Ciências do Ambiente

Comienza Ya. Es Gratis
ó regístrate con tu dirección de correo electrónico
Ciências do Ambiente por Mind Map: Ciências do Ambiente

1. Inovação e Sustentabilidade

1.1. Inovação Sustentável - Envolve criar ideias, práticas, conceitos e produtos visando criar um equilíbrio entre a ecologia e a economia. A inovação também está presente em tudo que o ser humano tocou

1.2. Para que uma inovação seja sustentável, é necessário levar em conta que os recursos da natureza são finitos e que futuras gerações não serão prejudicadas.

1.3. Por quê essa onda de inovação? Atualmente, a inovação está surgindo com necessidade urgente de se solucionar problemas que estão ocorrendo com a sociedade e com o meio ambiente.

1.4. Essa relação entre inovação e sustentabilidade jamais era esperada no passado, e hoje, com isso, futuros negócios que não eram possíveis antigamente, hoje se concretizam.

1.5. Para alinhar estes dois termos foram criados pilares da inovação sustentável, chamados de 4p's, são eles: Person, People, Profit e Planet.

1.6. Mercado Financeiro Sustentável - Esse setor, aplicando a sustentabilidade acaba influenciando outros setores a aplica-la também. Alguns bancos, corretoras e seguradoras, estão se beneficiando com a sustentabilidade.

1.7. Com isso, foram criadas novas iniciativas internacionais e nacionais para promover o investimento socioambiental

1.8. Princípios do Equador: conjunto de diretrizes lançado em 2003 por 10 grandes bancos privados mundiais. Há investimentos superior a US$ 10 milhões. Atualmente possuem 73 bancos signatários, inclusive brasileiros.

1.9. Princípios para Investimento Responsável (PRI – The Principles for Responsible Investment): conjunto de diretrizes visando incorporar questões sustentáveis nos processos de decisão de investimento. Foram lançados em 2006 pela ONU e Pacto Global. Atualmente possui 997 organizações signatárias inclusive o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil – PREVI).

2. Políticas Públicas Sustentáveis

2.1. O Governo Federal, por meio de leis, visa também o crescimento da sustentabilidade e a preservação do meio ambiente no país, tem como foco 6 principais parágrafos:

2.2. 1 - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao poder público: Preservar; Restaurar; Definir; Controlar; Promover; Exigir; Proteger

2.3. 2 - Aquele que explorar recursos minerais fica obrigado a recuperar o meio ambiente degradado, de acordo com solução técnica exigida pelo órgão público competente, na forma da lei.

2.4. 3 - As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os infratores, pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e administrativas, independentemente da obrigação de reparar os danos causados.

2.5. 4 - A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização far-se-á, na forma da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos natura.

2.6. 5 - São indisponíveis as terras devolutas ou arrecadadas pelos Estados, por ações discriminatórias, necessárias à proteção dos ecossistemas naturais.

2.7. 6 - As usinas que operem com reator nuclear deverão ter sua localização definida em lei federal, sem o que não poderão ser instaladas.

2.8. A poluição e o descarte inadequado de lixo sempre foi um problema, mas após o inicio do século XXI, os governos começaram a se preocupar mais, temendo uma crise ambiental irreversível.

2.9. Hoje, estima-se que 80% da população, vive nas cidades. Isso se deve a grande oportunidade de emprego, e uma melhora significativa na qualidade de vida. Porém, com essa super lotação nos centros urbanos, vem consigo grandes impactos ambientais, como o descarte de materiais sólidos e até mesmo influência nas mudanças climáticas.

3. Empreendedorismo Socioambiental

3.1. Os recursos naturais são finitos e por isso, se acaso ocorrer uma extrema exploração destes recursos, poderá gerar consequentemente um esgotamento total.

3.2. Para pessoas que vivem em extrema situação de pobreza, são garantidos desafios, tais como: alimentá-las adequadamente; garanti-las moradia segura; água limpa ou potável; mobilidade;

3.3. A humanidade ao longo dos anos, sempre levantou questionamentos morais, alguns como: é realmente necessário eu desperdiçar água sabendo que existem pessoas que ainda não possuem acesso a água potável no mundo?

3.4. A sustentabilidade necessita de questionamentos como esse, que acabarão levando a novas ideias, posturas e atitudes.

3.5. Uma das ideias principais da sustentabilidade é manter equilibrada a relação entre o bem estar social, a prosperidade econômica e a proteção ambiental

3.6. A educação e o ensino sobre este assunto, é necessária pois ainda existem no mundo pessoas que não são capazes de ligar a ação humana predatória aos desastres sociais e ambientais. Os principais desafios da sustentabilidade só serão superados com a educação, isso mostra o quão importante ela é para nós.

3.7. Para isso ocorrer, as universidades estão mudando seus currículos para tornar assim, profissionais capacitados para ajudar com o desenvolvimento da sustentabilidade. As empresas também são peças fundamentais, pois vão acolher estes profissionais.

3.8. Quando pensamos em uma empresa, sempre associamos ela ao lucro intenso, mas esquecemos que esta mesma, também é um agente transformador social.

3.9. Quais fatores garantem que estas empresas sejam transformadoras sociais? Existe uma lista: Promoção da Cultura e Hábitos Locais (Ex.: McDonald’s na Índia); Preservação da Natureza (Ex.: Produtores de Café na África); Desenvolvimento Econômico Local; Capacitação de Colaboradores; Garantias Sociais (Ex.: Previdência Privada).

3.10. Inovação Frugal - é saída para enfrentar a crise. Inovação frugal consiste em tornar o produtos e serviços mais simples e mais baratos, fazendo com que eles sejam acessíveis a um grupo maior de consumidores.

4. Mudanças Climáticas

4.1. O conceito de clima foi definido pela Organização Meteorológica Mundial (WMO) em 1959: “Conjunto flutuante das condições atmosféricas, caracterizado pelos estados e evolução do tempo durante um período suficientemente longo para um domínio espacial determinado”

4.2. Já o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) definiu mudanças climáticas como: “Variação estatisticamente significante em um parâmetro climático médio ou sua variabilidade, persistindo por um período extenso (décadas ou mais) devido a processos naturais, forças externas, ação do homem na composição da atmosfera ou no uso da terra.”

4.3. O período para se observar uma mudança no clima é de no mínimo trinta anos

4.4. Existe forças externas na terra que podem mudar um clima, algumas delas são:

4.4.1. Mudanças nas Placas Tectônicas: movimentos de placas podem originar vulcões que expelem cinzas;

4.4.2. Mudanças na Órbita da Terra: o eixo da Terra pode se modificar a cada 100, 41 e 23 mil anos;

4.4.3. Mudanças na Intensidade do Sol: alterações na radiação solar incidente, alterações no albedo (reflexo) de uma região e alterações na radiação de onda longa que a Terra perde para o espaço.

4.5. Eventos Extremos, o que é? Segundo a IPCC (2007), a definição de eventos extremos é um evento raro que pode acontecer em uma época do ano, ou em algum lugar particular. Um exemplo pode ser o alto índice de chuva em um período do ano onde exista uma média esperada.

4.6. No ponto de vista da sociedade, eventos extremos podem: Envolver risco de mortes; Desabrigar pessoas; Prejudicar materialmente as pessoas, entre outros.

4.7. Para dar soluções a estes problemas, a ONU criou convenções e reuniões com líderes mundiais para se discutir a melhora do clima no planeta.

5. Transporte Sustentável e Construção Civil

5.1. Como estudamos antes, as cidades estão crescendo desenfreadamente, e com isso, também cresce o difícil acesso ao transporte público e a moradia de locais em baixo risco.

5.2. Com o tamanho das cidades, a emissão de CO2 também é grande, cerca de 70% das emissões de CO2 vem das cidades.

5.3. Pelo seu valor de contribuição de poluentes, o transporte público possui uma grande oportunidade para alinhar: Crescimento Econômico; Qualidade de Vida; Desenvolvimento de Baixo Carbono.

5.4. As cidades, visando isso, precisam criar uma forma de priorizar este transporte público, facilitando assim a vida das pessoas e diminuindo a emissão dos gases poluentes.

5.5. Desafios que o transporte sustentável enfrenta:

5.5.1. Políticas Públicas e Investimentos Públicos ainda mantêm o subsídio de combustíveis fósseis e veículos tradicionais;

5.5.2. Instituições trabalham isoladas umas das outras;

5.5.3. Falta de capacidade de municípios tanto em expertise (Mão-de-Obra Qualificada) quanto recursos financeiros;

5.5.4. À medida que a população cresce economicamente, o acesso à veículos particulares e à combustão fóssil são facilitados;

5.5.5. Priorização da Matriz de Logística brasileira no modal rodoviário.

5.6. E ainda existem consequências na utilização do mesmo:

5.6.1. Acidentes no trânsito vêm aumentando todos os anos;

5.6.2. Violência no transporte público e ineficiência no serviço;

5.6.3. Custos de congestionamentos;

5.6.4. Custos de saúde com a poluição.

5.7. Construção Civil - O principal agente da construção civil, sem dúvida alguma é o cimento.

5.8. Produtos com base no cimento, consomem cerca de 1/3 de toda a matéria prima mundial. O que consequentemente requer um grande consumo de energia.

5.9. As casas e edifícios procuram meios de manter a sustentabilidade e diminuir a emissão de CO2, mas para manter um bem estar e uma alta qualidade de vida, as casas necessitam de energia.

5.10. Alguns problemas sociais na construção civil, torna difícil a tarefa de implantar uma sustentabilidade.

6. Energia e Saúde

6.1. Energia e Saúde - Segundo a ONU, o crescimento da população mundial urbana deve continuar sendo mais rápido do que o crescimento da população mundial, isso fará com que a demanda da necessidade de energia nas cidades, bem como o modo de vida das pessoas nas cidades, gere uma mudança climática no mundo todo.

6.2. No Brasil, a principal fonte de geração de energia é por meio das usinas hidrelétricas, que estão presentes em todo o território nacional. Ainda não há especulações para que esta fonte seja substituída por outra fonte de energia sustentável.

6.3. Com isso, o principal objetivo a se fazer, é saber aproveitar a energia que já possuímos.

6.4. Segundo dados, cerca de 80% da energia consumida, vem de edifícios. E desses 80%, boa parte é consumida por máquinas e serviços industriais, e o restante vem de aparelhos eletrodomésticos.

6.5. Um ponto chave, é a criação de edifícios que possam funcionar sem tanto consumo de energia elétrica. Um exemplo, é o Campus da UFTM, em Uberaba, que é completamente aberto e possui uma iluminação natural.

6.6. Já na área da saúde, Se mantivermos os atuais níveis de consumo e hábitos de vida, o acúmulo de poluentes emitidos a partir de termoelétricas e escapamentos de veículos aumentará as taxas de mortalidade de câncer e doenças cardiovascular e respiratório.

6.7. Também, a grande taxa de absorção de raios ultravioletas, poderá gerar futuramente, tumores de pele.

6.8. O consumo de água em péssima qualidade, gerará também doenças como diarreia ou intoxicações.