Engenharia de Requisitos na Processa

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Engenharia de Requisitos na Processa por Mind Map: Engenharia de Requisitos na Processa

1. Levantamento do processo de trabalho

1.1. Processo AS IS

1.1.1. Alinhar com os gestores e documentar o que se espera com uma visão futura do projeto de forma qualitativa e quantitativa

1.1.2. Entender por que e pra que a modelagem está sendo feita e o que se espera do modelo final

1.1.3. Definir um padrão de notação de trabalho para a modelagem, técnicas e ferramentas utilizadas para o mapeamento

1.1.4. Especificar no plano de trabalho os responsáveis, recursos necessários, cronograma e agenda com os participantes

1.1.5. Estratégias e indicadores relacionados ao objetivos devem estar alinhados com a estratégia de negócio

1.1.6. Garantir a comunicação e infraestrutura necessárias para o projeto funcionar

1.1.7. Conscientizar a alta gestão e os operacionais sobre o projeto, requisitos, comprometimento, etc.

2. Planejar a solução em sprints curtos

2.1. Roadmap ágil:

2.1.1. Organização

2.1.1.1. Filtrar tarefas por temas que aderem aos seus principais objetivos garante trabalhar apenas em itens que se encaixam ao escopo do Roadmap

2.1.1.2. Consolidar ideias parecidas e identificar tarefas duplicadas

2.1.1.3. Entender o problema por trás de tarefas incompletas

2.1.1.4. Vincular o feedback dos clientes ao backlog do produto

2.1.1.5. Manter a equipe envolvida

2.1.1.6. Preencher as especificações do produto

2.1.2. Como montar

2.1.2.1. Transportar sua ideia para o papel e validá-la junto aos seus potenciais clientes

2.1.2.2. Fazer um brainstorming listando todas as possíveis funcionalidades que podem resolver o problema dos clientes

2.1.2.3. Organizar e hierarquizar os elementos listados no brainstorming confrontando objetivos da empresa, expectativas dos clientes e limitações orçamentárias

2.1.2.4. Montar um roteiro

2.1.2.5. Revisar o roteiro periodicamente de acordo com as mudanças tecnológicas, de tendência ou detecção de falhas

2.1.2.6. Atualizar o roadmap sempre que for necessário, de acordo com a natureza do projeto e as demandas que surgirem

2.1.3. Sugestões para priorização

2.1.3.1. usar sugestões dos próprios clientes: o que eles gostariam de ver/ter no produto

2.1.3.2. custo x benefício

2.1.3.3. análise KANO: satisfiers, dissatisfiers e delighters

2.1.4. Mapa

2.1.4.1. Trello

3. Desenhar o software em cada iteração

3.1. Protótipos

3.2. Diagramas

3.3. Especificação

4. Diagnosticar o problema

4.1. Análise do problema AS IS

5. Desenhar a solução do problema

5.1. Modelo TO BE

5.1.1. O que está sendo feito e não tem valor

5.1.2. O que não está sendo feito mas tem valor

5.1.3. O que está sendo feito fracamente e é esperado mais

5.1.4. O que está sendo feito fortemente mas não é esperado muito

5.1.5. Considerar com relação às atividades o que pode ser:

5.1.5.1. eliminado, substituído, adicionado, melhorado, unificado com outras atividades, juntado e feito em uma única área, paralelizado em relação à execução

5.1.6. Cuidados:

5.1.6.1. Acompanhar datas e compromissos e implementá-los

5.1.6.2. Se certificar que o processo está sendo executado como especificado

5.1.6.3. Não delegar ou substituir a responsabilidade pelo acompanhamento e certificação de implementação da melhoria

5.1.6.4. Caso alguma melhoria não possa ser implementada na data acordada, justificar sem perder a história

5.2. Visão do projeto

5.3. 7 dimensões do produto

5.3.1. atores

5.3.2. interfaces

5.3.3. ações

5.3.4. dados

5.3.5. regra de negócio

5.3.6. ambiente

5.3.7. qualidade

5.4. Epics

5.5. USs

5.6. Regras de negócio