VÍRUS RAIVA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
VÍRUS RAIVA por Mind Map: VÍRUS RAIVA

1. Características gerais

1.1. Ordem: Mononegavirales

1.2. Família: Rabhdoviridae

1.3. Gênero: Lyssavirus

1.4. Espécie: Rabies vírus (RA BV)

1.5. Possui: Glicoproteinas (auxiliam na adsorção), RNA negativo, Cápsula lipoproteica.

1.6. Vírus penetra na célula hospedeira por endocitose.

1.7. Doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos

1.8. Caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda

1.9. Letalidade de aproximadamente 100%

2. Sintomas:

2.1. Fase inicial

2.1.1. Alterações de comportamento

2.1.2. Sensação de angustia

2.1.3. Cefaléia

2.1.4. Pequena elevação de temperatura

2.1.5. Mal-estar

2.1.6. Alterações sensoriais imprevistas

2.2. Progressão da doença

2.2.1. Espasmos nos músculos da deglutição

2.2.2. Ansiedade e hiperexcitabilidade crescente

2.2.3. Contrações espasmódicas laringofaríngeas a simples visão de um liquido e se abstêm de deglutir a sua própria saliva

2.2.4. Febre

2.2.5. Delírios

2.2.6. Falência múltipla de órgãos

3. Atividade do vírus:

3.1. 1. Inoculação através de uma lesão na pele

3.2. 2. Multiplicação

3.3. 3. Invasão de nervos periféricos

3.4. 4. Propagação por neurotransmissores

3.5. 5. Atinge a Fase centrípeta assim que chega ao cérebro, provocando um grave quadro de encefalite

3.6. 6. Fase centrífuga em que o vírus migra para outras regiões do corpo

3.7. 7. Alojamento nas glândulas salivares, onde o vírus irá multiplicar-se para ser excretado pela saliva

4. Prevenção

4.1. Vacina antirrábica humana de cultivo celular

4.2. Soro antirrábico humano

4.3. Imunoglobulina antirrábica humana

4.4. Profilaxia pré-exposição

4.4.1. Indicada para pessoas com risco de exposição permanente ao vírus da raiva, durante atividades ocupacionais exercidas por profissionais

4.5. Profilaxia pós exposição

4.5.1. Limpeza do ferimento com antissépticos

5. Transmissão

5.1. Saliva de animais infectados

5.2. Mordida de animais contaminados

5.3. Arranhadura e mordedura de animais contamidados

6. Diagnóstico

6.1. Método de imunofluorescência direta, em impressão de córnea, raspado de mucosa lingual

6.2. Biópsia de pele da região cervical (tecido bulbar de folículos pilosos)

7. Replicação viral

7.1. 1. Adsorção

7.2. 2. Penetração

7.3. 3. Desnudamento

7.4. 4. Transcrição

7.5. 5. Tradução

7.6. 6. Replicação do genoma

7.7. 7. Maturação

7.8. 8. Brotamento

8. Tratamento

8.1. Não há tratamento, doença é invariavelmente fatal.