Aspergilose

Mapa de Aspergilose

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Aspergilose por Mind Map: Aspergilose

1. Características

1.1. Gênero Aspergillus

1.1.1. Ubiquitário

1.1.2. Oportunista

1.2. Habitat

1.2.1. Solo

1.2.2. Matéria orgânica em decomposição

1.3. Associados a infecções oportunistas no homem e em animais

2. Formas de infecção

2.1. Infecção respiratória

2.1.1. Resposta alérgica á inalação

2.2. Inalação dos conídios

2.2.1. Distúrbios respiratórios

2.3. Ingestão de comídios ou trauma tecidual

2.3.1. Invasão de tecidos debilitados.

3. O tipo da doença depende do local de infecção e do estado imunológico do hospedeiro.

3.1. Infecção sistêmica

3.1.1. Associada a imunossupressão

4. Fatores de virulência

4.1. Termotolerante

4.2. Velocidade de crescimento

4.3. Diâmetro pequeno do conídeo

4.4. Produção de Gliotoxina

4.4.1. Influência na atividade imunossupressora e antifagocitária

4.5. Produção de enzimas

4.5.1. Proteases

5. Diagnóstico Laboratorial

5.1. Histopatológico

5.1.1. Mais eficiente

5.2. Isolamento

5.2.1. Pode não ser eficiente

5.2.2. Presente em todos os ambientes como contaminante

5.3. Semeadura em SDA

5.3.1. Incubação de 7 a 14 dias a 25ºC

5.3.2. Identificação

5.3.2.1. Base na aparência das colonias

5.3.2.2. Características microscópicas

5.4. Amostras

5.4.1. Tecido pulmonar

5.4.2. Fetos abortados

5.4.3. Cotilédones

5.5. Análise morfológica

6. Tratamento e profilaxia

6.1. Entrada de ar limpo

6.2. Controle de umidade na palha

6.3. Rigorosa limpeza

6.4. Aplicação de antifúngicos

7. Aspergillus sp. X Penicillium sp.

7.1. Diferenciação

7.1.1. Coloração da colônia

7.1.2. Formato da extremidade da hifa e do conidióforo

8. Aspergilose Aviária

8.1. Utilização de materiais úmidos

8.2. Aves jovens

8.2.1. Menos de 15 dias de vida

8.3. 80% da mortalidade em frangos de corte

8.4. Sinais Clínicos

8.4.1. Capacidade respiratória

8.4.2. Bico aberto

8.4.3. Pescoço esticado

8.4.4. Asas abertas

9. Aspergillus fumigatus

9.1. Afeta homens e animais

9.2. Envolvido nas invasões teciduais

9.2.1. Principalmente pulmonares

9.3. Apresenta menor tamanho de conídios dentre Aspergillus spp.

10. Aspergilose de incubadora

10.1. Aves recém-chocadas

10.1.1. Expostas a grande quantidade de conídios de A. fumigatus

10.2. Sinais Clinicos

10.2.1. Sonolência

10.2.2. Inapetência

10.2.3. Morte

10.3. Encontrados

10.3.1. Nódulos amarelados

10.3.1.1. Pulmão

10.3.1.2. Sacos Aéreos

10.3.1.3. Outros ógrãos

10.4. Controle

10.4.1. Higiene rigorosa

10.4.2. Fumigação

10.5. Desenvolvimento da doença

10.5.1. Esporos aderidos na casca do ovo -> Falha na casca -> esporo penetra -> fungo se multiplica na câmara de ar -> dissemina-se para o resto do ovo

10.5.1.1. A. fumigatus multiplica-se durante a incubação.

11. Aves adultas

11.1. Inalação de conídios

11.2. Sinais clinicos

11.2.1. Dispneia

11.2.2. Emagrecimento

11.3. Nódulos amarelados

11.3.1. Pulmões

11.3.2. Sacos aéreos

11.3.3. Outros órgãos

12. Aspergilose em cães

12.1. Enfermidade crônica associada a imunossupresão

12.2. Gliotoxina e hemolisinas

12.2.1. Destroem os cornetos

12.2.1.1. Causando ulceras na cavidade nasal unilateral ou bilateral

12.3. Sinais clinicos

12.3.1. Descarga nasal sanguinopurulenta persistente

12.3.2. Espirros

12.4. Diagnóstico

12.4.1. Cultura

12.4.2. Sorologia

12.4.3. Exame histopatológico

13. Aspergilose em bovinos

13.1. Contaminação ocorre

13.1.1. Má qualidade do feno

13.1.2. Ingestão do fundo que dissemina-se por via hematógena indo para os cotilédones fetais causando necrose do órgão.

13.2. Sinais clínicos

13.2.1. Parada na nutrição

13.2.2. Deslocamento de placenta

13.2.3. Aborto

13.3. Aborto micótico em vacas

13.3.1. Esporádico

13.3.2. Na fase final da gestação

13.3.3. Diagnóstico

13.3.3.1. Cultura a partir do conteúdo do abomaso do feto.