Filariose Linfática

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Filariose Linfática por Mind Map: Filariose Linfática

1. Inseto vetor: Culex quiquefasciatus (muriçoca)

1.1. Inseto vetor ingere microfilárias que perdem a bainha, se transformam em larvas que se direcionam para os mm torácicos, onde se tornam L3, forma que será inoculada no homem.

1.2. Ingestão de microfilárias durante o hematofagismo

2. Forma infectante para o homem: L3 Forma infectante para o mosquito: microfilárias

3. Agente etiológico: Wuchereria bancrofti

3.1. Habita os vasos e gânglios linfáticos na forma de verme adulto.

3.2. 3 formas evolutivas:

3.2.1. VERME ADULTO: Delgado de colocação branco-leitosa; Macho menor com extremidade anterior afilada e posterior encurvada; Fêmea maior com extremidades afiladas (liberam microfilárias).

3.2.2. MICROFILÁRIAS: Movimento ativo pelo sangue do hospedeiro; Ao dia: capilares profundos À noite: sangue periférico

3.2.3. LARVAS (L1, L2, L3): No hospedeiro invertebrado;

4. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS: Estase linfática; linfoestasia; linforragia.

4.1. Agudas: linfagite, adenite, febre e mal-estar

4.2. Crônicas: linfedema, lindo ele, quilúria, elefantíase.

5. A Elefantíase ocorre por processos inflamatórios repetidos, geralmente em pessoas que vivem em regiões endêmicas.

6. Difícil diagnóstico clínico; Deve se avaliado: febre recorrente associada a adenolinfagite; Residente de áreas endêmicas; Manifestações pulmonares com eosinofilia sanguínea e altos índices de IgE.

7. Confirmação diagnóstica: Pesquisa parasito (microfilária) por gota espessa (mais usado); Filtração só dando com membranas de policarbonato; Pesquisa de antígeno por imunocromatografia (teste rápido); PCR (Reac polimerase)

8. Coleta deve ser realizada durante o período de 22h à 00h para maior sensibilidade nos testes de pesquisa de microfilárias

9. TRATAMENTO: •Dietilcarbamazina 6mg/kg VO por 12 dias (ação contra microfilária) •Ivermectina somente contra microfilárias OBS: em associação é mais eficaz. Co-infecção com parasitos intestinais: Dietilcarbamazina + albendazol