Cartazes Acessíveis em Contextos Urbanos

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Cartazes Acessíveis em Contextos Urbanos by Mind Map: Cartazes Acessíveis em Contextos Urbanos

1. Palavras-Chave

1.1. Acessibilidade

1.2. Cartazes

1.3. Incapacidade ou Deficiência Visual - Cegos

1.4. Espaços Urbanos

1.5. Publicidade Interactiva

1.6. Inclusão Social

2. Títulos

2.1. Cartazes tipográficos acessíveis a cego

2.2. Eu vejo, tu “vês” cartazes acessíveis a todos

2.3. Cartazes acessíveis: na visão de um cego

3. Questões de Investigação

3.1. Como desenvolver formas facilitadoras da percepção, para cegos, de informação tipográfica nos cartazes em contextos urbanos?

3.1.1. Objectivos

3.1.1.1. Tornar a informação de um cartaz "legível" a um cego

3.1.1.2. Percepção da informação para um cego

3.1.1.3. Desenvolver um cartaz tipográfico

3.2. Como estabelecer relações entre a tecnologia e a informação disponibilizada em suporte papel?

3.2.1. Objectivos

3.2.1.1. Como pode um suporte papel incorporar uma tecnologia

3.2.1.2. Observar qual a melhor e mais eficaz tecnologia

3.2.1.3. Até que ponto pode a tecnologia interpretar os dados disponíveis no cartaz

3.3. Que relações se podem estabelecer entre a tecnologia e o utilizador cego, de forma a alertar para a existência de informação tipográfica nos cartazes em contextos urbanos?

3.3.1. Objectivos

3.3.1.1. Alertar em espaços urbanos, através da tecnologia, a um utilizador cego que existe um cartaz

3.3.1.2. Como e de que forma possivel poderá ser "lida" a informação do cartaz

3.3.1.3. Transcrever a informação tipográfica em audio-descrição de forma a ser perceptível a um cego

4. Outras Participações

4.1. Patricia Amaral

4.1.1. Concepção da marca como veículo interactivo de intervenção urbana e social

4.1.1.1. Design Social

4.1.1.2. Design de Intervenção Urbana

4.1.2. http://patriciamaral.blogs.ua.sapo.pt/

4.2. João Ramos

4.2.1. Visualização de Dados para a Redução da Curva de Compreensão

4.2.1.1. Design de Informação

4.2.2. http://joaoramos.blogs.ua.sapo.pt/

5. Links e Recursos da Investigação

5.1. Joana Mineiro

5.1.1. http://wiki.ua.sapo.pt/wiki/Utilizador:Joana-mineiro

5.1.2. http://joanamineiro.blogs.ua.sapo.pt/

6. Tecnologias

6.1. RFID

6.1.1. Radio-frequency identification

6.2. QR Code

6.2.1. Projectos

6.2.1.1. http://vimeo.com/13874935

6.2.1.1.1. Aventura em moscovo

6.2.1.1.2. Foi possível no mês de Setembro viver uma trilha de aventuras na estação de metro da Paveletskava em Moscovo, onde existe o primeiro scanner de código QR. A partir de lá ele dá indicações do caminho mais rápido para encontrar os outros 7 QR Code para ganhar um prémio.

6.2.2. Criação

6.2.2.1. http://reader.kaywa.com/

6.3. Bluetooth

6.4. Realidade Aumentada

6.4.1. Projectos

6.4.1.1. http://www.every-ware.fr/2010/06/une-chasse-au-tresor-en-realite-augmentee-pour-volvo/

6.4.1.1.1. Caça ao tesouro em Realidade aumentada para a Volvo

6.4.1.1.2. Para lançar seu novo carro chamado de S60, a Volvo organizada entre Maio e Junho, cinco noites em cinco cidades europeias (Berlim, Londres, Milão, Paris e Madrid). Com o browser do seu telemóvel e realidade aumentada, o utilizador deve procurar pistas espalhadas por toda a cidade.

6.5. LCD

6.5.1. Projectos

6.5.1.1. http://adsoftheworld.com/media/ambient/marc_ecko_clothing_bluetooth_citylight?size=_original

6.5.1.1.1. Keep on Rockin | Design Factory International - Graffiti de Marc Ecko dono da marca Ecko Unltd

6.5.1.1.2. Foram desenvolvidos painéis de LCD com tecnologia bluetooth, chamados de “Digital Citylights”. Estes foram colocados nas ruas dando a possibilidade às pessoas que possuem telemóvel com bluetooth, aceder a estes painéis, e criar os seus graffitis virtuais, usando o telemóvel como lata de spray. Para tornar a acção mais realista, existe a possibilidade de escolher a cor e o bico do spray no telemóvel antes de começar sua obra de arte ou o seu tag.

6.6. Ocarina

6.6.1. http://ocarina.smule.com/

7. Links

7.1. Relevo

7.1.1. Chão

7.1.1.1. http://www.designboom.com/weblog/cat/10/view/11836/ai-weiwei-sunflower-seeds-at-the-tate-modern.html

7.1.1.2. http://piadourso.com.sapo.pt/pt/aldeia.htm

7.1.2. Pintura

7.1.2.1. http://bailaolopes.wordpress.com/projecto-olha-por-mim/

7.1.2.1.1. “Olha por mim”

7.1.2.1.2. Mirtilo Gomes Heterónimo de Tânia Bailão Lopes

7.1.2.1.3. Exposição de Pintura de Mirtilo Gomes, uma exposição multissensorial, adaptada a cegos, através de descrições áudio e tácteis (materiais com relevo) e para visitantes surdos, através de um guiam em vídeo com língua gestual. (17-9-2009 data da inauguração na Biblioteca José Saramago do Instituto Politécnico de Leiria)

7.1.2.2. http://uaonline.ua.pt/detail.asp?c=5702&lg=pt

7.1.2.2.1. “Tocar e sentir”

7.1.2.2.2. Eni D´ Carvalho

7.1.2.2.3. Exposição de Pintura Táctil, da autoria da pintora brasileira Eni D´ Carvalho. (30-11-2005 data da inauguração na Sala de Exposições da Biblioteca da Universidade de Aveiro)

7.1.3. Fotografia

7.1.3.1. http://www.sentidosembarreiras-expo.com/

7.1.3.1.1. “Sentidos sem barreiras”

7.1.3.1.2. Alain Mikli

7.1.3.1.3. Com o alto patrocínio da Câmara Municipal de Lisboa, do Regimento Sapadores de Bombeiros de Lisboa e dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, o Oculista das Avenidas decidiu realizar um evento multifacetado intitulado “sentidos sem barreiras”, de 16 de Setembro a 15 de Outubro, que tem como principal atractivo a exposição fotográfica “Olhares Tácteis”, de Alain Mikli, o conceituado criador de óculos francês. Para tornar as fotografias da Terra vista do céu de Yann Arthus-Bertrand acessíveis aos deficientes visuais, Alain Mikli criou, a seu pedido, imagens tácteis em relevo, utilizando placas de acetato de celulose.

7.1.4. Cartazes Interacção

7.1.4.1. http://www.youtube.com/watch?v=ePsC-HvvHxM&feature=player_embedded

7.1.4.1.1. Campanha saxsofunny

7.1.4.1.2. Imagens impressas em específicos matérias interactivos onde cada um destes reproduz o som da imagem em particular.

7.2. http://www.yurisuzuki.com/

7.3. http://www.wordsun.com/release.php?id=79

7.4. Projectos Interactivos

7.4.1. http://www.every-ware.fr/

7.5. Publicidade

7.5.1. http://www.paper-plane.fr/

7.5.2. http://adsoftheworld.com/taxonomy/media/outdoor

7.5.3. http://postertime.blogspot.com/

7.5.4. http://www.publicadcampaign.com/tosat/

7.6. Audio-descrição

7.6.1. http://www.publico.pt/Cultura/investigadora-defende-a-instalacao-de-equipamentos-para-cegos-e-surdos-nas-salas-de-cinema_1312612

7.6.1.1. “Investigadora defende a instalação de equipamentos para cegos e surdos nas salas de cinema”

7.6.1.2. Jornal Público

7.6.1.3. Notícia jornal Público (3-12-2007) Filme “Nascimento de Cristo” o primeiro DVD inclusivo, contem legendas normais em Português, áudio-descrição (para cegos), legendas para surdos e opção de linguagem gestual.

7.6.2. http://www.wired.com/gadgetlab/2010/09/volkswagen-plants-audio-ad-in-print-newspaper/

7.6.2.1. Volkswagen

7.6.2.2. Teste de áudio jornal The Times of India

7.6.2.3. Áudio-em-impressão, o termo não existe, mas é bastante conveniente, o nome da integração de um sistema de som em um papel. Tecnologia que pode ser descrito como inovador na sua utilização, mas não é realmente novo. Do ponto de vista prático, a operação não leva mais nem menos do que os cartões de aniversário. Por um lado, o sistema transmite apenas uma melodia, mas a voz no outro lado, um fotodíodo (componente electrónica) para converter luz em energia permite que o dispositivo a ser alimentado. Dado o volume, é fortemente recomendado usar esse tipo de dispositivo em locais públicos fechados.

7.7. Anúncios

7.7.1. http://www.youtube.com/watch?v=Yi_nJKfhPHs

7.7.1.1. “Invisual”

7.7.1.2. Santa casa

7.7.1.3. “Integrar não tem de ser assim Integrar é tratar de forma igual. Integração de pessoas com deficiência. Depende de todos.”

7.7.2. http://www.youtube.com/watch?v=KHLMQ0EreX8&feature=related

8. Associações e Organizações

8.1. ACAPO - Associação dos cegos e amblíopes de Portugal

8.1.1. http://www.acapo.pt/

8.2. DAISY - Digital accessible reading and publishing

8.2.1. http://www.daisy.org/

8.3. IOGP - Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto

8.3.1. http://www.institutogamapinto.com/

8.4. Sem Barreiras - UA

8.4.1. http://sembarreiras.org/

8.5. Projecto CRID- Centro de Recursos para a Inclusão Digital

8.5.1. http://www.crid.esecs.ipleiria.pt/