Roma Antiga

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Roma Antiga por Mind Map: Roma Antiga

1. 1. Monarquia Romana

1.1. Fundação da cidade no ano de 753 a.C

1.1.1. Rômulo e Remo.

1.1.2. Fortificação militar por volta do século VIII a.C. -para defender-se dos povos etruscos.

1.2. Economia: agricultura e pastoreio

1.3. Estrutura social:

1.3.1. Patrícios: aristocracia Romana, possuiam terra e criação de animais.

1.3.2. Plebeus: pobres e artesãos, não tinham participação na política.

1.3.3. Clientes: pobres, escravos libertos, estrangeiros, filhos ilegítimos.

1.3.4. Escravos: base da mão de obra e escravos vindos de conquistas territoriais.

1.4. Rei: caráter sagrado

1.4.1. Controlado pelo Senado.

1.5. Crise: Segundo a tradição, houve em Roma sete reis, sendo que o último - Tarqüínio, o Soberbo foi expulso do poder em virtude de seu despotismo. Com sua expulsão, inicia-se o período republicano em Roma.

2. 2. República Romana

2.1. Senado: responsável pela direção de toda política romana. Formado por patrícios, que ocupavam a função de forma vitalícia, o Senado era o responsável pela condução da política interna e da política externa, escolhia os magistrados.

2.1.1. Consulado: mais importante, ocupado por 2 militares um em Roma e o outro fora.

2.1.2. Consulado: mais importante, ocupado por 2 militares um em Roma e o outro fora.

2.1.3. Assembléia Centuriata: a mais importante da República. Responsável pela votação de todas as leis. Monopolizada pelos patrícios.

2.1.3.1. Consulado: mais importante, ocupado por 2 militares um em Roma e o outro fora.

2.1.4. -Assembléia Tribunícia: composta pelas tribos de Roma. Aqui a votação era coletiva, pela tribo.

2.1.5. -Assembléia da Plebe: uma conquista dos plebeus. Tinha por finalidade escolher os tribunos da plebe.

2.2. Expansão territorial:

2.2.1. Houve um enorme aumento da escravidão, já que os prisioneiros de guerra eram transformados em escravos.

2.2.2. O surgimento dos latifúndios e a falência dos pequenos proprietários.

2.2.3. Processo de marginalização dos plebeus.

2.2.4. Êxodo rural.

2.2.5. Cidadão soldado trocado pelo soldado profissional.

2.3. Crise Republicana:

2.3.1. Os irmãos Graco tentaram melhorar as condições de vida dos plebeus por meio de uma reforma agrária. Os dois irmãos foram assassinados.

2.3.2. O primeiro Triunvirato foi composto por César, Pompeu e Crasso. Com a morte de Crasso, César e Pompeu travam uma disputa pelo poder, resultando na vitória de Júlio César e no início de seu poder pessoal, que dura até o ano de 44 a.C., ano de seu assassinato. O segundo Triunvirato era formado por Caio Otávio ( sobrinho de Júlio César ), Marco Antônio e Lépido. Aqui também haverá uma intensa disputa pelo poder pessoal. No ano de 31 a.C., com a vitória de Caio Otávio sobre Marco Antônio tem início o poder pessoal de Otávio, que se tornará o primeiro imperador romano.

3. 3. Império Romano:

3.1. Alto Império;

3.1.1. A principal característica do Império Romano é a centralização do poder nas mãos de um só governante. O longo período das guerras civis, contribuiu para enfraquecer o Senado e fortalecer o exército.

3.1.2. Caio Otávio, realizou reformas que contribuíram para a sua popularidade: ampliou a distribuição gratuita de trigo para a plebe e de espaços para a diversão pública (a famosa Política do Pão e Circo), efetuou uma distribuição de terras aos soldados veteranos e foi um protetor dos artistas romanos.

3.1.2.1. Seu período é conhecido como a PAX ROMANA, dado ao fortalecimento do exército, a amenização das tensões sociais, graças à política do pão e circo - e a pacificação das províncias do império, apogeu Romano.

3.2. Baixo Império:

3.2.1. A partir do ano de 235, inicia-se um período de crises em virtude do enorme custo para a manutenção do exército. Os gatos militares minavam as finanças do Estado, que era obrigado a aumentar os impostos. Esta política provoca tumultos e revoltas nas províncias.

3.2.2. Êxodo urbano + Colonato + Cristianismo + Crise Militar + Inflação

3.2.2.1. À partir do século IV a pressão dos bárbaros sobre as fronteiras de Roma aumenta. Uma imensa onda de tribos - fugindo dos Hunos ­inicia a penetração na parte ocidental de Roma.

3.2.2.2. Por conta da fraqueza interna, Roma foi saqueada e dominada no ano de 476 por Odoacro, que se declarou rei da Itália. Esta data é considerada o ponto final da história romana. Quanto ao lado oriental de Roma, este sobrevivi até o ano de 1453 com o nome de Império Bizantino.

3.2.3. Como resultado desta crise econômica o Estado romano passa a aumentar, de forma sistemática, os impostos.

3.2.4. A crise militar acarreta o fim do expansionismo romano, contribuindo - a médio prazo e de forma contínua - para diminuir a entrada de mão-de-obra escrava em Roma. A chamada crise do escravismo está na raiz da queda de Roma.

3.2.5. Como se não bastasse tudo isto, as fronteiras do Império Romano começam a serem invadidas pelos chamados povos bárbaros, trazendo um clima de insegurança e pânico a todos.

4. Cultura Romana:

4.1. Direito romano continua a ser a base da ciência do Direito ainda hoje. Fonte:

4.2. O latim, origem de muitas línguas modernas.

4.3. Na literatura -cuja época de ouro foi o período de Augusto ­destacam-se Horácio, Virgílio e Tito Lívio

4.4. O teatro será um dos divertimentos de Roma. Os romanos gostavam ainda das lutas de gladiadores e corridas de biga. O martírio dos cristãos também servia de entretenimento.