CITOESQUELETO

Comienza Ya. Es Gratis
ó regístrate con tu dirección de correo electrónico
CITOESQUELETO por Mind Map: CITOESQUELETO

1. O que é ?

1.1. È constituído por um conjunto de estruturas filamentosas presentes no citoplasma das células, que assume diferentes aspectos de acordo com o tipo celular e as necessidades da célula .

2. Funções

2.1. Fazer o formato da célula

2.2. Movimentação celular

2.3. Organizar compoentes

2.4. Divisão celular

2.5. Tráfego de organelas

2.6. Suporte da membrana plasmática

2.7. Contração muscular

3. Componentes

3.1. 1:Microtúbulos

3.1.1. O que são ?

3.1.1.1. cilindro oco formado por 13 protofilamentos formando um arranjo helicoidal

3.1.1.2. Constituído por dímeros

3.1.1.3. Os dímeros são constituídos por tubulinas α e β por ligações não covalentes (heterodímero)

3.1.1.4. Possuem extremidades polarizadas

3.1.1.4.1. A terminada em tubulina β (+)

3.1.1.4.2. A que termina em tubulina α (-)

3.1.1.5. Estão em constante reorganização

3.1.1.6. Cada dímero fica ligado ao GTP ou GDP

3.1.2. Funções :

3.1.2.1. Movimentação de cílios e flagelos

3.1.2.2. Transporte intracelular de partículas e organelas

3.1.2.3. Deslocamento dos cromossomos na mitose/meiose

3.1.2.4. Manutenção da forma celular

3.1.2.5. Formação dos centríolos

3.1.2.5.1. 1 par de cilindros medindo 150 nm de diâmetro

3.1.2.5.2. Feitos de material amorfo onde são localizados 27 microtúbulos (9 feixes de 3 microtúbulos)

3.1.2.5.3. Participam do fuso miótico

3.2. 2: Filamentos de Actina

3.2.1. O que são ?

3.2.1.1. São formados por duas cadeias em espiral de monômeros globosos de actina, que se polimerizam, formando uma quaternária fibrosa .

3.2.1.2. Formam o córtex celular: camada abaixo da membrana plasmática

3.2.1.3. Encontrados em maior número nos músculos

3.2.2. Funções

3.2.2.1. Participa dos movimentos celulares (como movimento ameboíde e fagocitose)

3.2.2.2. Contração muscular

3.2.2.3. Atua na sustentação da célula

3.2.2.4. Se juntam pra formar feixes mais grossos

3.3. 3: Filamentos intermediários

3.3.1. Formação

3.3.1.1. São formados por diversas proteínas fibrosas:

3.3.1.1.1. Queratina:células epiteliasis

3.3.1.1.2. Vimetina: fibroblastos, macrófagos, células musculares lisas, etc.

3.3.1.1.3. Proteína ácida da glia: astrócitos e células de Schuwann

3.3.1.1.4. Proteínas de neurofilamentos: neurônios e axônios

3.3.1.1.5. Lamina: lâmina nuclear

3.3.1.1.6. Reveste a face nuclear do envoltórios nuclear

3.3.2. O que são:

3.3.2.1. Possuem diâmetro intermediário entre os microtúbulos e filamentos de actina

3.3.2.2. São abundantes em células que sofrem atrito (células da epiderme)

3.3.2.3. São encontrados também nas células musculares e nervosas

3.3.3. Para que servem

3.3.3.1. Formam desmossomos (estrutura que une uma célula na outra

3.3.3.2. Revestem a face nuclear do envoltório nuclear

3.3.3.3. Dão resistência física ás células e tecidos

3.3.4. Organização

3.3.4.1. Par de dímeros formam tetrâmeros apontando para a direção oposta

3.3.4.2. Tetrâmeros empacotam-se em protofilamentos

3.3.4.3. Cada filamento apresenta uma estrutura de 32 α -hélices enroladas

3.3.4.4. São mantidos por ligações hidrofóbicas

3.4. Macromolêculas diversas

3.5. Microtúbulos

4. Movimentos celulares

4.1. Contração muscular

4.2. Movimento amebóide

4.3. Divisão celular (movimento de cromossomos)

4.4. Transporte intracelular de vesículas e grânulos

4.5. Participam: microtúbulos, filamentos de actina e proteínas motoras

4.5.1. PROTEÍNAS MOTORAS

4.5.1.1. Componentes adaptadores que se ligam de um lado ás várias partículas a serem transportadas, e de outro lado aos componentes motores

4.5.1.2. Movimentos mede palmo (gasto de ATP)

4.5.1.3. Entre elas:

4.5.1.3.1. Transporte de organelas (dineína e cinesina)

4.5.1.3.2. Contração muscular (miosina)

4.5.1.3.3. Movimento de cílios e flagelos (dineína ciliar)

5. MOVIMENTO AMEBÓIDE

5.1. -Célula migratória adquire um aspecto poligonal

5.2. -A actina não encusta e alonga em células fixas a um tecido, e sim nas células migratórias

5.3. -OS filamentos corticais de actina mudam seu arranjo em rede são guiados por quimiotaxia

5.4. -Os filamentos de actina dos microvilos são estáveis

5.5. -Os movimentos são guiados por quimiotaxia

6. CONTRAÇÃO MUSCULAR

6.1. Estrutura da fibra muscular

6.1.1. Ao microscópio ótico:

6.1.1.1. Músculo-miofibrilas-faixas claras e faixas escuras

6.1.2. Ao microscópio eletrónico

6.1.2.1. Sarcômeros=unidade básica de fibra muscular

6.2. Miofibrila

6.2.1. Estrutura constituída de sarcômeros

6.2.2. Sarcômeros: conjunto de filamentos delegados e espessos

6.2.2.1. F. Delegados: filamento de actina e proteínas associadas, ligadas em sua extremidade pela linha Z

6.2.2.2. Estrutura cilíndrica de 1 a 2 Um de diâmetro

6.2.2.3. F. Espessos (miosina): localizados na banda escura do sarcômero

6.2.2.3.1. Miosina:

6.3. Tropomiosina:

6.3.1. Proteína associada a actina no sítio de ligação com a miosina

6.4. Troponina:

6.4.1. Ligada á tropomiosina, quando se liga ao cálcio libera o sítio de ligação para a miosina

6.5. Cílios e Flagelos

6.5.1. Cílios são estruturas curtas e múltiplas com aspecto de pequenos pêlos, constituídos por um feixe de microtúbulos envoltos por uma membrana, geralmente na porção apical das células

6.5.2. Flagelos são únicos e longos (podem ser encontrados em espermatozóides e protozoários)

6.5.3. Cílios e Flagelos são felizes de microtúbulos:

6.5.3.1. 9 pares de microtúbulos dispostos em círculo e um par central

6.5.3.2. Os microtúbulos dos pares periféricos encontram-se fundidos e os centrais separados

6.5.4. Proteínas acessórias:

6.5.4.1. .Dineína ciliar: pontes com pares de microtúbulos adjacentes

6.5.4.2. .Nexina: une os microtúbulos uns aos outros

6.5.5. Corpos basais

6.5.5.1. Apresentam a mesma estrutura que os centríolos

6.5.5.2. Onde se inserem cílios e Flagelos na menbrana

6.6. MECANISMO DE AÇÃO

6.6.1. A junção neuromuscular é onde o neurônio ativa a contração de um músculo.

6.6.1.1. Quando um potencial de ação chega ao terminal pré-sináptico de um neurônio, canais de cálcio dependentes de voltagem abrem e íons Ca2+ fluem do fluído intersticial ao citosol do neurônio pré-sináptico. Esse influxo de Ca2+ causa as vesículas cheias de neurotransmissores a se ligar à membrana celular do neurônio com o auxílio das proteínas. Essa fusão resulta no esvaziamento das vesículas que contém acetilcolina na fenda sináptica, por exocitose. A acetilcolina se difunde na fenda e se liga aos receptores nicotínicos de acetilcolina na placa motora.