Seção 1.2 - Vigilância em saúde

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Seção 1.2 - Vigilância em saúde por Mind Map: Seção 1.2 - Vigilância em saúde

1. Conceitos

1.1. Está relacionada aos modos de viver e adoecer presentes em cada local e época e às ações e práticas desenvolvidas para prevenir a ocorrência e propagação das doenças.

1.1.1. Imagem 01

1.2. Inclui a vigilância e o controle das doenças transmissíveis, das doenças e agravos não transmissíveis, da situação de saúde, da saúde ambiental, da saúde do trabalhador e da vigilância sanitária.

1.2.1. Imagem 02

2. Tipos

2.1. 1. Vigilância Epidemiológica

2.1.1. é definida pela Lei no 8.080 como um conjunto de ações que possibilita os conhecimentos necessários para a detecção e prevenção de quaisquer mudanças nos fatores que determinam e condicionam a saúde dos indivíduos e da coletividade, com o propósito de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças e agravos.

2.1.1.1. funções coletar e processar dados sobre a ocorrência de agravos e doenças, oferecer recomendações sobre medidas de controle, promover ações de controle apontadas, avaliar o impacto das medidas adotadas e divulgar informações pertinentes.

2.1.1.1.1. objetivo fornecer continuamente informações atualizadas, bem como orientação técnica aos trabalhadores de saúde que em seu cotidiano necessitam tomar decisões e planejar ações no combate de doenças e agravos.

2.2. 2. Vigilância Sanitária

2.2.1. propõe e executa ações capazes de eliminar, minimizar, ou evitar riscos à saúde, por meio de intervenções nos problemas identificados relacionados ao meio ambiente e à produção e circulação de produtos e serviços de interesse da saúde.

2.2.1.1. I- Controle de bens de consumo que possam, direta ou indiretamente, interferir na situação de saúde, compreendendo as etapas e os processos, da produção ao consumo.

2.2.1.1.1. II- Serviços prestados relacionados à saúde.

2.2.2. Atua no monitoramento e na fiscalização, regulação da produção e comercialização de produtos que podem causar danos à saúde da população.

2.2.2.1. Figura

2.2.2.2. figura

2.3. Vocabulário

2.3.1. Agravos - Condições que acarretam danos à saúde, lesões.

2.3.2. Fatores de risco - São fatores que aumentam a probabilidade de ocorrência de agravos e doenças.

2.3.3. Risco sanitário – Relativo à probabilidade de ocorrência de eventos adversos, ou seja, desfavoráveis à saúde da população, que podem estar relacionados a produtos, serviços, meio ambiente e produção.

2.4. 3. A Vigilância da Situação de Saúde

2.4.1. desenvolve ações de monitoramento constante da saúde em todo o território nacional, em regiões e municípios. Por meio de estudos e análises, tais ações revelam os principais indicadores de saúde, fornecendo informações importantes e privilegiando questões que tenham relevância para um planejamento de saúde mais amplo.

2.5. 4. A Vigilância em Saúde Ambiental

2.5.1. objetiva conhecer, detectar ou prevenir qualquer variação nos fatores determinantes e condicionantes do ambiente que possam influenciar na saúde humana; propor e fazer uso de medidas preventivas e de controle dos fatores de risco relacionados às doenças e outros agravos à saúde, priorizando monitorar a qualidade da água para consumo humano, do ar e do solo; controlar desastres de origem natural, as substâncias químicas, os acidentes com produtos perigosos, fatores físicos e ambientes de trabalho que possam degradar o ambiente.

2.6. 5. A Vigilância em Saúde do Trabalhador

2.6.1. caracteriza-se por reunir atividades que se destinam a identificar a presença de riscos nas condições de trabalho e propor intervenções com a finalidade de proteger e promover a saúde, auxiliando na recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores.

3. Professor Me Wllington Jorge

4. Abrangência

4.1. Vigilância Epidemiológica

4.1.1. a abrangência do conceito e de sua aplicabilidade contempla variados problemas de saúde pública, que extrapolam as doenças transmissíveis, ou seja, as doenças infecciosas

4.1.1.1. engloba as malformações congênitas, envenenamentos na infância, leucemia, abortos, acidentes, doenças profissionais, comportamentos como fatores de risco, riscos ambientais, bem como grupos populacionais expostos a riscos diferenciados de adoecer e morrer, por meio de, por exemplo, programas de "saúde materno-infantil", "saúde do trabalhador", "saúde do idoso", dentre outros.

4.2. Vigilância Sanitária:

4.2.1. engloba ações que visam à eliminação, prevenção e diminuição de riscos sanitários relacionados ao meio ambiente, aos produtos, às condições de trabalho, às fronteiras e aos serviços de saúde e de transporte e circulação de pessoas e cargas.

4.2.1.1. • Produtos: alimentos, medicamentos, cosméticos, produtos de limpeza, sangue e derivados e equipamentos para a saúde.

4.2.1.2. • Serviços de saúde: unidades de assistência ambulatorial, clínicas, hospitais, ações de assistência domiciliar, práticas de interesse à saúde, serviços de diagnóstico e, em particular, os de radiações ionizantes, hemoterapia e hemodiálise.

4.2.1.3. • Meio ambiente: água, resíduos sólidos, edificações e ambiente de trabalho.

4.2.1.4. • Saúde do Trabalhador: ações e práticas que envolvem intervenções sobre fatores de risco presentes nos ambientes e processos de trabalho.

4.2.1.5. • Aeroportos e fronteiras: controle específico de portos, aeroportos e fronteiras, considerando veículos, cargas e pessoas.