Intervenção em Grupo com Famílias de Crianças com Deficiência Auditiva

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Intervenção em Grupo com Famílias de Crianças com Deficiência Auditiva por Mind Map: Intervenção em Grupo com Famílias de Crianças com Deficiência Auditiva

1. (S1) Estratégia: "Dinâmica da Teia": como forma de promover a interação entre as famílias e de enfatizar a importância do trabalho em equipe, o grupo ficou em círculo, passando um barbante de mão em mão e cada participante deveria falar o seu nome e o motivo pelo qual estava fazendo parte do grupo de pais.

2. Sessões 3, 4 e 5: (S 3,4,5) Trabalhar as necessidades mais frequentes relatadas no INF, pela maioria das famílias

3. Sessão 2: (S2) Aplicação do INF

4. (S2) Estratégia: Os pais responderam individualmente ao inventário.

5. Meta principal: empoderar as famílias no processo de (re)habilitação de seus filhos

5.1. Trabalhar as necessidades de informações trazidas pelas famílias

5.2. Oferecer suporte às necessidades de apoio relatadas pelas famílias

6. Sessão 1: (S1) Boas Vindas às famílias; sensibilização das famílias para a participação efetiva e a compreensão da formação de uma equipe que envolve o grupo de profissionais e os familiares

7. (S1) Resultados: os pais relataram antes da dinâmica da primeira sessão que os profissionais são os principais responsáveis pela (re) habilitação de seus filhos e após a dinâmica demonstraram-se motivados para a continuidade do grupo.

8. (S2) Resultados: análise das necessidades das famílias a partir do INF, com contribuições para o planejamento da intervenção em grupo.

9. (S 3,4,5) Estratégias: 1. Caixa de conversa: usar uma caixa com as palavras chaves que remetem aos assuntos que os pais apresentaram ter necessidades em saber mais informações, segundo a coleta do INF, a saber: IC, AASI, sistema de FM, brincar e falar, comportamento da criança e perda auditiva. 2. Dinâmica da Bala: Os participantes deverão abrir as balas sem usarem suas próprias mãos. Com isso, elas deverão descobrir um meio para retirar a embalagem dos doces. O objetivo é que o participante peça ajuda a um colega para desembrulhar a bala. (aplicada na sessão 5).

10. (S 3,4,5) Resultados: 1. As famílias participaram ativamente da dinâmica e foi reforçada a importância da rede de apoio para enfrentar as dificuldades na educação de uma criança com deficiência auditiva e das vicissitudes da vida. Na sessão 3 os temas de maior interesse dos pais foram sobre o comportamento das crianças e sobre como falar e brincar com seu filho. As famílias relataram como fazem em sua rotina diária e as facilitadoras reforçaram os pontos positivos das falas, com orientações pertinentes. Nas sessões 4 e 5 a tônica das dúvidas e discussões foi o Implante Coclear (assistência técnica, falhas de dispositivo, acompanhamento do mapeamento). Os pais relataram angústia quanto ao acompanhamento referente ao IC em sua realidade e referiram satisfação quanto às orientações apresentadas.

11. Sessão 6: (S6)Trabalhar o poder da rotina e das famílias no sucesso do desenvolvimento das crianças com deficiência auditiva

12. (S6) Estratégias: 1. "Dinâmica da Ilha": Dois grupos serão formados. Cada grupo deverá se manter em cima do tatame. A meta é chegar do outro lado da sala sem pisar no chão. O segredo está em todo mundo se descolar para um tatame e depois para o outro tatame, colocando um na frente do outro, até chegar do outro lado da sala. 2. Cenário de Simulação: “Incluindo a criança nas rotinas diárias do cotidiano”: simulação de como as mães podem aproveitar o dia-a-dia para estimular a linguagem dos seus filhos, utilizando estratégias de comunicação.

13. (S6) Resultados: 1. As famílias participaram ativamente da "dinâmica da ilha" e relataram compreender a importância do trabalho em equipe na (re)habilitação de seus filhos. 2. No cenário de simulação, as famílias identificaram corretamente as estratégias facilitadoras e as barreiras para a estimulação da linguagem oral da criança com deficiência auditiva dentro das rotinas diárias (como falar e como brincar com meu filho, necessidade identificada no INF) e demonstraram-se bastante satisfeitas com a sessão.

14. Sessões 7 e 8: (S 7, 8)Trabalhar o uso de estratégias de comunicação como maneira de facilitar a interação e empoderar os pais no processo de (re)habilitação de seus filhos.

15. (S 7, 8) Estratégia: Cenário de Simulação: Em uma encenação de atividades diárias em casa, foram abordadas as estratégias efetivas que devem ser empregadas na comunicação com a criança com deficiência auditiva. Logo após, as mães exercitaram o uso das estratégias de comunicação entre si.

16. (S 7, 8) Resultados: As famílias identificaram as melhores estratégias de comunicação na discussão da simulação realizada e, posteriormente, exercitaram o uso das estratégias. Referiram bom aproveitamento desta atividade na rotina com seus filhos.

17. Resultados: as dinâmicas de grupo realizadas propiciaram alcançar a meta 2 identificada, com acolhimento aos participantes e interação entre as famílias. As estratégias voltadas para a meta 1 foram efetivas na oferta de informações que foram trabalhadas a partir dos conhecimentos prévios das famílias, em situações simuladas e roda de conversa, que proporcionaram empoderar as famílias especialmente quanto à comunicação com seu filho, por meio do bom aproveitamento da rotina e de brincadeiras apropriadas à faixa etária de seu filho (a) com deficiência auditiva, constatados a partir dos relatos dos familiares nas sessões de grupo analisadas.