Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
DESASTRES por Mind Map: DESASTRES

1. URBANIZAÇÃO, CRESCIMENTO ECONÔMICO

2. RISCO

2.1. Uma situação em que há alta probabilidade de ocorrência iminente de “desastres naturais” que possam afetar a integridade física de pessoas.

3. DESIGUALDADE SOCIAL

3.1. Faz com que a população carente procure a periferia para se instalar e morar.

4. FALTA DE INFRAESTRUTURA

4.1. As áreas ocupadas por essas pessoas são carentes de infraestrutura.

4.2. Sem redes públicas de coleta, as águas pluviais, o esgoto e o lixo desses loteamentos são despejados inedequadamente

4.3. O que em muito colabora para o fortalecimento dos processos erosivos.

5. AMEAÇA

5.1. Podem ser gerados pela dinâmica da natureza - geológicas (terremotos), hidrometeorológicas (enchentes e tempestades), biológicas - ou da sociedade - degradação ambiental ou ameaças tecnológicas como rompimentos de barragens, acidentes químicos e nucleares.

6. INEFICIÊNCIA DO ESTADO

6.1. Nas situações de risco, o Estado, muitas vezes, limita-se a emitir laudos e aconselhar a desocupação dos imóveis.

6.2. Os gestores públicos falam: ‘bom, é importante fazer um mapeamento e identificar quais são os problemas geológicos e físicos de determinada região para colocarmos um sistema que toca uma sirene’.

6.3. Poxa, toca a sirene e as pessoas vão fazer o quê? Elas não têm pra onde ir... E não escolheram estar ali.

6.4. É preciso construir uma política de modo que a cidade seja capaz de abrigar as pessoas, até porque existem áreas aptas a serem ocupadas. Mas são ocupadas apenas por quem tem condição de pagar. E essa geografia do preço determina onde as pessoas vão morar”

7. VULNERABILIDADE

7.1. Processos sociais relacionados à precariedade das condições de vida e proteção social (trabalho, renda, saúde e educação, assim como aspectos ligados à infraestrutura, como habitações saudáveis e seguras, estradas, saneamento).

8. REDUÇÃO DE RISCOS

8.1. Deve combinar um conjunto de políticas que previnam a ocorrência e limitem (mitigação e preparação) as consequências (perdas e danos) oriundas dos desastres.

9. RESILIÊNCIA

9.1. Tornar as sociedades e as comunidades aptas a desenvolverem as habilidades de responder adequadamente aos eventos, monitorá-los, antecipa-los e aprender com os mesmos, fortalecendo sua capacidade de adaptação após os desastres, mantendo um nível aceitável de funcionamento e estrutura para restabelecer-se, recuperar-se e reconstituir-se, não só retornando a normalidade de sua vida “cotidiana”, como também em condições ainda mais sustentáveis e seguras do que as anteriormente existentes.