Atenção a reação relativa ao diagnóstico da doença

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Atenção a reação relativa ao diagnóstico da doença por Mind Map: Atenção a reação relativa ao diagnóstico da doença

1. REGRESSÃO: A regressão constitui um mecanismo de adaptação à doença, na medida em que permite ao paciente deixar-se cuidar pela equipe médica, renunciar temporariamente às suas atividades habituais e aceitar a necessidade de uma hospitalização. A impossibilidade de regredir pode deixar o doente com uma exigência psíquica de "super adaptação" à doença, que a médio e longo prazo pode trazer-lhe bastante prejuízo (Jeammet, Reynaud e Consoli 1982). Ou, então, o paciente julga não estar doente e recusa-se a ser tratado ou abandona o hospital.

1.1. REGRESSÃO: Por outro lado, há situações em que a regressão - em etapas evolutivas da doença em que esta já não se faz mais necessária - é bastante prejudicial, não permitindo ao paciente mobilizar forças essenciais no sentido da recuperação.

2. A EXPERIÊNCIA DO ADOECER: a passagem do homem da situação de sadio para a de doente, seja de forma abrupta ou insidiosa, modifica a sua relação com o mundo e consigo mesmo e implica sempre em repercussões psicológicas, tanto nele quanto no seu círculo familiar e social.

2.1. MECANISMO DE DEFESA: Segundo Balint (1975), com o começo da doença põe-se em movimento uma série de processos secundários à enfermidade, criando uma "situação -vital", à qual o paciente deverá se adaptar. A doença põe em jogo não só mecanismos fisiológicos que tendem a restabelecer a homeostase, como do ponto de vista psíquico, mobiliza defesas psicológicas no intuito de enfrentar a ruptura do equilíbrio que é acarretada pela eclosão da doença.

2.2. NEGAÇÃO:Trata-se de uma defesa contra a tomada de consciência da enfermidade, que consiste na recusa parcial ou total da percepção do fato de se estar doente. Essa negação da realidade - tanto do diagnóstico, quanto de suas implicações - é um mecanismo de urgência contra a angústia, sendo freqüentemente encontrada nas fases iniciais das doenças agudas (p. ex.: câncer). Com o passar do tempo, a negação costuma ir diminuindo e o paciente deprime-se (House, Mayou e Mallison, 1995).

3. DEPRESSÃO: A depressão constitui uma conseqüência psíquica praticamente inevitável do adoecer. Eventualmente podem ocorrer reações depressivas à medida que a negação diminui e o paciente vai tomando consciência da sua doença. A hospitalização, com tudo o que implica para o paciente, pode também contribuir para os quadros ansiosos e depressivos observados nas doenças agudas (Mello Filho, 1979)