Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
SPM e DDPM por Mind Map: SPM e DDPM

1. Conceito

1.1. SPM

1.1.1. conjunto de sintomas emocionais, comportamentais e físicos recorrentes durante a FASE LÚTEA do ciclo menstrual, que diminuem rapidamente com a chegada da menstruação

1.2. DDP

1.2.1. é uma forma grave da SPM e que segue os critérios da Associação Americana de Psiquiatria

2. Epidemiologia

2.1. SPM afeta 3 a 8% das mulheres

2.2. DDPM afeta cerca de 2%

2.3. brancas são mais afetadas que as negras

3. Fatores de Risco

3.1. 1. Influência genética relativa ao DDPM

3.1.1. mutação do gene alfa do receptor de estrogênio ESR1

3.2. Fatores protetores

3.2.1. ingestão de TIAMINA, FERRO e ZINCO

3.3. fator de risco

3.3.1. ingestão de POTÁSSIO

3.4. IMC>27,5 Kg/m2

3.5. baixo nível educacional

3.6. Tabagismo

3.7. Transtorno de ansiedade

4. Características mais estudadas

4.1. Mastalgia, Cefaleia, Tensão, Edema, Depressão, Irritabilidade

5. Fisiopatologia

5.1. ainda indefinida, mas os estudos demonstram que os níveis de estrogênio e de progesterona permanecem normais e que mulheres em SPM têm menos serotonina e menor recaptação que as demais mulheres

6. Diagnóstico

6.1. sintomas psíquicos

6.1.1. Tensão, depressão, irritabilidade, disforia, ansiedade, labilidade emocional e agressividade

6.2. sintomas somáticos

6.2.1. cefaleia, mastalgia, dismenorreia, náusea, taquicardia, tonturas e fadiga

6.3. sintomas comportamentais

6.3.1. falta de iniciativa, aumento do apetite, compulsão por doces, absenteísmo e isolamento

6.4. sintomatológico

6.4.1. tabela em que a paciente preenche os dias do ciclo com numeração correspondente ao nível dos seus sintomas

6.4.1.1. 0-ausente, 1- leve, 2- moderado, 3- intenso

7. Diferenças na clínica

7.1. SPM: sintomas físicos e comportamentais, na fase LÚTEA do ciclo, melhoram com menstruação

7.2. DDPM: forma mas grave da SPM, sintomas são incapacitantes, lembrar de excluir distúrbio psiquiátrico

8. Critérios diagnósticos para DDPM

8.1. 1 ou +: mudanças de humor, tristeza; raiva, irritabilidade; desespero, humor deprimido, autocrítica; tensão e ansiedade

8.2. 1 ou + para completar 5 sintomas: dificuldade de concentração; apetite aumentado; diminuição do interesse nas atividades habituais; fadiga; sobrecarregada; mastalgia, edema, ganho de peso, artralgia; sonolência ou insônia

9. Tratamento

9.1. cada paciente recebe um tratamento segundo as suas individualidades, sendo necessário um diagnóstico preciso antes que se inicie o tratamento. Deve ser multidisciplinar, com psicoterapia incluída e abordagem escalonada, começando, assim, pela terapia não medicamentosa

9.2. mudanças no hábito de vida

9.2.1. exercícios físicos regulares

9.2.2. dieta

9.2.2.1. hipossódica e diurética (abacaxi) para melhorar a MASTALGIA

9.2.2.2. triptofano (chocolate com alto teor de cacau, morango, feijão, queijo e batata inglesa): PRECURSOR DA SEROTONINA

9.2.3. eliminar fatores estressores

9.2.4. melhorar a qualidade do SONO

9.3. MEDICAMENTOSO

9.3.1. só nos casos refratários e no DDPM

9.3.2. pesquisas com vitaminas e minerais ainda são inconclusivas

9.3.3. antidepressivos

9.3.3.1. ISRS: são os de 1a linha, de uso contínuo ou intermitente

9.3.3.1.1. sertralina, fluoxetina e paroxetina

9.3.3.2. Tricíclicos

9.3.3.2.1. clomipramina e amitriptilina

9.3.4. hormonal

9.3.4.1. contraceptivos de intervalo reduzido ou contínuo

9.3.4.2. análogos ao GnRH: para pacientes com CI aos ISRS e a ACHO com sintomas graves; causam efeitos adversos, como Sd. climatérica, osteoporose e cardiotoxicidade