A Implementação Objeto-Relacional no Oracle

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
A Implementação Objeto-Relacional no Oracle por Mind Map: A Implementação Objeto-Relacional no Oracle

1. Tipos Referência

1.1. OID

1.1.1. Identificador de objetos, e feito quando um objeto e armazenado numa tabela através de uma Tabela de Objetos.

1.2. REF

1.2.1. Funciona de maneira parecida a um ponteiro, pois demonstra como um objeto e visto pelo usuário.

1.2.2. A junção de tabelas de objeto e feita através dele.

1.2.3. Pode referenciar qualquer tipo de objeto presente em qualquer tabela.

1.2.4. Pode restringir o referenciamento de qualquer instancia na tabela.

1.3. SCOPE

1.3.1. Usado para Restringir os escopos para um tipo ou uma tabela.

1.4. Auto-Relacionamento

1.4.1. Um objeto faz referencia a outro.

2. Tipo Objeto

2.1. Possibilita a criação de dados adicionais que posteriormente podem ser referidos dentro de outros objetos.

2.2. Simplifica a complexidade do tratamento de dados complexos.

2.3. Gravação dos tipos criados no esquema do BD, oque possibilita que outras que outras declarações que acessem o BD possam utilizar as definições desses tipos.

3. Tabela de Objetos

3.1. Suas linhas são consideradas objetos.

3.2. Sua estrutura e definida por um tipo de dado estruturado, oque faz com que as linhas da tabela se tornem instâncias.

3.3. Operador Value

3.3.1. Retorna o conteúdo armazenado numa tabela de objetos.

3.3.2. Pode referenciar uma linhas da tabela de objetos.

4. Tipos Coleção

4.1. Definem estruturas de dados para que seja possível manipular conjuntos de elementos semelhantes.

5. Tipo Vetor

5.1. Uma lista ordenada de elementos semelhantes é criada, cada qual possui um número de posição vetor.

5.2. Possui tamanho variável, portanto e necessário especificar seu tamanho máximo.

6. Tabelas Aninhadas

6.1. São colunas que possuem um conjunto de dados que referenciam outras tabelas.

6.2. Seus elementos são desordenados, de mesmo tipo é sem restrição de elementos.

7. Métodos e Funções

7.1. Permite a vinculação de código aos dados, oque possibilita a implementação da característica de encapsulamento, mesmo que de forma incompleta já que não e possível acessar diretamente as colunas de uma tabela.

8. Herança

8.1. Disponível somente a partir do Oracle 9i.

8.2. Pode criar subtipos que reutilizam os atributos e métodos de seu predecessor, possibilitando a criação de uma hierarquia de tipos.

8.3. Não possui suporte a múltiplas heranças.

8.4. Tipos e Métodos

8.4.1. FINAL

8.4.1.1. Os subtipos não podem redefinir sua implementação.

8.4.1.2. Tipos de objetos são por padrão definidos como FINAL.

8.4.2. NOT FINAL

8.4.2.1. Métodos são definidos por padrão como NOT FINAL.

8.5. Criação de Subtipos

8.5.1. CREATE TYPE

8.5.1.1. Usado para criar um subtipo.

8.5.2. UNDER

8.5.2.1. Usado para especificar o seu supertivo.

8.6. Criação de Tabelas

8.6.1. São utilizadas para manipular as instâncias dos tipos, formando assim uma hierarquia.

9. Conclusão

9.1. O objeto-relacional implementado no Oracle, traz vantagens com relação ao desempenho já que através dos ''ponteiros'' e das tabelas aninhadas as consultas realizadas por um SGBD a um BD são mais rápidas e compactas do que se feitas através da junção de um modelo relaciona.l