Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
CANCRO MOLE por Mind Map: CANCRO MOLE

1. IST GERADA PELO HAEMOPHILUS DUCREYI

1.1. Cocobacilo Gram -, inoculado pelo coito em soluções de continuidade cutaneomucosas

1.2. Período de incubação de 3-7 dias

2. DIAGNÓSTICO

2.1. Manifestações clínicas

2.1.1. Mulher pode ser assintomática, sendo homens os mais acometidos

2.1.2. Inicia como pápulas dolorosa com halo de eritema, que em 48h evolui para pústula, erosão e úlcera

2.1.3. Úlceras de base amolecida, contorno eritematoso irregular, fundo irregular com exsudato necrótico amarelo fétido (quando tirado, revela tecido de granulação muito friável)

2.1.3.1. Dependendo do local, gera disúria, dor ao defecar, sangramento retal, dispareunia, corrimento

2.1.3.2. Nos homens, mais frequente no frênulo e sulco balanoprepucial

2.1.3.3. Na mulher, mais frequente na fúrcula e face interna dos grandes / pequenos lábios

2.1.4. Linfadenopatia inguinal inflamatória, geralmente unilateral, quase exclusiva de homens (começa dolorosa e evolui para flutuação e fistulização de pus de coloração verde com sangue)

2.1.4.1. Aparece de 7-14 dias após úlcera, evolui com plastrão que adere à pele em superfície e profundidade, que pode evoluir para abscesso com febre e impossibilidade de deambular

2.1.4.1.1. Se bactérias anaeróbias, maior possibilidade de infecção sistêmica

2.1.5. Cancro misto de Rollet (associação do cancro duro com o mole)

2.1.6. Exame físico

2.1.6.1. Úlcera dolorosa com linfadenopatia inguinal dolorosa e supurativa ou não (patognomônico)

2.2. Bacterioscopia com coloração de Gram ou Giemsa

2.2.1. Punção do bubão ou raspado das bordas da lesão

2.2.2. Cocobacilos Gram -, intracelulares, em paliçada ou impressão digital

2.2.3. Alta chance de falsos-negativos

2.3. Cultura

2.3.1. Diagnóstico definitivo, mas de difícil execução (não recomendado)

2.4. PCR (caro)

2.4.1. Diagnóstico CDC: 1 ou + úlceras MAIS ausência de T. pallidum em campo escuro / sorologia (7 dias após lesão) MAIS úlcera e linfadenopatia característicos de cancro mole MAIS PCR ou cultura negativos pra herpesvírus na lesão

3. TERAPÊUTICA

3.1. Azitromicina 1 g, VO, dose única OU ceftriaxona 250 mg IM, dose única OU ciprofloxacino 500 mg IM, dose única OU 500 mg 12/12h VO, por 3 dias

3.2. Gestantes

3.2.1. Usar azitromicina ou ceftriaxona durante o período e amamentação (ciprofloxacino contraindicado pra grávida)

3.3. Recomendações gerais

3.3.1. Higiene local rigorosa

3.3.2. Tratamento do parceiro (mesmo assintomático)

3.3.3. Reexaminar 3-7 dias após início do tratamento (deve haver melhora)

3.3.3.1. Seguimento até involução total da lesão

3.3.4. PAAG dos gânglios comprometidos para alívio (contraindicada a incisão com drenagem)

3.3.5. Excluir lesão por sífilis