DESENHO TÉCNICO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
DESENHO TÉCNICO por Mind Map: DESENHO TÉCNICO

1. NORMAS

1.1. Guias para a padronização de procedimentos para o traçado.

1.2. PAPEL

1.2.1. A0 = 1189mm X 841mm A1 = 841mm X 594mm A2 = 594mm X 420mm A3 = 420mm X 297mm A4 = 297 X 210 A5 = 210 X 148

1.3. PRANCHA/MARGENS

1.3.1. A0, A1 -> Esquerda = 25mm; Outras = 10mm A2, A3, A4 -> Esquerda = 25mm; Outras = 7mm

1.4. LEGENDA

1.4.1. Situada no canto inferior direito em todos os formatos de papel.

1.4.1.1. Exceção = formato A4 (ocupará toda a extensão da largura do papel).

1.4.2. Também conhecida como carimbo.

1.4.3. No geral precisa ter informações como:

1.4.3.1. Título do desenho/projeto

1.4.3.2. Identificação da empresa/instituição responsável pelo projeto

1.4.3.3. Indicação sequencial do projeto - número/Prancha

1.4.3.4. Escala

1.4.3.5. Data

1.4.3.6. Nome do desenhista

1.4.4. Largura = 178mm

1.4.4.1. Nos formatos A1, A0 a largura será de 175mm

1.4.5. Altura = varia de acordo com a quantidade de tópicos a serem colocados na legenda.

1.4.5.1. Normalmente cada tópico tem uma altura de 10mm.

1.4.6. Divisão de tópicos horizontalmente = 118mm e 60mm

1.5. CARACTERES

1.5.1. O AutoCAD usa a fonte ISOCP.TTF ou Simplex

1.6. COTAS

1.6.1. Valores até 1m devem ser apontados em centímetros.

1.6.2. A linha de extensão deve estar separada do desenho entre 1 e 2mm e mede 1cm.

1.6.3. Deve ser posicionada preferencialmente fora do desenho.

1.6.4. Deve ser disposta em ordem de tamanho, obedecendo a hierarquia.

1.6.5. ELEMENTOS

1.6.5.1. Linha de extensão

1.6.5.2. Linha de cota

1.6.5.3. Valor expresso/cota

1.6.5.4. Finalização

1.7. PAREDES

1.7.1. PAREDE DE ALVENARIA: retas paralelas entre si, representadas por linha grossa, distando 15cm (paredes internas), 20cm (paredes externas), e as de gesso seguem o mesmo princípio, porém distam 10cm.

1.7.1.1. Obs.: Com a nova apresentação de gesso que vem sendo usada nos projetos de ambientação, o drywall, as paredes passam a ter 7cm de espessura.

2. ESQUADRIAS

2.1. Qualquer tipo de caixilho usado numa obra para fechamento de vãos.

2.1.1. Portas, janelas, venezianas, etc

2.2. Formada por grade ou marco e folhas.

2.3. Grade ou marco: elemento vazado que forma a esquadria.

2.4. Folha: cada parte que abre e fecha, seja por mecanismo de girar ou correr.

2.5. Verga: pequena viga colocada horizontalmente na parte superior das esquadrias.

2.6. Soleira (porta): a parte inferior do vão da porta no solo. Mudança de acabamento de pisos, mantendo o mesmo nível.

2.7. Bandeira: caixilho fixo ou móvel, situado na parte superior das esquadrias. Favorece a iluminação e ventilação dos ambientes.

2.8. PORTA

2.8.1. Medida: LARGURA X ALTURA

2.8.2. TIPOS DE PORTA

2.8.2.1. Porta de Correr: abertura feita por meio de deslizamento de suas folhas, possuindo ferragens de suspensão composta de roldanas e trilhos na sua parte superior e guias na inferior. Em geral são 2 folhas. Pode ser embutida ou não na parede.

2.8.2.2. Porta de pivotante: porta onde sua folha gira sobre um eixo vertical, podendo este ser situado no meio de seu vão ou mais próximo a uma das extremidades.

2.8.2.3. Porta Basculante: usada em grandes vãos, cujas folhas giram sobre um eixo horizontal colocado próximo a sua verga. Seu eixo situa-se a cerca de 2/3 da sua altura e, quando aberta, fica na posição horizontal.

2.8.2.4. Porta de Giro: é a mais comum nas construções, principalmente em ambientes internos. Porta cuja abertura é feita pelo movimento de rotação de sua folha, com o auxílio de ferragens de articulação.

2.8.2.5. Porta Pantográfica, Sanfonada e de enrolar.

2.9. JANELA

2.9.1. Medida: LARGURA X ALTURA / PEITORIL

2.9.2. TIPOS DE JANELA

2.9.2.1. Janela de Correr: abertura feita por meio de deslizamento de suas folhas, onde correm horizontalmente através de trilhos ou rebaixos.

2.9.2.2. Janela Pivotante: onde sua folha se abre girando em torno de um eixo vertical.

2.9.2.3. Janela Basculante: formada por folhas que giram em torno de eixo horizontal, abrindo vãos estreitos de ventilação. Suas folhas móveis são chamadas de básculas.

2.9.3. REPRESENTAÇÃO NA PLANTA BAIXA

2.9.3.1. JANELA BAIXA

2.9.3.1.1. Peitoril abaixo de 1,50m

2.9.3.1.2. Linha contínua

2.9.3.2. JANELA ALTA

2.9.3.2.1. Peitoril acima de 1,50m

2.9.3.2.2. Linha tracejada

3. INSTRUMENTOS

3.1. ESQUADROS

3.1.1. Ângulos = 30º, 45º, 60º e 90º

3.1.2. Utilizados para traçar retas paralelas.

3.2. ESCALÍMETRO

3.2.1. Utilizado para medir e conceber desenhos em escalas ampliadas ou reduzidas.

3.3. COMPASSO

3.3.1. Faz arcos de circunferência.

3.3.2. Marcar um segmento numa reta com comprimento igual a outro segmento dado.

3.3.3. Resolver alguns tipos de problemas geométricos, como por exemplo construir um hexágono, ou achar o centro de uma circunferência.

3.4. TRANSFERIDOR

3.4.1. Medir os ângulos ao longo de uma circunferência.

3.5. RÉGUA

3.5.1. Traçar segmentos de reta e medir distâncias pequenas.

3.6. RÉGUA PARALELA

3.6.1. Traçado de linhas horizontais paralelas.

3.6.2. Presa à prancheta através de um sistema de fios e roldanas, que promovem seu deslizamento paralelo sobre a mesa de desenho.

3.7. RÉGUA T

3.7.1. Utilizada para apoiar o esquadro ou para traçar linhas paralelas quando apoiada na mesa de desenhos.

4. ESCALAS

4.1. ESCALA DE REDUÇÃO

4.1.1. 1/e = d/D

4.1.1.1. e = escala

4.1.1.2. d = medida do desenho

4.1.1.3. D = medida real

4.2. ESCALA NATURAL

4.3. ESCALA DE AMPLIAÇÃO

4.3.1. e = d/D

4.3.1.1. e = escala

4.3.1.2. d = medida do desenho

4.3.1.3. D = medida real