ALTERAÇÕES ENDÓCRINAS NA GESTAÇÃO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
ALTERAÇÕES ENDÓCRINAS NA GESTAÇÃO por Mind Map: ALTERAÇÕES ENDÓCRINAS NA GESTAÇÃO

1. ADENO-HIPÓFISE

1.1. Aumenta devido à hipertrofia das células lactotróficas, que origina aumento da hipofisária na ressonância magnética.

1.2. Os níveis de prolactina no líquido amniótico são muito superiores aos da circulação materna no início da gravidez, tendo origem, principalmente, na decídua.

1.3. Células

1.3.1. Há uma redução do número de células somatotróficas e gonadotróficas

1.3.2. Não há alteração nas células corticotróficas nem nas tireotróficas.

2. NEURO-HIPÓFISE

2.1. A neuro-hipófise diminui de volume na gravidez.

2.2. AVP (arginina vasopressina)

2.2.1. A concentração de AVP mantém-se estável.

2.2.2. Aumenta a síntese de AVP, para compensar a degradação provocada pela vasopressinase trofoblástica.

2.3. Os níveis elevados de estrogénios na gravidez originam hiperprolactinemia, em paralelo com a hipertrofia das células lactotróficas.

3. PARATIREÓIDES

3.1. Paratormona (hormônio da paratireóide)

3.1.1. A concentração da Paratormona (hormônio da paratireóide) mantêm-se estável antes da gravidez.

3.1.2. As concentrações de PTHrp (proteina relacionada ao hormônio da paratireóide) aumentam ao longo da gravidez.

4. TIREÓIDE

4.1. TBG (globulina ligadora de tiroxina)

4.1.1. Durante a gravidez existe um aumento fisiológico da TBG. Este aumento é progressivo e atinge o seu máximo entre a 20ª e a 24ª semana, mantendo-se estável a partir dessa data.

4.1.2. Esta proteína transporta cerca de 70% das hormonas tireoideias graças a uma grande afinidade para as mesmas; daí se pode-se até dobrar os valores destas hormonas.

4.1.2.1. Os doseamentos das hormonas tireoideias na sua forma livre mantêm-se estáveis.