Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Bibliometria por Mind Map: Bibliometria

1. História

1.1. 1922

1.1.1. E. Wyndham Hulme

1.1.2. Termo Statistical Bibliography

1.1.3. Foco: Esclarecer os processos científicos e tecnológicos, por meio da contagem de documentos

1.2. 1944

1.2.1. Gosnell

1.2.2. Artigo sobre obsolescência da literatura

1.3. 1962

1.3.1. L. M. Raisig

1.3.2. Estudo sobre análise de citações, intitulado Statistical Bibliography in Health Sciences

1.4. Nessa época

1.4.1. O termo Bibliometria (em inglês Bibliometrica) foi sugerido para denominar a área em questão.

2. Leis

2.1. Bradford

2.1.1. Foco na produtividade de artigos

2.1.2. Na medida em que os primeiros artigos sobre um novo assunto são escritos, eles são submetidos a uma pequena seleção, por periódicos apropriados, e se aceitos, esses periódicos atraem mais e mais artigos, no decorrer do desenvolvimento da área de assunto. Ao mesmo tempo, outros períodicos publicam seus primeiros artigos sobre o assunto. Se o assunto continua a se desenvolver, emerge eventualmente um núcleo de períodicos, que corresponde aos periódicos mais produtivos em termos de artigos, sobre o tal assunto.

2.1.3. É um instrumento útil para o desenvolvimento de políticas de aquisição e de descarte de periódicos

2.1.4. É possível estimar a magnitude de determinada área bibliográfica e o custo de toda e qualquer fração específica da bibliografia, no todo.

2.2. Lotka

2.2.1. Foco na produtividade de autores

2.2.2. Fundamentada na premissa básica de que "alguns pesquisadores publicam muito e muitos publicam pouco" (VOOS, 1974)

2.2.3. A lei enuncia que a relação entre o número de autores e o número de artigos publicados por esses, em qualquer área científica, segue a Lei do Inverso do Quadrado 1/n2. Isto é, em um dado período de tempo, analisando um número n de artigos, o número de cientistas que escrevem dois artigos seria igual a 1/4 do número de cientistas que escreveram 1.

2.2.4. Tem por base a Gestão da informação, do conhecimento e planejamento científico e tecnológico, sua aplicabilidade se verifica na avaliação da produtividade de pesquisadores, na identificação dos centro de pesquisa mais desenvolvidos.

2.3. Zipf

2.3.1. Frequência de ocorrência de palavras

2.3.2. Zipf observou que, num texto longo, existia uma relação entre a frequência que uma data palavra ocorria e sua posição na lista de palavras ordenadas segundo sua frequência de ocorrência. Essa lista da confeccionada, levando-se em conta a frequência decrescente das ocorrências. À posição nesta lista dá-se o nome de ordem de série (rank).

2.4. Existem outros conceitos, baseados na prática da analise de citações (GUEDES, 2005)

2.4.1. São mais utilizados como ferramenta na política científica e tecnológica.

2.4.2. Análise de citações

2.4.2.1. Parte da hipótese de que citação é um indicador válido de influência de um determinado trabalho sobre outro (s), evidenciando conexões intelectuais. Quanto maior o número de citações maior a relevância de um artigo.

2.4.2.2. Permite identificar a frente de pesquisa, de uma determinada área científica, por meio de um conjunto de autores, que se citam na literatura recente, revelando um estreito padrão de relações múltiplas, na literatura sobre o assunto (GUEDES, 2005)

2.4.2.3. Permite identificar nesse pequeno grupo de artigos entrelaçados, o trabalho de algumas centenas de colaboradores que formas os colégios invisíveis (GUEDES, 2005)

2.4.2.3.1. Um pequeno grupo de autores e de publicações exerce maior influência, em cada área de assunto. Esses autores são líderes, na área, e seus trabalhos são mais citados. (PRICE apud PAO,1989)

2.4.2.4. É utilizada ainda para estimar o fator de imediatismo de um artigo publicado, pelo estudo da concentração de citações a esse artigo, em documentos publicados nos últimos quinze anos (GUEDES, 2005)

2.4.2.4.1. Fator de imediatismo ou de impacto

2.4.2.5. Acoplamento bibliográfico

2.4.2.5.1. Acoplamento bibliográfico (retrospectivo) consiste na União de artigos, citando o(s) mesmo(s) documento (s), e a Co-citação (prospectivo), na união de artigos, citados pelos mesmos documentos.

2.4.2.6. Obsolescência da literatura

2.4.2.6.1. Análise do declínio do uso da literatura, no decorrer do tempo, é a Vida-média estimada a partir da razão de obsolescência e da razão de crescimento, de um determinado corpo de literatura (LINE,1970)

2.4.2.7. Teoria epidêmica de Goffman

2.4.2.7.1. Fundamenta-se na analogia entre a transmissão de uma doença infecciosa, segundo um processo epidemico, e a transmissão e desenvolvimento de ideias, informações registradas, em uma comunidade científica (GOFFMAN & NEWILL, 1964)

3. Softwares bibliometricos

3.1. BibExcel

3.2. Cite Space

3.3. Publish ou Perish

4. Análise bibliometrica

4.1. Conceito

4.1.1. Ferramenta quantitativa que vida minimizar a subjetividade inerentes à indexação e recuperação de informações, produzindo conhecimento em determinada área. (GUEDES; BORSCHIVER, 2005)

4.1.2. Metodologia que documenta os padrões de publicações dos autores, considerando as referências que citam em seus trabalhos e as que são citados. Isso permite que se tenha indicadores sobre a influência acadêmica em um determinado campo de conhecimento. (HEBERGER; CHRISTIE; ALKIN, 2010)

4.2. Benefícios

4.2.1. estado da literatura

4.2.2. Identificação de GAP de pesquisa

4.2.3. Tendências em sua área

4.2.4. Fundamentação teórica consistente

4.3. Passo a passo

4.3.1. Definição do tema

4.3.2. Base de dados relevante

4.3.2.1. Base de dados

4.3.2.1.1. Conceito

4.3.2.1.2. Exemplos

4.3.3. Escolha de palavra-chaves

4.3.4. Consulta às bases

4.3.5. Tratamento de dados com software

4.3.6. Gráficos com pontos mais importantes