A influência da reabilitação protética na qualidade de vida dos idosos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
A influência da reabilitação protética na qualidade de vida dos idosos por Mind Map: A influência da reabilitação protética na qualidade de vida dos idosos

1. Adaptação correta da prótese

1.1. Auto-exame periódico

1.1.1. alteração de cor e/ou textura na mucosa deve-se buscar atenção profissional.

1.2. Avaliação profissional períodica

1.2.1. funcionalidade, estética, conforto, alterações teciduais associadas

1.3. Em alguns casos, o acompanhamento com fonoaudiólogo faz-se necessário.

1.4. Em caso de dor ou má adaptação da prótese, buscar atendimento profissional.

2. Crescente aumento da proporção de idosos

2.1. Diminuição da taxa de mortalidade

2.2. Declínio da taxa de natalidade

2.3. elevação da expectativa de vida

3. A prevalência de uso e necessidade de prótese dentária foi de 78,2% e 68,7%, respectivamente.(SBBrasil, 2010)

3.1. Em 2010, apenas 11,5% dos brasileiros entre 65-74 anos possuíam 20 ou mais dentes presentes.(SBBrasil, 2010)

4. Dentre as principais alterações bucais encontradas nos idosos estão as perdas dentárias e o edentulismo.

4.1. A perda dos elementos dentais traz conseqüências para:

4.1.1. Fonação

4.1.2. Deglutição

4.1.3. Mastigação

4.1.3.1. Levando o idoso a recorrer a uma dieta pastosa, muitas vezes pobre em nutrientes.

4.1.4. Comunicação e autoestima

4.1.4.1. O idoso pode apresentar vergonha, medo, depressão, perda da autoconfiança.

4.1.4.2. Pode evitar o convívio social

4.1.5. Alterações na face

4.1.6. DTM

4.2. Os principais fatores são:

4.2.1. Ineficiente higiene oral

4.2.2. iatrogenia de profissionais

4.2.3. falta de orientação e de acesso aos serviços de saúde, seja por negligência pessoal ou condição socioeconômica

5. O uso da prótese, seja ela parcial removível ou total, visa o restabelecimento do sistema estomatognático e:

5.1. Mastigação

5.1.1. Idoso pode consumir os nutrientes necessários

5.2. Fonação

5.3. Nutrição

5.4. Autoimagem

5.5. Convívio social