PESQUISA EM AÇÃO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
PESQUISA EM AÇÃO por Mind Map: PESQUISA EM AÇÃO

1. PESQUISA-AÇÃO COMO ESTRATEGIA DE PESQUISA ORGANIZACIONAL.

1.1. A pesquisa-ação pode ser definida com uma estrategia de pesquisa qualitativa dentro de um processo de mudança planejada. Tem maior chance de alcançar a teoria aplicada das participante ao invés da teoria assumida. com isto apresenta quatro fase da pesquisa-ação:

1.2. fase exploratória;

1.3. fase pesquisa aprofundada;

1.4. fase de ação;

1.5. fase de avaliação;

2. A PESQUISA-AÇÃO COMO ESTRATEGIA DE PESQUISA PARTICULA

2.1. É uma estrategia de condução de pesquisa aplicada de natureza participativa. com uma concepção de pesquisa de intervenção em determinado setores de atuação social busca alcança dois grande objetivo;

2.2. Objetivo de descrição

2.3. Objetivo de intervenção

3. CARACTERÍSTICA DE PESQUISA-AÇÃO

3.1. Caracterizada pela colaboração e negociação entre especialistas e práticos, integrantes da pesquisa. De início, havia uma tensão acentuada entre os componentes sobre o controle e autonomia do trabalho. Os especialistas, ansiosos para preservar sua autonomia profissional no âmbito curricular; e os práticos, para validar suas ideias e teorias perante a academia.

4. O PROCESSO DE INTERVENÇAÕ

4.1. Por causa do processo de intervenção, o pesquisador deixa de ser um simples observador para tornar-se um participante no processo de mudança, dois propositos: a- O teste de hipoteses ou respostas a questão de pesquisa objetiva academico adtado para geração de conhecimento; b- O resultado aos mudança desejaveis na situação em estudo objetivo prá ico de interesse das participantes.

5. EXPLORANDO AS FRONTEIRAS DA PESQUISA-AÇÃO COMO ESTUDO DE CASO E COM ATIVIDADE DE INTERVENÇÃO PROFISSIONAL

5.1. Alguns autores vinculado a pesquisa-ação ao estudo de caso, e justamente a ação que faz com que a pesquisa-ação se diferencie claramente do estudo de caso, e relevante destaca que a pesquisa-ação e:

5.2. Orientada para futuro;

5.3. Dinâmica;

5.4. Continua no tempo;

5.5. Emergente;

5.6. Geradora de teoria;

6. construção de conhecimento na pesquisa-ação

6.1. O ganho de conhecimento na pesquisa-ação e obtido através da observação e avaliação dos casos e dos obstáculos encontrados, os objetivos e conhecimento potencialmente alcançáveis na pesquisa-ação:

6.2. a- Possibilidade de coletar informação originais;

6.3. b- Efetivação do conhecimento teórico;

6.4. c- O conflito entre o saber formal e o saber informal;

6.5. d- Geração de regras praticas;

6.6. e- Os resultados e ensinamentos positivo e negativo;

6.7. f- Possibilidade de generalização a partir de varias pesquisa semelhante.

7. Analise de uma pesquisa realizada a partir da estrategia de pesquisa-ação

7.1. E a análise de uma experiencia utilização da pesquisa-ação, em busca de melhorar a competitividade de um empresa frente as pressões dos clientes, e o estudo de alternativas de mudança no processo produtivo.

8. Fases da intervenção

8.1. Primeira fase da intervenção: a compreensão do referencial conceitual e o esclarecimento do estudo, o levantamento dos principais problemas e a confirmação do interesse da empresa em participar do estudo. Os objetivos da primeira fase:

8.2. a- obter o comprometimento da empresa;

8.3. b- iniciar a capacitação teórica dos participantes nos princípios básicos;

8.4. c- iniciar a compreensão a respeito do processo produtivo e da empresa como um todo;

8.5. d-realizar o levantamento dos principais problemas existentes no ambiente produtivo;

8.6. segunda fase da intervenção: a identificação de alternativas de mudança e marcada pela intensificação das atividades de reuniões de pequenas grupos.Os objetivos desta fase:

8.7. a- intensificar o contata da pesquisadora com os participante;

8.8. b- repassar as informações coletadas pelo pesquisador aos participante;

8.9. c- dar sequencia a capacitação dos participante;

8.10. d- discutir ideias para melhorias de pequenos grupos;

8.11. e- intensificar a coleta de dados.

8.12. terceira fase da intervenção: a execução da mudança estrtural planejada ea execuçaõ do projeto de mudança do layout, identificados pelos participantes como principal problema a ser atacado e discussao dos resultado da Pesquisa de Satisfaçaõ dos Clientes nas reunioes de grupos. Objetivos:

8.13. a- repassar aos clientes os resultados da pesquisa de satisfaçaõ;

8.14. b- levantar as causas para o problemas;

8.15. c- biscar ideias para solucionar os problemas;

8.16. d- estabelecer um elo entre a mudança planejada na fase anterior;

8.17. e- avaliar o clima da organização para verificar como os participante estavam percebendo as mudança colocadas em praticas.

8.18. quarta fase da intervenção: avaliação do processo de intervençaõ foi realizado a ultimo ciclo de reuniões no qual foram avaliadas as atividades de pesquisa-ação conduzidas pelas pesquisador. Objetivo:

8.19. a- capacitação teorica mais aprofundada para permitir que os trabalhos continuassem apos a saida da pesquisadora;

8.20. b- avaliação dos trabalho de pesquisa-ação;

8.21. c- avaliação dos indicadores de desempenho;

8.22. modelo de intervenção construido o objetivo principal do estudo foi construir um modelo de interveção e descrever como foi o processo de contrução deste modelo, isto e, documentar a experiencia realizada. E composto por duas partes:

8.23. a- a base conceitual, formada por eixos do Sistema Toyota de Produção da Teoria dos Restrições e da Pesquisa-ação;

8.24. b- a parte operacional, responsavel por sinaizar como deve ser colocados em pratica os elementoteoricos definidos.