CORRUPÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
CORRUPÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES por Mind Map: CORRUPÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES

1. CORRUPÇÃO (segundo a ONG Transparency International)- Abuso de poder confiado a alguém visando beneficio pessoal

2. Análise das causas do problema e a redução do problema

2.1. Nível Individual e Social - crenças existentes na sociedade que farão com que ocorram julgamento da corrupção de atos políticos ou administrativos, sendo essa postura consequência da falta de confiança, lealdade e consideração entre cidadãos e um Estado

2.2. Nível Institucional - violação da lei torna-se regra de conduta

3. A relação entre a ação da censura social e a corrupção pode ser um meio de detectar os motivos que ocorrem a perpetuação da corrupção através do tempo nas organizações

3.1. Os mais prejudicados pela corrupção, indivíduos com menor renda, possuem uma percepção maior dos prejuízos provocados por ela

3.2. Identidade Nacional em relação a corrupção

4. Táticas de racionalização da corrupção

4.1. Negação de responsabilidade: os envolvidos acreditam que não teriam escolha a não ser participar

4.2. Negação de Dano: envolvidos convencidos de que ninguém seria prejudicado por suas ações, não sendo assim de fato corruptas

4.3. Negação de vítima: envolvidos não acreditam que houve vítima, na verdade o fato de a parte violada ter merecido o acontecido é um argumento

4.4. Apelo para lealdades elevadas: envolvidos acreditam que a violação das normas ocorreram na tentativa de atender os valores de superiores

4.5. Ponderações sociais: envolvidos comparam a sua ação com práticas piores no mesmo âmbito em comparação com a que foi praticada

4.6. Metáfora do equilíbrio: envolvidos teriam o direito a comportamentos desviantes devido ao tempo e esforço acumulados nos trabalhos

5. Táticas de Racionalização utilizadas pelos envolvidos em esquemas de corrupção no Brasil

5.1. Ponderações sociais

5.1.1. Questionamento dos condenados sobre o a legitimidade do autor da denúncia

5.1.2. Comparação social seletiva onde alega-se que os demais acusados teriam provocado uma situação muito pior, concluindo que o dele não foi tão ruim

5.2. Negação do dano: autor se convence de que ninguém estaria realmente prejudicado por sua ação por isso não há ação corrupta

5.3. Negação de responsabilidade: os envolvidos alegam que não são autores da corrupção, e sim moralmente responsáveis sendo forçados a erra pela ocasião

5.4. Metáfora do Equilíbrio: os praticantes se amparam na situação social da organização, acreditando que esse vínculo com ele poderá isenta-lo da culpa

5.5. Negação do ato: usada aparentemente quando o acusado ainda não construiu um discurso sólido sobre o ato praticado, assim nega o ato

5.6. Postura cínica: o acusado utiliza uma atitude/postura cínica como tática de racionalização

6. As táticas de racionalização podem ser invocadas antes ou depois do ato, o que é preciso levar em consideração é o fato de que essas podem tornar-se parte da cultura organizacional, potencializando sua naturalização