Território brasileiro

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Território brasileiro por Mind Map: Território brasileiro

1. Durante séculos conheceu apenas uma produção fundada com foco no trabalho concreto e direto no homem

2. escolha de local apto para o trabalho

2.1. 3 séculos técnica de ocupação limitada

2.1.1. chegada dos europeus

2.1.1.1. tomada de terras e a obrigação do trabalho, criando, assim uma nova geografia local

2.1.1.1.1. motivos de ocupação

2.1.1.2. Técnica de Estado

2.1.1.2.1. Manter a ordem

2.1.1.2.2. ampliar fronteiras

2.1.1.2.3. coleta de impostos

2.1.1.2.4. unificação da língua com auxilio da Igreja

2.1.1.3. Povoamento

2.1.1.3.1. mineração e criação de gado

3. Pobreza

3.1. apesar de interligadas, pobreza não quer necessariamente exclusão social

3.2. ligada nas seleções que a natureza fazia daquilo que era produzido

3.3. urbanização e aumento na produção agrícola para exportar desenvolveu a área de trabalho, consequentemente aumentando a pobreza

3.3.1. soluções comandadas pelo Estado ou ação social

3.3.2. "pobreza incluída"

4. Nova geografia

4.1. utilização de novos recursos

4.2. prolongamento do corpo do homem

4.3. prolongamento do território

5. Espaço Mercanizado e Mecanização

5.1. Segunda metade do século XIX

5.1.1. produção a partir de usinas açucareiras

5.1.2. navegação a vapor

5.1.3. estrada de ferro

5.1.4. Interdependência dos navios

5.1.5. ferrovias e primeiras rodovias

5.1.6. permite sistemas de engenharia no território

5.2. Ainda se mantém parte do território natural, como a Amazônia.

5.3. Investimento público

5.3.1. Borracha (Belém e Manaus)

5.3.2. Café (São Paulo e Santos)

5.3.3. Cacau (No comando do porto de Ilhéus, na Bahia)

5.3.4. Primeiras Indústrias

5.3.4.1. Algodão (Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco e Maranhão

5.3.4.2. fontes de energia

6. Desenvolvimento técnico

6.1. deslocamento de materiais e fluidos

6.2. as mais importantes fabricas do Brasil, a partir de 1890, se encontravam no Rio de Janeiro

6.3. crescimento territorial desigual

6.4. comércio voltado para estrangeiros

7. País na fase industrial (capitalista)

7.1. cidades beneficiárias aumentando seu espaço regional

7.2. navegação para o exterior como mínimo contato entre as capitais regionais

7.3. consolidou área de monocultura de exportação

7.4. processo de urbanização

7.5. aumento de eletricidade

7.6. riqueza gerada, a partir do crescimento de emprego, permitia uma evolução menos brutal na desigualdade social

8. Industrialização

8.1. criação de empregos

8.2. processos técnicos lentos

8.3. Benefício vindo com a imigração que trazia a tecnologia, contribuindo para a mão-de-obra qualificada

8.3.1. seguido do desejo reproduzir o modelo de consumo do país de origem

8.4. São Paulo como o grande beneficiário

8.5. aumento populacional

9. Segunda Guerra Mundial

9.1. carência de transporte

9.2. São Paulo como grande metrópole fabril

10. 1950 até 1980

10.1. Brasília como metrópole política

10.2. São Paulo se firma como econômica

10.3. concretização da importância das cidades no interior

10.3.1. devido o crescimento populacional

10.3.2. elevação do nível de vida

10.3.3. expansão do consumo e demanda de serviço

10.4. triplicação das matrículas no ensino médio (1960/1980)

10.5. aumento de 3,6 nas matrículas universitárias

11. Globalização

11.1. revolução nas telecomunicações

11.1.1. permitiu a transmissão de dados e a unificação do sistema de televisão

11.2. incorporação de satélites brasileiros

11.3. pobreza relativa

11.4. diminuição da atividade econômica

11.5. mudança na geografia do interior paulista

11.5.1. (1975) Proálcool

11.6. (1970) modernização da agricultura; capitalismo agrário; expansão das fronteiras agrícolas; movimento dos bóias-frias

11.7. aumento de intercâmbio

11.8. produção de bens de capital

11.8.1. não existe mercado interno

11.9. favorecimento de grande empresas e desleixo com a grande massa empobrecida

11.10. pavimentação de principais rodovias para países vizinhos

11.10.1. maior integração comercial

11.11. processo fluido seletivo

11.12. aumento populacional

12. Década de 1990

12.1. mais de 16 milhões de hectares não utilizados

13. Multiplicação da Pobreza

13.1. exportação pregada como necessária

13.2. custo social com intercâmbios e circulação desnecessário

13.3. aumento da economia populacional, mas sem o investimento na Previdência

13.4. 2002 a classe pobre representa um terço da população brasileira

13.5. crescimento de riqueza, porém com uma péssima distribuição

13.6. regiões pobres com grande empreendimento, mas com lucro internacional

14. Consumo

14.1. maior vulnerabilidade com cheque especial e crédito pelo aumento de juros

14.1.1. 1999 mais de 24 milhões de cartões de crédito distribuídos pelo Brasil para pessoas de renda alta

14.2. aumento de novo estilo de vida

14.2.1. aumento de consumo em eletrodomésticos e eletroeletrônicos

14.3. aumento de alunos e universidades

14.3.1. concorrência maior devido as poucas vagas, principalmente no ensino privado

14.3.1.1. contribui para a pobreza e exclusão

14.4. aumento de consultas em estabelecimento públicos

14.5. o investimento nos serviços públicos e básicos sempre foi mais lento do que crescimento e necessidade populacional

15. Neoliberalismo e Pobreza Estrutural

15.1. seletividade na distribuição geográfica nos distribuidores

15.2. ausência de poder público

15.3. mercado privado

15.4. vulnerabilidade à crise e pode ser cada dia mais pobre

15.5. normas destinadas a reduzir a mão-de-obra

15.6. na prática a pobreza é necessária

16. Território Corporativo

16.1. comando de vida econômico e social

16.2. utilização privilegiada de bens públicos

16.3. utilização hierárquica de bens privados

16.4. se fortalece a partir das construções de infraestruturas necessárias bancadas pelo governo

16.5. realiza-se a partir de empresas-rede

16.5.1. influências em partes ou total de território por meio de comunicação, infraestrutura e informações

17. Reconhecimento do território

17.1. ações públicas compensatórias e universais

17.2. direitos universais (ou que deveriam ser) como a saúde, educação, aposentadoria, cultura, etc.

17.3. cidadãos não devem tolerar que seus direitos venham pela metade e com falhas, quando eles são serviços básicos do Estado para a população ter uma forma de vida digna.

17.3.1. o caminho mais direto para acabar com pobreza estrutural