Ensino Remoto Emergencial Perspectiva dos Docentes

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Ensino Remoto Emergencial Perspectiva dos Docentes por Mind Map: Ensino Remoto Emergencial  Perspectiva dos Docentes

1. Matar a saudade do exercício da docência

1.1. Aulas assíncronas

1.2. Evitar aumento da evasão

2. Planejar a disciplina e selecionar as estratégias de avaliação.

2.1. Execução e feedback dos estudantes com a metodologia utilizada.

3. Econômico

4. letramento/instrução dos discentes para acompanhar/realizar as atividades remotas.

5. Metodologias específicas

5.1. Organização e planejamento

6. fragilidade das políticas de inclusão digital

7. Público heterogêneo

7.1. Psíquicos

7.2. Econômicos

7.3. Ambientais

7.4. Culturais

7.5. Geográficas

8. realizar questionários e atividades de sondagem e formulários de pesquisa online.

9. letramento docente em diferentes e variadas plataformas e recursos

10. Docente

10.1. Planejar

10.2. Cumprimento de Prazos

10.3. Como passar este conhecimento prático?

10.3.1. Como humanizar o profissional que será formado por nós?

11. Criar um roteiro

11.1. Contextualizar as aulas

11.1.1. Avaliação com "feedback"

12. Acesso

12.1. Qualidade

12.2. Disponibilidade

12.2.1. Equipamento compatível

12.3. Local adequado

12.4. Tornar as discussões atrativas

12.4.1. Reinventar aulas p/formato digital

12.4.1.1. selecionar a melhor tecnologia de acesso a informaçao

12.5. Aulas mais interativas

12.6. Acessibilidade

13. Discente

13.1. Recursos tecnológicos

13.2. Conectividade

13.3. Como produzir ou responder as tarefas

13.4. Assumir responsabilidades

13.4.1. DEVOLUTIVAS

14. Recursos específicos para o ensino (por área):

14.1. Capacitação

14.1.1. TDICS

14.1.1.1. Docentes

14.1.1.1.1. Ensino Remoto

14.1.1.1.2. Metodologias ativas

14.1.1.1.3. Diminuir os efeitos negativos do Isolamento social

14.1.1.1.4. Dividir as tarefas domésticas

14.1.1.2. Técnicos

14.1.1.2.1. Atividades orientadas para desenvolvimento com prazos de entrega

14.1.1.3. Discentes

14.2. Ensino de Matemática:

14.2.1. Uso de Softwares

14.2.1.1. Resolução de Problemas

14.2.1.2. Visualização e Construção

14.3. Planejamento

15. Plataformas digitais

15.1. constante atualização sobre plataformas, recursos digitais e tecnológicos.

15.2. Concentração para aprender

16. Avaliação por meios digitais

17. Conhecer o seu público

17.1. Ser criativo

17.2. incluir momentos de interação prof - alunos e alunos - alunos

17.2.1. incentivar a reflexão e a discussão de ideias

17.2.1.1. valorizar conhecimentos e experiências dos alunos

17.3. engajar e estimular os alunos em atividades de produção científica.

17.3.1. incentivar a colaboração

17.3.2. incentivar a produção de conteúdos

17.3.3. 2 Docentes/turma (dividir tarefa de regência de classe - Ministrar/gerenciar chat)

17.3.3.1. Gravar os blocos de conteúdo (prevê não participação discente por falta de conexão)

17.3.4. retomar as produções para a reflexão conjunta e a avaliação formativa

17.4. como será a carga horária dos professores?

18. Desafios

18.1. Uso constante de tecnologia

18.1.1. Atividade exaustiva

18.2. Planejamento

18.2.1. Planejar com a participação dos alunos

18.2.2. Domínio das ferramentas

18.3. Engajar os alunos

18.3.1. Aluno protagonista da aprendizagem

18.3.1.1. Avaliações

18.3.2. Inspirar os alunos

18.3.2.1. Elogiar sempre que possível

18.3.3. Autonomia discente

18.3.4. Empatia

18.4. Preparação do material didático

18.4.1. Como ensinar cálculo/fórmula/equações?

18.4.1.1. Utilizar mesa digitalizadora/mesa digital/tablet

18.4.1.2. Fazer videos aulas com períodos de tempo pequenos - máximo de 20 minutos

18.4.1.2.1. Organizar uma avaliação diagnóstica.

18.4.1.2.2. Menor quantidades de dados para serem baixados - consumo de internet

18.4.2. Quais métodos de avaliações podem ser utilizados no ensino remoto emergencial?

18.4.2.1. Questionários com múltiplas repostas

18.4.2.2. Envio de uma lista de questões e prazo para devolverem a lista feita

18.4.2.3. Questões dissertativas para respostas serem construídas em discussões de grupos ou com leitura de artigos relacionados ao tema

18.5. definir os métodos compatíveis com o publico e com a disciplina

18.6. Avaliação

18.7. Interação e vínculo com aluno

18.7.1. impessoalidade do meio virtual

18.7.2. distanciamento físico

18.7.3. empatia

18.7.4. utilização apenas do audição e visão

18.8. Ética e Valores Humanos

18.8.1. Consenso dialógico

18.8.2. Liberdade/igualdade

18.8.3. Respeito à diversidade

19. Aprendizagem

19.1. Protagonismo do aluno na aprendizagem

19.2. maior liberdade para buscar informações complementares do assunto

20. Estratégias de Ensino

20.1. Aulas síncronas

20.1.1. Pequenos Blocos de conteúdo (30 min)

20.2. Atividades assíncronas

20.3. Como fazer as aulas práticas ???

20.3.1. Como ensinar palpação e busca de gânglios e nódulos?

21. Estratégia ensino/aprendizagem

21.1. Atividades síncronas

21.1.1. Ferramentas p/transmissão da aula

21.1.1.1. Identificação das necessidades

21.1.2. Didática

21.1.2.1. Definição

21.2. Gerenciamento

21.2.1. gestão do tempo

21.2.1.1. Ensino de Química:

21.2.1.1.1. Simuladores

21.2.1.2. atribuir o tempo de cada fase das aulas síncronas

21.2.1.3. atribuir prazos para atividades assíncronas

21.2.1.4. coordenar a participação dos alunos

21.2.1.4.1. usar estratégias para variar a participação

21.3. Objetivas

21.4. Avaliação

21.4.1. Provas

21.4.1.1. Subjetivas

21.4.2. Seminários

21.4.3. Participação

21.4.4. elaboração de materiais

21.4.5. uso de aplicativos

21.5. Atividades assíncronas

21.5.1. Gravação/compartilhamento vídeos

21.5.1.1. Capacidade

21.5.2. Pesquisas em periódicos

21.5.2.1. Periódicos CAPES

21.5.3. Pesquisas em bibliotecas digitais

21.5.4. Trabalhos/Papers...etc.

21.6. Avaliação das metodologias

21.6.1. Adequação/melhorias

21.6.2. Feedback dos discentes

21.6.2.1. Aplicação de questionários

21.6.2.2. Instigar relatos

22. Aulas

22.1. Mais Atrativas

22.2. Realizadas em Tempo Razoável

22.3. Verificar as dificuldades

22.4. Dinâmicas

22.5. Buscar interação entre aluno e professor

23. Vantagens do ERE

23.1. Docência sem distância

23.1.1. Planejamento

23.1.1.1. Pré-aula

23.1.1.2. Aulas síncronas

23.2. Motivação

23.2.1. Manter vínculos com os discentes

23.2.1.1. Atividades interativas e lúdicas

23.3. há possibilidade de todos participarem

23.4. criar novos espaços/territórios de aprendizagem

24. Desvantagens do ERE

24.1. Falta de domínio das tecnologias

24.2. Falta do olho no olho

24.2.1. Impossibilidade concreta

24.3. Interações limitadas

24.4. Falta de gerenciamento do tempo pessoal

24.5. questão da saúde mental dos alunos

24.5.1. Dificuldades de acesso aos alunos do Campo, Ilhas e ramais.

25. Perfil dos Estudantes no Ensino Remoto

25.1. Adequar o conteúdo presencial com o remoto.

25.2. Estratégias conforme a turma.

25.3. Pesquisar os perfis de competências virtuais da turma

26. Vantagens e desafios para os docentes da Faculdade de Letras

26.1. Ambientes virtuais

26.2. Vantagens

26.2.1. uso de novas tecnologias

26.2.1.1. Plataformas

26.2.1.2. Redes sociais

26.2.2. continuação de disciplinas

26.3. Desafios

26.3.1. acesso à internet pelos alunos

26.3.2. capacitação de professores

26.3.3. Desafios para professores e alunos

26.3.3.1. Uso da tecnologia

26.3.3.2. Financeiro

26.3.3.3. internet de má qualidade

26.3.3.4. ambiente correto

26.3.3.5. hardware

26.3.3.6. Mudança de paradigma

26.3.3.7. comprometimento durante as atividades/dedicação na escuta

26.3.4. planejamento do ERE

26.3.4.1. Entrega de atividades de forma digitalizada (e-mail, whatsApp, google Classroom)

26.3.4.1.1. Maior prazo que no ensino regular (considerar condicionantes locais específicas)

26.3.4.2. que disciplinas ofertar?

26.3.4.3. contato com os alunos durante pandemia

27. Qualidade do Processo Ensino-aprendizagem

27.1. Conforto

27.1.1. Acessibilidade

27.1.2. Domínio

27.1.3. Acessibilidade

27.2. Convergência

27.2.1. Competências

27.2.2. Integração

27.2.2.1. Habilidade

27.2.2.2. Social

27.2.2.3. Educacional

27.3. Autoensino

27.3.1. Humano

27.4. Autonomia

27.4.1. Disciplina

27.4.2. Responsabilidade

27.5. Engajamento

27.5.1. Comprometimento

27.5.2. Persistência nas dificuldades

27.5.3. Curiosidade

27.5.4. Desafios

27.6. Atratividade

27.6.1. Comunicação inclusiva

27.6.2. Alegre e Divertida

27.6.3. Curiosidade

27.6.4. Integração entre temas

27.6.5. Inovação

27.7. Interpretação Português-Libras

28. Vantagens do ERE para os docentes

28.1. Aproximação com as ferramentas digitais

28.1.1. Participar de webconferências

28.1.2. utilizar lousas virtuais

28.1.2.1. criar vídeo-aulas

28.2. diminuição do tempo para expor o conteúdo programático

28.3. Aumento do tempo para o gerenciamento e acompanhamento das atividades dos alunos

28.4. novos métodos de ensino

28.4.1. seleção adequada aos objetivos didático-pedagógicos

29. Desafios

29.1. Acessibilidade Comunicativa

29.1.1. Audiodescrição

29.2. Planejamento

29.2.1. Atividades Assíncronas

29.2.1.1. Acessibilidade Comunicativa

29.2.2. Uso de TDICs

29.2.2.1. Discentes surdos

29.2.2.2. Tutoriais em Libras

29.2.2.3. Competência digital do discente surdo

29.3. Carga Horária

29.3.1. Atividades Síncronas

29.3.1.1. Interação em Libras

29.3.1.2. Qual plataforma?

29.4. Competência Digital

29.4.1. Seleção de TDICs

29.4.2. Criação de conteúdo digital

29.4.3. Resolução de problemas digitais

29.4.4. Uso de Tecnologia Assistiva

30. uso da tecnologia

30.1. limites em inserir na prática

30.2. ausência de formação docente

31. Considerar as próprias limitações

32. Ter em conta as dificuldades dos alunos com as TDICs