PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO por Mind Map: PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

1. Construção coletiva

2. A escola é um lugar de concepção realização e valorização de seu projeto educativo

2.1. formação do cidadão, participativo, responsável, compromissado, crítico e criativo;

3. Todo projeto pedagógico é um projeto político

3.1. ESCOLA COMO REFLEXÃO DO SEU COTIDIANO.

4. O projeto busca um rum, uma direção, uma ação internacional, uma vez que, está vinculado ao interesse da população.

5. Pretende organizar o trabalho pedagógico de modo que, supere os conflitos, busca eliminar as relações competitivas, corporativas e autoritárias, rompendo com a rotina do mando impessoal e racionalizado da burocracia, diminuindo os efeitos fragmentários da divisão do trabalho, que reforça as diferenças e hierarquias os poderes de decisão.

6. Igualdade de condição para acesso e permanência na escola; Igualdade de oportunidades qualidade, que não pode ser privilégio de minorias, econômicas e sociais, Ou seja, qualidade para todos

6.1. Valorização do magistério: garantindo-lhes o direito ao aperfeiçoamento profissional permanente, como programas de formação continuada estudando cidadania gestão democrática avaliação metodologia de pesquisa em ensino novas tecnologias de ensino.

6.1.1. Gestão democrática: pretende repensar a estrutura de Poder da escola, o que acaba com o individualismo, da recíproco cidade que elimina a exploração, da Solidariedade, que supera a opressão da Autonomia, que anula a dependência de órgãos intermediários.... Ampla participação dos representantes de todos segmentos da escola.

6.1.1.1. Liberdade e autonomia: "Ninguém pode ser livre se em volta dele há outros que não são". (HELLER, 1982, P.155) Portanto deve ser pensada como liberdade para aprender ensinar pesquisar e divulgar a arte e o saber direcionados para uma intencionalidade definida coletivamente.

6.2. Liberdade e autonomia: "Ninguém pode ser livre se em volta dele há outros que não são". (HELLER, 1982, P.155) Portanto deve ser pensada como liberdade para aprender ensinar pesquisar e divulgar a arte e o saber direcionados para uma intencionalidade definida coletivamente.

6.2.1. Escola de qualidade tem como obrigação, evitar de todas as maneiras a repetência e a evasão. Garante a consciência crítica, capacidade de ação, saber e mudar.

7. Construindo o PPP

7.1. FINALIDADES DA ESCOLA: Refletir usa intencionalidade educativa, refletir suas finalidades sociopolíticas e culturais;

7.1.1. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL: Gestão de recursos humanos, físicos e financeiros, estruturas administrativas, equipamentos, materiais didáticos, mobiliário distribuição das dependências escolares, espaços Livres, cores, limpeza e saneamento básico.

7.2. CURRÍCULO: Produção transmissão e assimilação de conhecimento de modo ideológico. O currículo expressa análise crítica, interpretativa da cultura dominante e da popular. Além de se portar como instrumento de "ordem" ou "formação" dependendo do modelo adotado. Pode se apresentar de modo hierárquico, ou que Estabeleça uma relação aberta e inter-relacionada.

7.2.1. TEMPO ESCOLAR: Existe o tempo pré-estabelecido que pontua o conhecimento por horário. Agora para uma nova educação efetiva é necessário tempo para estudantes se organizarem e criarem seus espaços para além da sala de aula.

7.3. PROCESSO DE DECISÃO: De acordo com com o interesse da população este mundo e a participação de todos no processo de decisão pensando na distribuição do poder e da de centralização do processo de decisão.

7.3.1. AS RELAÇÕES DE TRABALHO: Para uma gestão compartilhada é necessário novas formas de relação de trabalho com espaços abertos a reflexão coletiva que favoreçam um diálogo, a comunicação orientação horizontal, entre os diferentes segmentos envolvidos, com o processo educativo.

7.3.1.1. AVALIAÇÃO (autocrítica): Avaliação do projeto político-pedagógico, numa visão crítica, parte da necessidade de conhecer a realidade escolar, busca explicar e compreender criticamente as causas da existência de problemas, bem como suas relações e suas mudanças, esforça para propor ações alternativas.