MICRONUTRIENTES

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
MICRONUTRIENTES por Mind Map: MICRONUTRIENTES

1. Propriedades: 01)grupo de componentes dietéticos necessários ao organismo em pequenas quantidades. 02)função e composição variáveis. 03)essenciais para crescimento infantil e o desenvolvimento cognitivo

2. Vitaminas e Minerais

2.1. Vitamina A

2.1.1. Benefícios:atua no funcionamento adequado do processo visual, na diferenciação celular, na integridade do tecido epitelial, na proteção contra o estresse oxidativo, na reprodução e no sistema imunológico8,16. relacionada à manutenção da imunocompetência. à prevenção de doenças infecciosas

2.1.1.1. Fontes Alimentares:alimentos de origem animal na forma de retinol (RE), tendo como fontes o leite humano, fígado, gema de ovo e leite de vaca; alimentos de origem vegetal na forma de provitamina A, presente em vegetais folhosos verdes escuros, vegetais amarelos e frutas amarelo-alaranjadas, além de óleos e frutas oleaginosas (buriti, pupunha, dendê e pequi)

2.2. Vitamina D

2.2.1. Benefícios:regulação da fisiologia osteomineral, em especial o metabolismo do cálcio; modulação da autoimunidade e síntese de interleucinas inflamatórias; controle da pressão arterial; e regulação dos processos de multiplicação e diferenciação celular, essencial para o crescimento infantil e aquisição de massa óssea.

2.2.2. Fontes alimentares:vitamina D2 - obtida pela irradiação ultravioleta do ergosterol vegetal (vegetais, fungos, levedos) e em produtos comerciais; vitamina D3 - resultado da transformação não-enzimática do precursor 7-DHC existente na pele dos mamíferos, pela ação dos raios ultravioleta (exposição solar); e o 7- DHC está disponível para consumo em óleo de fígado de bacalhau,atum, cação, sardinha, gema de ovo, manteiga e pescados gordos (arenque)

2.2.3. Fontes alimentares:Vitamina K1 (filoquinona) - vegetais verdes folhosos, tomate, espinafre, couve-flor, repolho e batata; vitamina K2 (menaquinona) - sintetizada pelas bactérias intestinais; e a vitamina K3 (menadiona) - forma sintética

2.3. Vitamina K

2.3.1. Benefícios:importante no desenvolvimento precoce do esqueleto e na manutenção do osso maduro sadio na homeostase, metabolismo ósseo e crescimento celular

2.4. Ferro

2.4.1. Benefícios:vital para a homeostase celular27. É essencial para o transporte de oxigênio, metabolismo energético e a síntese de DNA atua como um cofator para enzimas da cadeia respiratória mitocondrial e na fixação do nitrogênio6,28. Em nosso organismo é utilizado, principalmente, na síntese da hemoglobina (Hb) nos eritroblastos, da mioglobina nos músculos e dos citocromos no fígado

2.4.2. Fontes Alimentares:nas formas heme - com boa disponibilidade - em carnes vermelhas, vísceras, e na forma não heme - baixa biodisponibilidade - em leguminosas e verduras de folhas verde-escuras;

2.5. Zinco

2.5.1. Benefícios:ação relacionada à regeneração óssea e muscular, ao desenvolvimento ponderal e à maturação sexual29,30. apresenta funções primordiais em diversos processos biológicos do organismo, como a síntese proteica, auxílio ao metabolismo de DNA,RNA, carboidratos, lipídios e energético Uma das principais funções do zinco é sua atuação enzimática, atuando como componente da estrutura da enzima ou através de ações regulatórias ou catalíticas no organismo no sistema imunológico

2.5.2. Fontes Alimentares:carne bovina e de frango (forma mais rapidamente disponível de zinco dietético), peixe, laticínios, camarão, ostras,fígado, grãos integrais, castanhas, cereais,legumes e tubérculos.

2.5.3. Status nacional - Carência : criança e da mulher (2006)5 reiteram que as carências de ferro e vitamina A , sendo as maiores prevalências no Sudeste (21,6%) e Nordeste (19%)5. Nas mulheres em idade reprodutiva, sua prevalência foi de 12,3%, destacando que a maior idade materna (>35 anos) também foi associada à elevada ocorrência de crianças com níveis deficientes de vitamina A Já a prevalência de anemia ferropriva em crianças foi de 20,9%, alcançando 50% naquelas menores de cinco anos. Entre as crianças que frequentavam escolas/creches o percentual foide 52%, e naquelas atendidas nas unidades básicas de saúde atingiu 60,2%