1. Estudo das reações que produzem corrente elétrica ou são produzidas por corrente elétrica.

6.1.1. Pilha e Bateria: reação espontâneas de oxirredução que produz corrente elétrica.

6.1.2. Eletrólise: Corrente elétrica que produzira espontaneamente uma reação de oxirredução.

6.2. https://www.youtube.com/watch?v=DjSg1goLzC0

7. NOX, Balancemaneto Oxirredução

7.1. Oxirredução,

7.1.1. é quando um átomo (Agente redutor) doa elétron ao outro átomo(Agente Oxidante).

7.1.1.1. Naº Cl+ : Sódio (Na) doa um elétron para o Cloro (Cl), logo, Cloro fez o sódio oxidar, Cloro é um agente Oxidante. Na > Cl : Sódio doou um elétron pro Cloro, logo, Sódio é um agente redutor. Na+ Clº : Sódio fica positivo, pois perdeu uma carga negativa. E Cloro Estabiliza, pois ganhou um Elétrón que faltava.

7.1.2. Agente (Re)dutor= recebe elétrons Agente Oxi(da)nte = dá elétrons

7.2. NOX

7.2.1. Ligação Íonica

7.2.1.1. MgF2: Magnésio (Mg) doa elétrons para as duas moléculas de Flúor, logo Mg² F-: Magnésio perdeu dois elétrons, então ficou Bipositivo. os Flúor's ganharam elétrons, então cada molécula de Fluor ficaram negativos (Monovalente) Isso é uma ligação real.

7.2.1.2. H2O : Oxigenio (O) compartilha um elétron com cada molécula de Hidrogênio (H), assim sendo, O oxigênio fica bivalente, e cada molécula de hidrogênio fica Positiva. H+O-² : Porém essa é uma ligação aparente, ou seja, ela não é real. Pois o Oxigênio está compartilhando o elétron que ainda é dele.

7.2.2. Ordem de preferencia de ganho de elétron. F,O,N,Cl,Br,I,S,C,P,H.

7.2.3. Hoje Li Na Kama Robson Crusoe Frances (Familia 1 A) H L Na Ka Rb Cr Fr +1 Folclore Brasileiro Invade Atenas (Familia 7A) F Cl Br I At -1

7.2.3.1. Dicas: Substancia simples ou sozinha Nox = 0 *Família 1A (metais alcalinos) Nox= +1 *Família 2A Nox= +2 *Familia 6A (a direita da fórmula) Nox = -2 *Familia 7A (a direita da fórmula) Nox = -1 *Nox Fixos importantes. Ag(prata)= +1 Zn(zinco)=+2 Al (aluminio)= 3 *H (hidrogênio) Nox=+1; exeção Quando é Hidreto metálico, ou seja, ligado a familia 1A e 2A NOX=-1 *Oxigenio Nox= -2 com exceção de Peroxido {exemplo H2O2(água óxigenada)} Nox= - 1 Superóxido (contém, mais de dois oxigênio) Nox = -¹/2 *A soma dos nox's de uma fórmula é igual a 0, logo dá pra descobrir o valor do nox do meio da fórmula. (vide link)

7.2.3.1.1. SO4 = -2 CO3 = -2 NO2= -1

7.3. Balanceamento

7.3.1. 1 achar o Nox 2 achar quem reduziu e quem oxidou 3 passo achar o Delta 4 passo inverter os deltas 5 passo achar os demais deltas.

7.4. https://www.youtube.com/watch?v=CHFwnaBHt04 https://www.youtube.com/watch?v=1QZZacsl3Xg

8. Equilíbrio químico

8.1. A maior parte das reações químicas terminam quando termina a quantidade de regentes. Alguns processos não se completam. O fato disto ocorrer pode ser explicado pela reversibilidade da reação. Após formar os produtos, estes produtos voltam a formar os reagentes originais. Se certas modificações não forem modificadas, essas reações não chegarão ao final. Elas tendem a atinir o equilíbrio químico.

8.1.1. Equilíbrio Homogêneo É aquele onde todas as substâncias estão na mesma fase (estado físico). Geralmente, ocorrem em sistemas gasosos e aquosos. Exemplos:

8.1.2. Equilíbrio Heterogêneo É aquele onde as substâncias estão em fases diferentes. Geralmente, envolvem substâncias sólidas e líquidas.

8.2. O equilíbrio químico é representado por setas inversas: ↔

8.3. https://www.youtube.com/watch?v=YrMmhL9tJa0 https://www.youtube.com/watch?v=H18L8y2OwD0 https://www.youtube.com/watch?v=YU4BrGgmkbU

9. Transformação quimica

9.1. https://www.youtube.com/watch?v=aknagWSkxXY https://www.youtube.com/watch?v=SMzPseWM-rM

10. Estequiometria

10.1. Os cálculos estequiométricos que envolvem uma reação química consiste em encontrar as quantidades de certas substâncias a partir de dados de outras substâncias que participam da mesma reação química. Estes cálculos são feitos através de proporções. Deve-se levar em conta os coeficientes, que agora serão chamados de coeficientes estequiométricos.

10.1.1. 1. fazer o balanceamento da equação química (acertar os coeficientes estequiométricos); 2. fazer contagem de mol de cada substância; 3. ler no problema o que pede; 4. relacionar as grandezas; 5. calcular com regra de três (proporção).

10.2. https://www.youtube.com/watch?v=BxHpgotXsB4 http://www.soq.com.br/conteudos/em/estequiometria/p4.php

11. Quimica orgânica

11.1. Estuda as cadeias carbonicas

11.1.1. Ciclica - cadeia fechada Aciclica ou alifatica - cadeia aberta

11.1.1.1. O numero de carbono determina o nome da cadeia

11.1.1.1.1. Prefixo: Met Et Prob But Pent Hex Hept Oct Non Dec

11.1.2. Bastão é a ligação entre carbonos. Cada bastão indica dois carbonos ligados.

11.1.3. Cadeia Saturada: ligações simples somente Cadeia insaturada : Ligações duplas ou triplas Cadeia ramificada, tem ramos Cadeia não ramificada, não tem ramos. Homogenia: Somente ligação entre C Heterogenia: Heteros átomos ligados entre C N O por exeplos

11.2. https://www.youtube.com/watch?v=lSomQp86N10 https://www.youtube.com/watch?v=9dfPGVuhGl4