A obra como crónica de mudança social

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
A obra como crónica de mudança social por Mind Map: A obra como crónica de mudança social

1. Camilo e a mudança social

1.1. Camilo opõe ao mundo envelhecido e rígido dos preconceitos.

1.1.1. A expectativa do leitor de ocorrer um final feliz é mantida até ao fim.

1.2. É um mundo de pais tiranos, de fidalguias hirtas, de magistrados empertigados e freiras frustradas e muito mais.

1.2.1. Este mundo é espontâneo em relação a sentimentos e um desejo incalculável que logo explode.

1.3. As personagens principais do Amor de perdição não têm tempo de crescer e de amadurecer.

1.3.1. São «traídos» pela própria juventude e na insolência do desafio que fazem.

2. Espaço social e revolta do «Eu» romântico

2.1. A obra foi escrita em 1861, quando Camilo se encontrava preso, acusado tal como Ana Plácido, de adultério.

2.1.1. O autor dá a conhecer os factos que deram origem a obra tal como as pessoas.

2.1.1.1. O subtítulo «Memórias de uma família» procura a critica a sociedade vivida, onde este demostra revolta e desencanto pelo seu país.

2.2. Simão e Teresa representam a pureza da entrega total a um amor idealizado mas antagónico perante a moral burguesa.

2.2.1. Estes mostram o direito a diferença e a assunção de uma forma de estar que valoriza o individuo face a uma massa social.

2.2.1.1. A trágedia é motivada pela oposição entre os valores absolutos, encandeados ao amor e aos valores sociais. Condenando o par amoroso á solidão total.

3. Amor de perdição: a ação principal

3.1. A ação Amor de perdição é muito simples e sóbria.

3.2. O amor vivido por Simão Botelho e Teresa de Albuquerque, contrariado por ambas as famílias. Teresa acaba por ir para o convento e Simão para a cadeia.

3.2.1. Simão é condenado a dez anos de degredo na Índia. Teresa morre tísica no convento e Simão morre também poucos dias depois.

3.3. Reduzimos para um esquema da ação principal com o objetivo de sobressair o fulcro.

3.3.1. O que sobressai é a oposição, o confronto entre vontades empenhadas em objetivos contrários.

3.3.1.1. O ódio revela-se diversas vezes, e este é o fator dinamizador da novela.