Teorias do Diálogo

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Teorias do Diálogo por Mind Map: Teorias do Diálogo

1. No interior dos poderes

1.1. Passivas

1.1.1. Bickel

1.1.1.1. Técnicas de não decisão

1.1.2. Sustein

1.1.2.1. Minimalismo

1.1.2.2. Maximalismo (substantivo)

1.2. Ativas

1.2.1. Kaytal

1.2.1.1. Aconselhamento

1.2.2. Técnica da proporcionalidade

1.2.2.1. Imposição de uma linguagem

2. Decorrente da separação dos poderes

2.1. Construção coordenada

2.1.1. Louis Fisher

2.1.1.1. Não existe um único intérprete

2.1.1.2. Processo circular de interpretação constitucional

2.1.2. Whittington

2.1.2.1. Intérpretes apresentam igual autoridade

2.1.2.2. Importância da interpretação constitucional decorre do valor atribuído pelos poderes

2.1.3. Pickerill

2.1.3.1. Legislador prioriza questões de conveniência da política pública

2.1.3.2. A interpretação constitucional ocupa posição secundária para o parlamento que, sempre que possível, respeita os limites impostos pela Corte

2.1.3.3. A atuação da Corte propicia fundamentação constitucional à política

2.2. Barry Friedman

2.2.1. Dada a pluralidade social, os poderes devem negociar e estabelecer uma direção

2.2.2. A pluralidade e alternância dos significados no tempo tornam a deliberação política um processo contínuo

2.2.3. Juízes sofrem constrangimentos distintos no âmbito do sistema constitucional

2.2.4. Política e Direito são interdependentes e implicam na "cooperação de poderes"

2.2.5. Constitucionalismo dialógico: ciclos de aproximação e afastamento, que convergem com a opinião pública no longo prazo

2.3. Sequência legislativa

2.3.1. Peter Hogg e Alisson Bushell

2.3.1.1. Decisão judicial estabelece o início de uma comunicação interinstitucional

2.3.2. Kent Roach

2.3.2.1. A comunicação interinstitucional promove a autoconsciência e a autocrítica na democracia