Séculos XVIII e XIX: do esgotamento das minas ao ciclo do café

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Séculos XVIII e XIX: do esgotamento das minas ao ciclo do café por Mind Map: Séculos XVIII e XIX: do esgotamento das minas ao ciclo do café

1. O Brasil do final do século XIX era um país em transição: deixou de ser escravocrata, aderiu ao trabalho livre, tornou-se republicano, a rede urbana estava em franca expansão e as primeiras indústrias começavam a ser implementadas nos centros urbanos.

2. cultivo do café se configura como atividade agrícola no Rio de Janeiro e se espalha em direção ao vale do Rio Paraíba fluminense e paulista e entre outros

3. A chegada da família real em 1808 e de mais 15 mil pessoas que compunham a Corte trouxe consigo os costumes europeus, que também geraram novas demandas por produtos e serviços, até então inexistentes na colônia.

4. Na segunda metade do século XVIII, a produção aurífera começa decair e a economia colonial se volta para o mercado interno.

5. Cultivo do café

6. O modelo de desenvolvimento do café seguiu os moldes da cana-de-açúcar: agricultura extensiva, técnicas agrícolas rudimentares e trabalho escravo.

7. Século XIX: ciclo da borracha

8. exploradores, cientistas e botânicos franceses investigavam as propriedades e os possíveis usos do látex, a borracha natural extraída da seringueira.

9. Tratado de Petrópolis (1903) e o declínio da borracha

10. Ingleses atentos à rentabilidade da produção da borracha contrabandearam milhares de sementes, que posteriormente foram cultivadas no Ceilão, na Indonésia e na Malásia. A produção na Ásia foi tão bem-sucedida que quebrou o monopólio brasileiro e criou uma crise econômica na região.

11. Brasil rumo ao século XX

12. O território brasileiro na segunda metade do século XX e início do século XXI: fronteiras internas em formação