Disfunção gonodal em homens

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Disfunção gonodal em homens por Mind Map: Disfunção gonodal em homens

1. Atividades espermatogênica

1.1. É o processo fisiológico no qual se produzem os espermatozóides a partir de células germinativas.

2. Espermatócitos

2.1. É a célula resultante do desenvolvimento da espermatogônia. É uma célula diplóide que, por meiose, dá origem a dois espermatócitos secundários e posteriormente quatro espermátides.

3. Esperma maduro

3.1. É uma célula móvel, formada por cabeça, colo e cauda. A cabeça é a maior parte e contém o núcleo haplóide e o acrossoma, organela em forma de capuz que contém várias enzimas importantes para a fertilização, pois facilita sua penetração ovular. O colo é a região que une essas duas estruturas. A cauda é constituída por três segmentos: a peça intermediária, peça principal e peça terminal. Essa estrutura, formada a partir dos centríolos, favorece a motilidade durante a fecundação. A peça intermediária contém mitocôndrias que fornecem ATP para a atividade desse flagelo.

4. Espermatogônia

4.1. Nos testículos são encontrados milhares de tubos finos e enovelados, os tubos seminíferos, onde se localizam as espermatogônias (2n). As espermatogônias multiplicam-se através de mitoses até a adolescência, período no qual passam a se multiplicar com maior intensidade. Depois da multiplicação, ocorre a fase de crescimento, em que algumas espermatogônias crescem e duplicam seus cromossomos, transformando-se em espermatócitos primários (2n), também chamados de espermatócitos I.

5. Túbulos seminíferos

5.1. É nos tubos seminíferos que os espermatozoides são produzidos. Cada testículo possui de 250 a 1000 túbulos que medem aproximadamente 150 a 250 µm de diâmetro e 30-70 centímetros de comprimento cada um, sendo o comprimento combinado dos túbulos de um testículo de aproximadamente 250 metros.

6. Célula de Leydig

6.1. São células que se encontram entre os túbulos seminíferos, no interstício dos testículos. Produzem a hormona testosterona, quando estimuladas pela hormona luteinizante (LH). Possuem um núcleo vesicular e arredondado e um citoplasma granular.