Livro: A Arte da Guerra

Comienza Ya. Es Gratis
ó regístrate con tu dirección de correo electrónico
Livro: A Arte da Guerra por Mind Map: Livro: A Arte da Guerra

1. Decisões e Estratégias: Focar em estratégias que busquem o objetivo, porém não abdique do esforço da equipe. Fazendo com que todos façam parte da vitória de maneiras corretas.

2. Terreno: O ambiente de trabalho pode interferir no desempenho da equipe, fazendo com que se distraiam do objetivo. Portanto devem saber se deslocar e criar um ambiente propício a vitórias.

3. Disciplina: Todos devem estar cientes das regras e objetivos, se organizando de acordo com suas posições, para que cada um possa contribuir devidamente no que foi proposto, separando tudo e todos que forem necessário.

4. Métodos: O líder deve estar sempre ciente da situação do mercado e buscar atingir sempre o que for mais vantajoso. Não deve mostrar a real situação dos objetivos para o concorrente, deixando que o mesmo sinta que está sempre superior, e continue no mesmo ritmo de produção. Enquanto isso, o líder está buscando diversas formas de inovar.

4.1. Desvendar as fraquezas e ambições do concorrente para que possa ser usado contra ele, o desnorteando.

4.1.1. Análise SWOT: Buscar sempre observar as forças e fraquezas internas e solucionar para o bom desempenho da empresa, mas também forcar extremamente na parte externa, vendo as ameaças e oportunidades que podem ser consideradas.

5. 1. Avaliação

5.1. Doutrina: Deve ser escolhido o melhor líder, que traga confiança e harmonia para a equipe, para que todos escutem suas opiniões e entrem em consenso, o seguindo nos objetivos, confiando que o mesmo irá guiá-los para a vitória.

5.2. Tempo: A equipe deve estar pronta para qualquer interferência do tempo, buscando se sobrepor independente dos obstáculos.

5.3. Mando: Ambos devem priorizar a sabedoria, sinceridade, benevolência, coragem e disciplina, para que não haja interferências pessoais no momento de ataque.

6. 2. Princípio das Ações

6.1. Inicialmente deve ser decidido e estabelecido qual espaço no mercado pretende ocupar, pois a pior estratégia é se inserir em um ramo de grandes empresas e não ter "forças" para enfrentar. Por mais que a empresa tenha uma boa estratégia e um bom desempenho, não conseguirá se reerguer enfrentando concorrentes que não se enquadram no mesmo patamar.

6.2. Ação Inicial: Montar a estratégia, sem atacar diretamente o ponto forte do concorrente. Explorar as fraquezas para que possa atacar diretamente nesse ponto, fazendo com que a fraqueza do oponente se torne um dos pontos fortes da empresa.

6.3. Concorrentes: O momento em que os concorrentes estão projetando os planos, é o momento de trazer algo inovador e desestabiliza-los.

6.4. Definições: Deve estar consciente em saber a hora de entrar ou sair de uma disputa, pois quando uma ação é insistentemente e repetitivamente feita, acaba cansando e desmotivando os colaboradores. Portanto é sempre necessário inovar suas metas, e oferecer bonificações para quem realmente mostrar real desempenho na causa, o que faz com que todos tenham vontade de participar de ações inovadoras e receberem gratificações.

7. 3. Medida na Disposição dos Meios

7.1. Meios de Ataque: Visar não atacar diretamente os pontos fortes do concorrente, e focar nos pontos fracos e ameaças para que possa se sobressair. Porém, não buscar as maneiras mais fáceis, pois não seria uma real disputa, e sim uma "trapaça".

8. 4. Firmeza

8.1. Organização: Organizar a equipe entre grupos e setores, para que todos saibam seus deveres. Fazendo com que isso se torne a força da empresa, com todos alinhados o serviço se desenvolverá melhor.

8.2. Distração: Criar a ordem interna, para que possa transparecer uma desordem ao adversário. Quando todos estão cientes dos objetivos, é possível criar distrações para o exterior.

9. 5. Cheio e o Vazio

9.1. Conhecimento: É necessário ter total conhecimento do ambiente que irá concorrer, para que possa ter uma "área de conforto" e se sobrepor sobre o adversário.

9.2. Compromisso: Quando todos estão comprometidos com a causa, é possível determinar os colaboradores por suas habilidades, dando-os as devidas responsabilidades.

9.3. Posição de Confronto: Quando não se tem conhecimento do ambiente do concorrente e resolve ataca-lo, irá desprevenido e esvaziará as forças. Portanto é necessário sempre induzir o concorrente a confrontar na zona de conforto, para que a força da equipe mantenha-se cheia.

10. 6. Enfrentamento Direto e Indireto

10.1. Se preparar para ataques futuros pois, quando a equipe se "arma" com argumentos e serviços, desestabilizam o atacante, que veio com sede ao pote para atacar, porém não se preparou para os contra-argumentos.

11. 7. Nove Mudanças

11.1. Um bom líder deve estar preparado para diversas variantes que possa ocorrer no caminho para o objetivo. Possa ser que um resultado sera totalmente oposto ao desejado, portanto o líder deve estar ciente do momento em que deve interromper o plano e buscar uma nova alternativa, antes que o projeto fracasse.

11.2. O líder não deve manter a equipe na comodidade, não deve manter o objetivo em um único plano isolado. Mudanças podem ocorrer a qualquer momento, e todos devem estar cientes de novos planos para prosseguir corretamente. Estando ciente das regras.

12. 8. Distribuição dos Meios

12.1. Independente dos meios oferecidos, a equipe deve sempre buscar o progresso e não se ofuscar por não ter sempre o desejado.

12.2. Deve ser sempre lembrado quais são os objetivos trassados, quanto mais nítido estiver para a equipe, o desenvolvimento pode vir com maior agilidade, independente dos meios oferecidos para trabalho.

13. 9. Topologia

13.1. Conhecimento Interno e Externo

13.1.1. A equipe que se conhece totalmente e que conhece seu adversário, tem grande chances de conseguir alcançar os objetivos desejados.

13.2. Conhecimento do Terreno

13.2.1. A equipe que tem conhecimento própria e do adversário, mas que também conhece exatamente o mercado que está entrando tem uma grande vantagem, e uma alta probabilidade de chegar ao objetivo.

13.3. Estratégia

13.3.1. Utilizar todo o conhecimento e montar uma estratégia de ataque, mas que não desestabilize a defesa.

14. 10. Nove Classes de Terreno

14.1. O líder deve se questionar em que terreno está, e o que está fazendo para isso. Deve sempre escolher os objetivos mais imprevistos, evitando dar vantagens ao adversário. Saber lidar com imprevistos e novos ambientes de trabalho. Buscam se unir com empresas com objetivos similares para que não fiquem desprovidos no mercado.

14.1.1. Terreno Ligeiro: Quando uma decisão é tomada, porém por não ter ido muito adiante, consegue reverter as ações feitas, e voltar para a ideia principal.

14.1.2. Terreno Dispersão: Quando os colaboradores estão muito acomodados na zona de conforto, e recebem ataques dos concorrentes, acabam se dispersando e não tendo um conta-ataque eficaz.

14.1.3. Terreno Chave: Uma novidade que pode beneficiar tanto a empresa, como ao concorrente.

14.1.4. Terreno de Comunicação: Igualdade entre a empresa e os concorrentes.

14.1.5. Terreno de Interseção: A empresa e o concorrente podem usar, porém é bom que sejam feito parcerias ao invés do concorrências, pois trata-se do mesmo "produto".

14.1.6. Terreno Difícil: Quando toma uma decisão porém não conhece sobre o assunto e acaba invadindo o ponto do concorrente. Dificilmente conseguirá retornar sem se desestabilizar no mercado.

14.1.7. Terreno Desfavorável: Onde são postos diversos obstáculos para se chegar ao objetivo.

14.1.8. Terreno Cercado: Onde não é possível acessar sem o devido conhecimento, pois todos os concorrentes irão "atacar" para desestabilizar a empresa.

14.1.9. Terreno Mortal: Onde só é possível progredir agindo com agilidade, esforço, dificuldade e desespero. Caso não se desempenhe ao máximo, não será possível.

15. 11. Arte de Atacar Pelo Fogo

15.1. Fazer pesquisas de mercado, e buscar ter sempre as melhores informações, para que possa ser feito o planejamento estratégico.

15.2. Saber o momento exato de iniciar a estratégia, pois pode ser o momento de auge da empresa e o momento de declínio do concorrente.

16. 12. Uso de Espiões

16.1. O líder deve passar para todos os colaboradores a importância e necessidade da confiança, descrição e confidencialidade na equipe, para que não haja "vazamentos" para os concorrentes.

16.2. A empresa pode aproveitar a falta de integração e confiança do concorrente e tentar buscar informações internas importantes com funcionários "espiões".