Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
CERVICITES por Mind Map: CERVICITES

1. DEFINIÇÃO

1.1. Inflamação do colo/cérvix uterino

2. ETIOLOGIA

2.1. Germes ascendentes

2.2. Bactérias sexualmente transmissíveis

2.3. Agentes etiológicos

2.3.1. Mais comuns

2.3.1.1. Neisseria gonorrhoeae (gonococo)

2.3.1.2. Chlamydia trachomatis (clamídia)

2.3.2. Menos comuns

2.3.2.1. Mycoplasma

2.3.2.2. Ureplasma

2.3.2.3. Escherichia coli

2.3.2.4. Actinomyces israelli

2.3.2.4.1. Dispositivo intrauterino- DIU

3. CERVICITE POR GONOCOCO

3.1. Agente etiológico

3.1.1. Neisseria gonorrhoeae (gonococo)

3.1.2. Bactéria: diplococo gram negativo

3.2. Infecção sexualmente transmissível (IST)

3.3. Período de incubação

3.3.1. 4-7 dias

3.4. Clínica

3.4.1. Assintomáticas

3.4.1.1. 60-80% dos casos

3.4.2. Sintomáticos

3.4.2.1. Mulheres

3.4.2.1.1. Secreção cervical purulenta

3.4.2.1.2. Bartolinite

3.4.2.1.3. Esquenite

3.4.2.2. Homens

3.4.2.2.1. Secreção uretral purulenta

3.4.2.3. Conjuntivite gonocócica

3.4.2.3.1. Conjuntivite neonatal por Neisseria gonorrhoeae

3.4.2.3.2. Contaminação do recém-nascido através do canal de parto

3.4.2.3.3. Conjuntivite purulenta

3.4.2.3.4. Nitrato de prata

3.5. Diagnóstico

3.5.1. Essencialmente clínico

3.5.2. Coloração de gram auxilia

3.6. Tratamento

3.6.1. Ceftriaxona 500mg IM dose única

3.6.1.1. Primeira linha

3.6.2. Ciprofloxacino (quinolona) 500mg VO

3.6.2.1. Segunda linha

3.6.2.1.1. Algumas cepas de gonococo apresentam resistência

4. CERVICITE POR CLAMÍDIA

4.1. Agente etiológico

4.1.1. Chlamydia trachomatis

4.1.2. Bactéria

4.1.3. Parasita intracelular obrigatório

4.2. Infecção sexualmente transmissível (IST)

4.3. Clínica

4.3.1. Assintomáticas

4.3.1.1. 60-75% dos casos

4.3.2. Sintomáticos

4.3.2.1. Leucorreia (menos purulenta/pronunciado do que a do gonococo)

4.3.2.2. Síndrome uretral

4.3.2.2.1. Uretrite por clamídia

4.3.2.2.2. Sintomas urinários/de infecção do trato urinário (ITU)

4.3.2.2.3. Laboratório

4.4. Diagnóstico

4.4.1. Essencialmente clínico

4.4.2. Outros exames

4.4.2.1. PCR da secreção cervical

4.4.2.1.1. Maior sensibilidade

4.4.2.1.2. Identificação da bactéria

4.4.2.2. IgM e IgG

4.4.2.3. Imunofluorescência (IF) direta

4.4.2.4. Cultura

4.5. Tratamento

4.5.1. Azitromicina 1g VO dose única

4.5.2. Doxiciclina 100mg VO 12/12h 7 dias

4.5.3. Infecção por clamídia + doença inflamatória pélvica (DIP)

4.5.3.1. Doxiciclina 100mg VO 12/12h 14 dias

5. PRÁTICA CLÍNICA

5.1. Não diferencia infecção por gonococo de infecção por clamidia

5.1.1. Infecção por um germe isolado

5.1.1.1. Menos comum

5.1.2. Infecção pelos dois germes

5.1.2.1. Mais comum

5.1.2.1.1. Tratamento com Ceftriaxona + Azitromicina/Doxiciclina