A Organização como fluxo e transformação- Gareth Morgan

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
A Organização como fluxo e transformação- Gareth Morgan por Mind Map: A Organização como fluxo e transformação- Gareth Morgan

1. Análise dialética:

1.1. As contradições que ocorrem no ambiente organizacional é um dos fatores que contribui para a mudança.

1.2. Cada fase do desenvolvimento estabelece as condições que levam a sua própria transformação;

1.3. Tensões básicas podem ser reestruturadas para criar novos caminhos para o desenvolvimento.

1.4. Filosofia Taoísta: fluxo contínuo e dinâmica dos opostos.

1.5. Três princípios dialéticos: luta mútua; negação da negação,transformação da quantidade em qualidade.

1.6. Muitos problemas organizacionais dependem do efetivo gerenciamento de contradições.

2. Causalidade Mútua:

2.1. Círculos em vez de linhas

2.2. Análise de Feedback positivo e feedback negativo

2.3. Feedback negativo: mudança em uma variável leva a mudança na direção oposta (estabilidade do sistema);

2.4. Feedback positivo: mais leva a mais e menos leva a menos (padrões de aceleração da mudança);

2.5. A chave da administração é a redefinição da natureza desses circuitos.

2.6. Nenhum fator isolado é a causa do problema.

3. Lógica do caos e da complexidade:

3.1. As organizações e suas relações são parte de um padrão de atração.

3.2. A partir do caos o sistema encontrará novas alternativas.

3.3. Regras organizacionais básicas tendem a manter as relações organização-ambiente em determinada configuração.

4. Teoria da Autopoiese:

4.1. As organizações podem adotar identidades novas e mais sistêmicas através da auto-reflexão.

4.2. Sistemas autopoiéticos são circuitos fechados: estruturas a sua própria imagem.

4.3. Capacidade que a organização tem de definir sua identidade e com seus padrões pré-estabelecidos se relacionar com o ambiente.

4.4. Se alguém quiser entender seu ambiente, precisa começar a entender a si mesmo.

4.5. Egocêntricas: não se reconhece que a organização e o ambiente são partes do mesmo padrão, sendo que é o padrão que evolui.

5. Heráclito:

5.1. "Não se pode entrar no mesmo rio duas vezes, pois outras águas estão continuamente entrando na corrente."

6. Vantagens

6.1. Aprender a arte de administrar e mudar contexto;

6.2. Aprender como usar pequenas mudanças para criar grandes efeitos;

6.3. Entender a natureza e fonte da mudança para poder entender sua lógica e melhor gerenciá-la;

6.4. Entender que a mudança se auto-organiza e é um fenômeno emergente.

7. Limitações:

7.1. Poder impotente: os administradores realmente querem ouvir esta mensagem?

7.2. Dada a realidade dos sistemas complexos, sugerem que não é possível organizar, predizer e controlar.

8. Características:

8.1. Processo, fluxo e mudança como fundamentais;

8.2. O que acontece quando examinamos abaixo da superfície aparente das organizações?

8.3. Ordem implícita( encoberta) e ordem explícita (exposta).

8.4. Como a realidade explícita da vida organizacional é formada e transformada por processos subjacentes com ordem e lógica própria.