2021 - FORMAÇÃO DE CUSTOS E PREÇOS

Aulas da professora Iane Neitzke,Faculdade FTEC.

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
2021 - FORMAÇÃO DE CUSTOS E PREÇOS por Mind Map: 2021 - FORMAÇÃO DE CUSTOS E PREÇOS

1. Fórmulas

1.1. - CUSTO TOTAL : CT = MD+MOD+CIF CT = CFt + CVt - CUSTO FIXO UNITÁRIO: CFu - CFt / Q - CUSTO VARIÁVEL UNITÁRIO: CVu - CUSTO VARIÁVEL TOTAL: CVt = CVu x Q - CUSTO TOTAL UNITÁRIO: Cut = CT / Q - RECEITA TOTAL = PREÇO DE VENDA UNITÁRIO X QUANTIDADE RT = PVu x Q

2. MATERIAL COMPLEMENTAR

2.1. eBook

3. AULAS

3.1. AULA 01 - 11/03

3.1.1. A ORIGEM DOS CUSTOS

3.1.1.1. CONCEITO

3.1.1.1.1. "Compreender como funciona a dinâmica dos custos nos ajuda a identificar, analisar e solucionar os problemas encontrados na sua apuração, assim como a identificar os fatores internos e externos que influem ou que afetam a formação do preço de venda" Atualmente estudar custos dentro das empresas nos permite atender a pelo menos três tipos de necessidades gerenciais: *Ter em mãos informações sobre a rentabilidade e o desempenho das diversas atividades executadas pela empresa; *Auxiliar no planejamento, no controle e no desenvolvimento das operações empresarias; *Ter acessos as informações de forma que possamos utilizá-las na tomada de decisões.

3.1.2. CONHECIMENTOS BÁSICOS NECESSÁRIOS AO ENTENDIMENTO DOS CUSTOS

3.1.2.1. A CONTABILIDADE

3.1.2.1.1. - CONTABILIDADE FINANCEIRA: Dentre as principais características destacam-se: a) É obrigatória perante a legislação do Imposto de Renda; b) Está sujeita às normas e imposições legais; c) É altamente normatizada e padronizada; d) Sofre auditoria contábil; e) Atende à vontade do Leão (fisco). - CONTABILIADE DE CUSTOS: a) Determinação do resultado (lucro ou prejuízo; b) Controle das operações e demais recursos produtivos; c) Tomada de decisão. - CONTABILIDADE GERENCIAL: a) O foco na tomada de decisões; b) Não está sujeita às restrições e imposições legais; c) É mais dinâmica e ágil que as demais contabilidades; d) Deve ser específica para cada tipo de negócio; e) Fornece subsídios para a avaliação de estoques e determinação de resultados; f) Contribui no planejamento e controle das atividades empresariais.

3.1.3. SLIDES

3.2. AULA 02 - 18/03

3.2.1. TERMINOLOGIA DOS CUSTOS

3.2.1.1. CONCEITO

3.2.1.1.1. GASTOS / CUSTOS / DESPESAS / INVESTIMENTOS

3.2.1.1.2. PERDAS / DESPERDICÍOS

3.2.2. SLIDES

3.2.3. EXERCÍCIOS

3.3. AULA 03 - 25/03

3.3.1. CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS QUANTO A UNIDADE (PRODUTO)

3.3.1.1. CONCEITO

3.3.1.1.1. - CUSTOS DIRETOS: "São Custos PERFEITAMENTE mensuráveis, de maneira OBJETIVA e DIRETA ao PRODUTO que está sendo produzido". "Aqui não é necessário qualquer tipo de rateio ou forma de distribuição." "Consigo identificar de forma objetiva e direta (mensurável) ao que eu estou produzindo". *MÃO-DE-OBRA DIRETA: "É quem está fazendo algum processo direto no produto". "Preciso identificar quem fez, quanto tempo levou e o custo desta pessoa, pois isso permite que eu mensure o custo desta pessoa". *MATERIAIS DIRETOS: "É quando eu consigo mensurar de maneira direta a quantidade de itens utilizados em determinada produção de produto". Ex: Na fabricação de um pão, farinha, ovos, fermento.

3.3.1.1.2. - CUSTOS INDIRETOS: "São custos NÃO MENSURÁVEIS de maneira direta e objetiva ao produto que está sendo produzido". "NECESSITAM de maneiras de rateio, para atribuí-los aos produtos e serviços que estão sendo produzidos". "Sei que vou utilizar, mas não sei o quanto". *CIF - CUSTO INDIRETO DE FABRICAÇÃO: "Não tenho a precisão de quanto dele vai em cada produto". "Normalmente são relacionados a estrutura da empresa e aos departamentos de apoio". EX: Gastos com combustível em uma linha de produção. Gastos com a segurança do prédio. Alimentação e transporte. Departamento de manutenção.

3.3.1.2. APLICAÇÃO

3.3.1.2.1. SÃO TRÊS OS ELEMENTOS: - MD - MATERIAIS DIRETOS. - MOD - MÃO-DE-OBRA DIRETA. - CIF - CUSTO INDIRETO DE FABRICAÇÃO.

3.3.1.2.2. TABELA

3.3.1.2.3. FÓRMULA

3.3.1.3. EXEMPLO DE CLASSIFICAÇÃO

3.3.1.3.1. EXEMPLO

3.3.2. CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS QUANTO AO VOLUME (QUANTIDADE)

3.3.2.1. CONCEITO

3.3.2.1.1. Dependendo do volume de produção e do comportamento destes custos, eles podem variar tanto no valor unitário quanto no valor total. "Na medida que o volume modifica-se, teremos custos diferentes". - FIXO: *CIF - CUSTO INDIRETO DE FABRICAÇÃO: "Não variam, independente de haver ou não produção, assim usamos rateios para apropriação". "São considerados FIXOS, pois independente do volume de produção, serão os mesmos, não variando na mesma proporção da produção". EX: Aluguel da fábrica. Pessoal da limpeza da fábrica. Pessoal da segurança da fábrica. - VARIÁVEIS: "Variam diretamente ao volume de produção". "Apropriação direta, não necessitando de rateios". *MD - MATERIAL DIRETO: *MOD - MÃO-DE-OBRA DIRETA: "Aumentam de maneira proporcional ao volume de produção". "É considerado variável, pois variam conforme a quantidade produzida". "Quanto mais eu produzir, mais eu vou gastar". EX: Madeira utilizada para a produção de mesas. - SEMI-FIXO: "É considerado FIXO até um determinado momento, após isso torna-se variável". EX: Consumo de energia elétrica. - Paga-se a taxa básica, com consumo ou sem, e a partir de um determinado patamar, paga-se de maneira variável.

3.3.3. SLIDES

3.3.4. EXERCÍCIOS

3.4. AULA 04 - 01/04

3.4.1. CORREÇÃO DOS EXERCÍCIOS DA AULA PASSADA

3.4.1.1. ARQUIVO

3.5. AULA 05 - 08/04 AULA 06 - 15/04

3.5.1. ELEMENTOS DOS CUSTOS

3.5.1.1. ELEMENTOS NA PRÁTICA

3.5.1.1.1. Como funcionam os custos e como eles chegam aos produtos. "Com relação ao que estamos produzindo, eles se dividem em custos diretos e custos indiretos" - CUSTO DIRETO: É alocado diretamente ao produto ou serviço. - CUSTO INDIRETO: É dividido entre todos os produtos que estão sendo produzidos. "primeiro passam por uma base de rateio e depois são divididos entre os produtos".

3.5.1.2. SÃO ELEMENTOS DOS CUSTOS:

3.5.1.2.1. CUSTOS DE AQUISIÇÃO

3.5.1.2.2. CUSTOS DIRETOS:

3.5.1.2.3. CUSTOS INDIRETOS:

3.5.1.2.4. CUSTO TOTAL DE PRODUÇÃO: É composto por: MD (MATERIAIS DIRETOS) + MOD (MÃO-DE-OBRA DIRETA). + CIF (CUSTOS INDIRETOS DE FABRICAÇÃO)

3.5.1.2.5. # MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: Quanto sobra da venda de cada produto, para pagar os custos fixos. Por qual motivo, o lucro torna-se menos relevante do que a margem de contribuição ? Pois o lucro é diretamente afetado pela maneira como eu rateio os custos fixos. Assim, toda a vez que a empresa muda a forma de rateio, vai mudar o lucro, ou o resultado de seus produtos.

3.5.2. Slides:

3.6. AULA 07 - 22/04 AULA 08 - 28/04

3.6.1. NORMAS (REGRAS) DE APROPRIAÇÃO DOS CUSTOS.

3.6.1.1. 1º PASSO: "Identificar e classificar os gastos em: * CUSTOS - Gastos relacionados com a produção de bens ou serviços. Ou * DESPESAS - Gastos relacionados com a geração de receita (vendas) e administração. 2º PASSO: "Para qual departamento pertence?" "Identificar e separar os custos por: * PRODUTIVOS - Responsáveis pela elaboração / produção do produto. Ou * AUXILIARES / DE APOIO / DE SERVIÇOS - Não trabalha na produção ou elaboração, presta apoio aos demais departamentos. 3 e 4º PASSOS: "Identificar e separar os custos em": * DIRETOS (VARIÁVEIS) - Custos apropriados diretamente aos produtos ou serviços. * INDIRETOS (FIXOS) - Custos que necessitam de rateio para a sua distribuição aos produtos ou serviços. 5º PASSO: "Apropriar os custos diretos aos produtos" "O que vai para o produto, A, B ou C". 6º PASSO: "Apropriar os custos indiretos de fabricação (CIF) utilizando formas de rateio". * Escolher a forma de rateio. * Apropriar conforme o critério escolhido. 7º PASSO: "Calcular os custos de produção dos produtos, somando os custos diretos e variáveis, mais os custos indiretos e fixos. *CUSTO DE PRODUÇÃO - Custos diretos variáveis + Custos indiretos e fixos.

3.6.2. FORMAS DE APURAÇÃO E ALOCAÇÃO DOS CUSTOS

3.6.2.1. CONCEITO

3.6.2.1.1. "A apuração dos custos consiste na forma de acumulação dos custos em cada tipo de unidade ou função de custo". - CUSTO POR PRODUTO: "Calculado individualmente, produto por produto, por cada tipo diferente produzido na empresa. Nele são apropriados os custos diretos e rateados os custos indiretos, no final do período". - CUSTO POR PROCESSO: "Unidades padronizadas que recebem, cada uma, quantidades iguais de material, de mão de obra e de custos indiretos, resultando em unidades idênticas, produzidas em massa (grandes quantidades), com produção contínua e demanda constante". - CUSTO POR ORDEM DE SERVIÇO: "Tem as mesmas características do sistema por ordem de produção ou por encomenda porém com uma grande diferença: envolve somente a prestação de serviços, contendo na sua estrutura gastos com: mão de obra e custos indiretos". - CUSTO POR ORDEM DE PRODUÇÃO (POR ENCOMENDA): "Acumula separadamente cada elemento do custo (materiais diretos, mão de obra e custos indiretos de fabricação) de acordo com ordens de produção específicas, emitidas pela área produtiva da empresa. Produtos específicos.".

3.6.2.2. APROPRIAÇÃO

3.6.2.2.1. "A apropriação de custos consiste, mais especificamente, na alocação e acumulação do custo em cada tipo de unidade ou serviço cujo valor se deseja conhecer. Pode ser direta ou indireta". - APROPRIAÇÃO DIRETA: "Quando se conhece o valor a ser apropriado a cada produto ou centro de custo. Há relação direta entre o gasto e o produto ou centro de custo. Exemplo: a matéria-prima e a mão-de-obra direta em uma unidade do produto. Ambos são possíveis de mensuração - APROPRIAÇÃO INDIRETA: "Quando não se conhece o valor a ser apropriado a um produto ou serviço e existe a necessidade de rateio. Bases de rateio: mão-de-obra direta, quantidade produzida, área utilizada, consumo de energia elétrica, consumo de matéria-prima, hora-homem, etc.

3.6.3. SLIDES

3.7. AULA 09 - 06/05

3.7.1. MÉTODOS E SISTEMAS DE CUSTEIO

3.7.1.1. SISTEMAS DE CUSTEIO: "São maneiras de apurar os custos, como eu vou fazer os cálculos?" "A maneira como eu vou fazer o cálculo dos custos, o que eu vou considerar" "Cada um deles tem um objetivo e uma aplicabilidade." "São as diferentes formas de alocar, calcular os custos". São as diferentes formas de alocar os custos (determina o que entra no custo do produto). - CUSTEIO DIRETO OU VARIÁVEL: Esse sistema é composto apenas por custos que São DIRETOS e VARIÁVEIS. "Aqui considera-se o gasto apenas com quem está diretamente produzindo e com os materiais diretamente utilizados". "Aqui não utiliza-se rateios, pois não são considerados os CIFs." Esse método geralmente é utilizado apenas para tomada de decisão, pois não é permitido pela legislação do importo de rende (IR). Considera-se: *Materiais diretos. *Mão de obra direta. - CUSTEIO POR ABSORÇÃO OU GLOBAL : MD+MOD+CIF "Aqui leva-se em consideração TODOS os custos de produção ou prestação de serviços." "Tudo que eu gastar, eu vou usar para fazer o cálculo do custo de produção". "Aloco aos produtos" "Esse sistema é o único aceito pelo fisco (IR). Considera-se: *Materiais diretos. *Mão de obra direta. * CIF. - Através de rateio. - CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES OU MÉTODO ABC: "Sua principal função é eliminar os problemas de custeios tradicionais eliminando assim as formas de RATEIO ineficientes". "Aloco por atividade" "É considerado o sistema de custeio mais preciso, porém com difícil implementação". - CUSTO PADRÃO OU STANDARD: (Também conhecido como custo orçado ou estimado) "Determina com antecedência o custo base de cada produto, antes de ser produzido". "Antes de produzir é calculado o custo do produto". "Tem como principal função servir de base para estabelecer preços de venda". "Deve ser usado apenas em caráter gerencial".

3.7.2. .PDF e exercícios

3.8. ATIVIDADE AVALIATIVA Nº1

3.8.1. ARQUIVO.

3.9. ATIVIDADE AVALIATIVA Nº2

3.9.1. ARQUIVO.

3.10. PROVA GRAU "A" - "OK"

3.10.1. .PDF

3.11. AULA 10 - 13/05

3.11.1. DICAS PARA REALIZAR A PROVA

3.12. AULA 11 - 20/05

3.12.1. CORREÇÃO DA PROVA

3.12.2. CORREÇÃO DOS EXERCÍCIOS DA AULA 09 -

3.13. AULA 12 - 27/05

3.13.1. DEPARTAMENTALIZAÇÃO

3.13.1.1. ENTENDENDO

3.13.1.1.1. PRINCIPAIS RAZÕES PARA A DEPARTAMENTALIZAÇÃO : A) Produção de diferentes produtos e em diferentes quantidades. B) Fluxos operacionais diferentes para vários produtos. C) Participação diferenciada dos produtos na utilização dos custos de cada setor. OBJETIVOS DA DEPARTAMENTALIZAÇÃO : A) Eliminar o maior número possível de custos indiretos. B) Apurar o custo de cada centro de custo. C) Responsabilizar as áreas por seus custos específicos. D) Adotar de taxas departamentais diferenciadas. E) Melhorar a determinação de custos dos produtos. F) Constituir uma base para melhor controle de custos. VANTAGENS DA DEPARTAMENTALIZAÇÃO : A) Aumento e melhoraria dos níveis de controle interno. B) Melhor identificação e alocação dos Custos Indiretos de Fabricação (CIF). C) Redução dos problemas (arbitrariedades) do uso de rateios dos Custos Indiretos (CIF).

3.13.1.2. TIPOS

3.13.1.2.1. DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS: "Não trabalha na produção ou elaboração de bens e serviços". "Tem como função atender às necessidades dos departamentos de produção ou de outros departamentos de serviços". DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO: "Responsável pela elaboração dos produtos, transformando fisicamente as unidades em processamento.".

3.13.1.3. CONTABILIZAÇÃO DOS GASTOS

3.13.1.3.1. PASSOS PARA CONTABILIZAR: 1º PASSO: Separar custos e despesas; 2º PASSO: Apropriar os custos diretos aos produtos; 3º PASSO: Apropriar os custos indiretos aos departamentos; 4º PASSO: Ratear os custos indiretos comuns aos diversos departamentos; 5º PASSO: Escolher a sequência de rateio dos custos acumulados nos departamentos de serviços e sua distribuição aos demais departamentos. 6º PASSO: Atribuir os custos indiretos (que agora só estão nos departamentos de produção) aos produtos, segundo critérios fixados preliminarmente.

3.13.2. FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

3.13.2.1. CONCEITO E ESTRATÉGIAS

3.13.2.1.1. CONCEITO: "É um processo em que uma empresa, com base em seus custos, estimativas de vendas e outras variáveis relacionadas com sua produção ou operação, determina o preço ideal de venda de seus produtos ou serviços". - Principais variáveis diretamente relacionadas a formação do preço de venda: Custos variáveis do negócio - Custos fixos do negócios - Margem de contribuição - Preços praticados pela concorrência - Preço que o mercado está disposto a pagar pelo seu serviço ou produto. ESTRATÉGIAS PARA A DEFINIÇÃO DO PREÇO DE VENDA: *ESTRATÉGIA DE CUSTO: O preço é fixado “de dentro para fora” da empresa, a partir dos diversos custos envolvidos na produção do produto ou na prestação do serviço e nas despesas relacionadas a sua venda. "Os preços são formados tendo como base os custos (entende-se por custos, todos os gastos relacionados ao produto)." "Considera que o PV dos produtos, mercadorias e serviços deve ser o suficiente para cobrir todos os gastos (custos e despesas), além de proporcionar o lucro desejado." *ESTRATÉGIA DE CONCORRÊNCIA: O preço é fixado “de fora para dentro” da empresa, a partir das práticas comerciais adotadas pelos principais concorrentes. "Os preços estabelecidos de acordo com esta estratégia, também conhecida como de mercado ". "Têm como principal característica a prática efetiva do mesmo preço de venda praticado pelo concorrente." *ESTRATÉGIA DE DEMANDA: O preço é fixado “de fora para dentro” da empresa, a partir do valor máximo que o mercado está disposto a pagar. "Considera que, a cada nível de preço praticado, tem-se um nível de demanda diferente." "Em condições normais, quanto maior o preço, menor a demanda; em um situação oposta quanto menor o preço, maior a demanda".

3.13.2.2. COMPONENTES DO PREÇO DE VENDA

3.13.2.2.1. CUSTOS E DESPESAS

3.13.2.2.2. IMPOSTOS

3.13.2.2.3. LUCRO

3.13.3. ARQUIVOS

3.14. AULA 13 - 03/06

3.14.1. TAREFA

3.14.1.1. ARQUIVO

3.15. AULA 14 - 10/06

3.15.1. MARK-UP

3.15.1.1. CONCEITO

3.15.1.1.1. MARK-UP: É a margem expressa na forma de percentual ou índice, que deverá cobrir além de todos os gastos relacionados à mercadoria, produto ou serviço, também o lucro desejado. AS FACILIDADES: Uma empresa pode definir mark-ups diferentes para vários produtos, como por exemplo: Mark-up de 1,844 para lanternas; Mark-up de 1,691 para frisos, e assim por diante. de Venda MARK-UP DIVISOR (MD) : 100% - somatório das variáveis (%) / 100 MARK-UP MULTIPLICADOR (MM) : 1 / MD

3.15.2. REVISÃO EXERCÍCIO

3.16. AULA 15 - 17/06

3.16.1. EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO