Teoria Burocrática

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Teoria Burocrática por Mind Map: Teoria Burocrática

1. O que é burocracia?

2. Max Weber

2.1. O criador e inspirador dos demais...

2.1.1. Merton

2.1.2. Selznick

2.1.3. Gouldner

2.1.4. Etc...

2.2. Não prevê as organizações informais

2.2.1. Movimento de trabalhadores que se defendem do sistema (Greve)

3. Origens

3.1. 1940

3.1.1. Descoberta dos trabalhos de Max Weber

3.1.1.1. "[...] a falta de uma teoria da organização sólida e abrangente e que servisse de orientação para o trabalho do administrador. Alguns estudiosos foram buscar nas obras de um economista e sociólogo já falecido, Max Weber," a inspiração para essa nova teoria da organização."

3.2. Busca por organização racional e bem definido

3.3. Teoria Clássica X Teoria das Relações Humanas

3.4. Crescimento das empresas

3.4.1. Maior complexidade

3.4.1.1. Necessidade de organização

4. Caractéristicas

4.1. Caráter legal das normas e regulamentos.

4.1.1. "A burocracia é uma organização ligada por normas e regulamentos estabelecidos previamente por escrito."

4.1.2. Formalidade, papelada

4.2. Caráter formal das comunicações.

4.2.1. "As regras, decisões e ações administrativas são formuladas e registradas por escrito."

4.2.2. Documentos como forma de comprovação, resistência a equívocos

4.3. Caráter racional e divisão do trabalho.

4.3.1. Sistemática divisão de trabalho

4.3.1.1. Função dos funcionarios

4.3.1.2. Função dos departamentos

4.3.2. Competência e Responsabilidade

4.4. Impessoalidade nas relações

4.4.1. Profissionalismo

4.4.2. Relevância ao cargo

4.4.2.1. Demissões não levam o sistema ao colapso

4.4.3. Tenta evitar o nepotismo

4.4.3.1. Moralidade Econômica

4.5. Hierarquia de autoridade.

4.5.1. Submissão ao superior

4.5.2. "Nenhum cargo fica sem controle ou supervisão."

4.6. Rotinas e procedimentos padronizados.

4.6.1. Normas técnicas

4.6.2. Rigidez hierarquica

4.6.3. Visa maior desempenho

4.7. Competência técnica e meritocracia.

4.7.1. Não há preferencia pessoal

4.7.2. Objetivos alcançados pelo funcionário resulta em reconhecimento

4.7.2.1. Viabiliza promoções, aumento de salário

4.7.3. Capacidade para o cargo

4.7.3.1. Através de concursos, títulos ou promoções

4.8. Especialização da administração.

4.8.1. Gestores especialistas

4.8.2. Não são proprietários do que administram

4.8.2.1. Possuem poder

4.9. Profissionalização dos participantes.

4.9.1. Formação Técnica

4.9.2. Treinamento do funcionário

4.10. Completa previsibilidade do funcionamento.

4.10.1. Consequência desejada

4.10.2. "Todos os funcionários deverão comportar-se de acordo com as normas e regulamentos da organização, a fim de que essa atinja a máxima eficiência possível."

5. Tipos de Sociedade

5.1. Tradicional

5.1.1. Patriarcal

5.1.1.1. Feudal, patrimonial

5.1.1.2. Não racional

5.1.1.3. Tradição, costumes

5.2. Carismática

5.2.1. Personalistíca

5.2.1.1. Política, religiosa

5.2.1.2. Não racional

5.2.1.3. Lealdade, devoção

5.3. Legal, racional e burogrática

5.3.1. Impessoal

5.3.1.1. Burocratica

5.3.1.2. Formal, racional, mérito

5.3.1.3. Regulamentação

6. Exemplo mais comum

6.1. Organizações Públicas

7. Vantagens

7.1. Racionalidade

7.2. Precisão de cada função

7.3. Rapidez nas decisões

7.4. Univocidade de interpretação

7.4.1. Regulamentação específica e escrita, fornecida apenas a quem deve recebê-la.

7.4.2. Uma única voz de interpretação

7.4.2.1. Evitar interpretações dúbias

7.5. Uniformidade de rotina

7.5.1. Padronização, a redução de custos e erros

7.6. Continuidade da organização

7.6.1. Substituição do pessoal que é afastado

7.6.2. Critérios de seleção dos funcionários

7.7. Redução do atrito entre as pessoas

7.7.1. Limites de cada função

7.8. Constância

7.8.1. Lineraridade

7.9. Confiabilidade

7.9.1. Regras, sistema metódico

7.9.2. Previsão

7.9.3. Impessoal

7.10. Benefícios para as pessoas na organização

7.10.1. Plano de carreira

7.10.1.1. Especialização

7.10.1.2. Mérito

7.10.1.3. Competência Técnica

8. Desvantagens

8.1. Internalização das regras e apego aos regulamentos

8.1.1. Mais atenção as regras que na recionalidade

8.1.2. Sem flexibilidade

8.2. Excesso de formalismo e de papelório

8.3. Despersonalização do relacionamento

8.3.1. "Os funcionários passam a conhecer os colegas não pelos seus nomes pessoais, mas pelos títulos dos cargos que ocupam"

8.4. Categorização como base do processo decisório

8.4.1. Devido a hierarquia, há dificuldade em chegar à conclusões...

8.5. Super conformidade às rotinas e aos procedimentos

8.5.1. Devoção estrita às normas e regulamentos

8.5.2. Limitação em sua liberdade e espontaneidade pessoal

8.5.3. Mais uma vez, perda de racionalismo, flexibilidade. Sem novas ideias...

8.5.4. Incapacidade de compreender o significado de suas próprias tarefas e atividades dentro da organização como um todo

8.6. Exibição de sinais de autoridade

8.6.1. Apreciação pelo status do cargo

8.6.2. Alianças com partidos para continuar em cargos altos

8.7. Dificuldade no atendimento ao público

8.7.1. Atendimentos de forma padronizada

8.7.2. A busca constante de informações através dos superiores, irrita o publico

9. Outros modelos

9.1. Modelo de Merton

9.1.1. Visa o estabelecimento de padrões, controles e penalidades

9.2. Modelo de Selznick

9.2.1. Gera consequências aos funcionários

9.2.2. Prevê organizações informais

9.3. Graus de Burocratização nas Organizações (Gouldner)

9.3.1. Cada empresa pode haver um nível/grau de burocratização

9.4. Dimensões da Burocracia (Hall)

9.4.1. Defende a flexibilidade

9.4.2. Várias dimensões de burocratização