ESPIROMETRIA E MECANISMO DE DEFESA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
ESPIROMETRIA E MECANISMO DE DEFESA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO por Mind Map: ESPIROMETRIA E MECANISMO DE DEFESA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO

1. • Volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) - representa o volume de ar exalado no primeiro segundo durante a manobra de CVF. É considerado uma das variáveis mais úteis clinicamente.

2. • Capacidade Vital (CV) - representa o maior volume de ar mobilizado em uma expiração. Pode ser obtida através de manobras forçadas (CVF) ou lentas (CVL).

3. • Relação VEF1/CV - Razão entre volume expiratório forçado no primeiro segundo e a capacidade vital, sendo muito importante para o diagnóstico de um distúrbio obstrutivo. Para isto, podemos considerar tanto o VEF1 /CVF quanto o VEF1 /CVL

4. Certas partículas, como poeira, fuligem, bolor, fungos, bactérias e alguns vírus, depositam-se nas vias aéreas e nas superfícies alveolares. Felizmente, o sistema respiratório possui mecanismos de defesa para sua limpeza e proteção. Somente partículas extremamente pequenas, com diâmetro menor do que 3 a 5 micra ) de diâmetro, penetram em profundidade nos pulmões.

5. As funções dos mecanismos de defesa são as seguintes: Alcançar um reequilíbrio entre as realidades internas e as externas. Autorregular a possibilidade de satisfazer os impulsos. Facilitar uma adaptação adequada com a sociedade. Permitir um desenvolvimento correto da personalidade. Proteger o equilíbrio emocional.

6. • Fluxo expiratório forçado intermediário (FEF25-75%) - representa o fluxo expiratório forçado médio obtido durante a manobra de CVF, na faixa intermediária entre 25 e 75% da CV

7. • Pico de fluxo expiratório (PFE) - representa o fluxo máximo de ar durante a manobra de CVF. Guarda dependência com o esforço, o que o torna um bom indicador da colaboração na fase inicial da expiração.

8. • Curva fluxo-volume -prevista é desenhada para comparação visual, o que facilita na identificação de padrões obstrutivos, restritivos, amputações de fluxos inspiratórios ou expiratórios, e avaliação da resposta ao broncodilatador. Tem fundamental importância, pois a análise somente dos valores obtidos pode não identificar determinadas afecções respiratórias.