A nova economia: informacionalismo, globalização, funcionamento em rede

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
A nova economia: informacionalismo, globalização, funcionamento em rede by Mind Map: A nova economia: informacionalismo, globalização, funcionamento em rede

1. O enigma da produtividade

1.1. Novo tópico

1.2. Os caminhos específicos do aumento da produtividade definem a estrutura e a dinâmica de um determinado sistema econômico. Se houver uma nova economia informacional, devemos ser capazes de identificar as fontes de produtividade historicamente novas que distinguem essa economia.

1.2.1. Solow tentou explicar as fontes e a evolução do crescimento de produtividade na economia norte-americana. Demonstrou que o aumento da produção por hora de trabalho não era resultado de adição de mão de obra apenas ligeiramente de adição de capital, mas vinha expressa como um residual estatístico em sua equação da função de produção

1.2.1.1. Afirmar que a produtividade gera crescimento econômico e que ela é uma função da transformação tecnológico equivale a dizer que as características da sociedade são fatores cruciais subjacentes ao crescimento econômico, por seu impacto na inovação tecnológica

2. A produtividade baseada em conhecimentos é específica da economia informacional?

2.1. 1950 a proporção do emprego industrial nos EUA estava quase no seu pico, de acordo com o indicador mais geral do industrialismo, os cálculos de Solow referiam-se ao processo de expansão da economia industrial

2.1.1. Análise de cinco períodos na evolução do crescimento da produtividade: 1870-1950, 1950-73, 1973-79, 1979-93, 1994-9

2.1.1.1. Nos EUA, Telecomunicações, transporte aéreo e ferrovias mostraram aumento substancial de produtividade no período de 1970-83. Comparativamente, essa produtividade na França e na Alemanha foi mais rápida que nos EUA e Reino Unido

2.1.1.1.1. Numa perspectiva estática do crescimento econômico, a conclusão seria que só há um setor dinâmico na estrutura da economia ao redor da tecnologia da informação, ao passo que o resto da economia continua em seu crescimento lento

3. Informacionalismo e capitalismo, produtividade e lucratividade

3.1. Empresas e nações são os verdadeiros agentes do crescimento econômico. Não buscam tecnologia por ela mesma, ou aumento da produtividade para a melhora da humanidade. Comportam-se em um determinado contexto histórico, conforme as regras de um sistema econômico, que no final premiará ou castigará sua conduta

3.1.1. Para aumentar lucros em um determinado ambiente financeiro, há quatro caminhos principais: reduzir os custos de produção (mão de obra); aumentar a produtividade; ampliar o mercado; e acelerar o giro do capital

3.1.1.1. 1980 houve investimentos tecnológicos maciços na infraestrutura da comunicação/ informação que possibilitaram os movimentos de desregulamentação de mercados e de globalização de capital. As empresas e setores que foram afetados diretamente por essa transformação tiveram um grande crescimento de produtividade e de lucratividade

3.1.1.1.1. A via que conecta a tecnologia da informação, as mudanças organizacionais e o crescimento da produtividade passa, em grande parte, pela concorrência global. Foi criada e moldada uma nova economia global

4. A especificidade histórica do informacionalismo

4.1. A criação dessa nova economia global promoveu uma onda de concorrência entre os próprios agentes econômicos já existentes e também entre os recém-chegados

4.1.1. A mudança do industrialismo para o informacionalismo não é o equivalente histórico da transição das economias baseadas na agropecuária para as indústrias e não poder ser equiparada ao surgimento da economia de serviços

4.1.1.1. O que mudou não foi o tipo de atividades em que a humanidade está envolvida, mas sua capacidade tecnológica de utilizar, como força produtiva direta, aquilo que caracteriza nossa espécie como uma singularidade biológica: nossa capacidade superior de processar símbolos.